Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Vinho e sardinha: Tão bem que eles se dão!

Comer e beber

Eis um par que os portugueses gostam de convidar para a mesa e que lhes faz boa companhia, se tratado como deve ser. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva

Tratar como deve ser, neste caso, corresponde a fazer um consumo moderado, tanto de um como do outro. Esta chamada de atenção em tom conselheiral justifica-se, porque tanto o vinho como a sardinha, quando bons, insinuam-se e facilmente levam a excessos.

A combinação é perfeita, quando a sardinha é gorda e o vinho tem acidez, estrutura e equilíbrio que bastem. Mas se, em relação à sardinha, quase tudo se sabe, pois, segundo o ditado popular, quer-se “pequena e gordinha”, já no que respeita ao vinho ouvem-se as opiniões mais díspares. Há quem prefira o branco ao tinto, o verde ao maduro, o espumante branco ou tinto a qualquer outro. Se calhar, todos têm razão. O professor Virgílio Loureiro, enólogo e gastrónomo de reconhecido mérito, organizou em tempos um encontro em que combinou sardinha com espumante tinto e o resultado foi espetacular. Quando interpelado, agora, sobre a relação do vinho com a sardinha, diz, sem hesitar: “A combinação perfeita é espumante tinto, ácido, picante, genuinamente português, com sardinha, genuinamente portuguesa.” Acrescenta, todavia, que o vinho branco com boa acidez e estrutura, e sem muito álcool para não ficar pesado, e o tinto, também com boa acidez e bem equilibrado, combinam bem com a sardinha.

Esqueçam-se, pois, os lugares-comuns sobre vinho e comida e acompanhem-se as sardinhas com um bom vinho, seja branco com boa acidez e estrutura, mas sem álcool a mais e sem açúcar; seja tinto, jovem, não muito potente e estruturado; seja espumante, branco ou tinto, com acidez viva, bom corpo e equilíbrio adequado.

São Domingos Espumante Tinto Bruto 2014
Só de uvas da casta Baga, tem aroma frutado com boas notas de bagas silvestres, paladar elegante, leve e fresco, com corpo e boa presença de fruta. Servir à temperatura de 6oC a 8oC com sardinhas assadas, arroz de lampreia, leitão da Bairrada e, até, sozinho, como bebida refrescante. €6,45

Dom Martinho Branco 2017
Feito com uvas das castas Roupeiro e Arinto, tem cor citrina, aroma fresco com notas de baunilha, paladar elegante com muito boa acidez, que lhe acentua a frescura. Para acompanhar tanto sardinhas como outros pratos de peixe mais elaborados. €5,49

Cabriz Colheita Selecionada 2015
Uvas das castas Alfrocheiro e Aragonez, ambas com 40%, e Touriga Nacional, num vinho de cor rubi intensa, aroma a frutos vermelhos com notas de especiarias e tostadas, paladar também frutado, elegante, suave, com boa acidez. Grande aptidão gastronómica, incluindo a sardinha. €4,49