Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Bem-vindos ao Quintal, o restaurante de petiscos na Amadora

Comer e beber

Farto da confusão de Lisboa, mas ainda assim com vontade de bem pestiscar? Deixe de lado o preconceito e marque mesa neste restaurante de tapas numa zona residencial da Venteira

Margarida Breia deixou a indústria farmacêutica para se dedicar aos clientes do seu restaurante de petiscos, recebendo- -os como se O Quintal fosse a casa deles

Margarida Breia deixou a indústria farmacêutica para se dedicar aos clientes do seu restaurante de petiscos, recebendo- -os como se O Quintal fosse a casa deles

José Carlos Carvalho

Seguimos à risca as indicações do GPS, porque não dominamos as ruas da Venteira, na Amadora. Ainda assim, ficamos apreensivos quando aquela voz feminina nos manda parar numa rua residencial e nós quase nem damos pela porta de O Quintal. Na realidade, ela está sempre fechada – os donos fazem questão de receber os clientes, depois de tocarem à campainha, tal como em nossas casas. Entramos para um hall decorado ao estilo vintage, mas a viagem no tempo continua por força dos pormenores do restaurante, da loiça e dos copos ao naperon que cobre o tabuleiro das sobremesas. A sala onde comemos é interior – já foi um quintal, antes de os anteriores proprietários decidirem fechá-lo. Uma vez à mesa, percebe-se logo que a especialidade são os petiscos, para usar uma nomenclatura mais portuguesa. Pedimos uma tomatada (€4,90), seria impensável não o fazer, um tártaro de salmão (€6,90), umas pataniscas de bacalhau (€5,90) e um estaladiço de alheira, porque nos foi recomendado, e bem (€6,90). Acompanhamos esta partilha com um jarro de sangria de espumante. Sim, estamos a trabalhar, mas precisamos de prová-la para poder escrever aqui como é saborosa. Já referimos o tabuleiro das sobremesas, mas não dissemos que ele nos trouxe mousse de lima, de chocolate, panna cotta e cheesecake de manga. A carta muda duas vezes por ano, o couvert é sempre o mesmo: pão, manteiga aromatizada, azeitonas, cenoura à algarvia e queijo de vaca. É nestes miminhos que se percebe o cuidado na escolha dos produtores, sempre pequenos e, de preferência, biológicos.

Enquanto não sabemos como apareceu este restaurante cheio de pinta em plena Amadora, reparamos nas portas antigas que cobrem a zona de balcão, nas mesas e nas cadeiras de madeira, nas paredes deixadas em cimento tosco. Margarida Breia, a dona, de 26 anos, conta-nos 
que está aqui desde o final de 2016, logo depois de se despedir da sua vida de farmacêutica para criar um negócio próprio. Como sempre viveu nesta rua, soube, a tempo, que o antigo restaurante ia fechar. 
A mãe, educadora de infância, remodelou 
o espaço, o irmão, que é cozinheiro no Algarve, deu uma mãozinha na comida, o pai deixou-se estar na Função Pública. Margarida é a alma da casa: “Foi 
a melhor coisa que fiz.”

O tártaro de salmão, as pataniscas de bacalhau e o estaladiço de alheira são alguns dos petiscos que aqui se servem

O tártaro de salmão, as pataniscas de bacalhau e o estaladiço de alheira são alguns dos petiscos que aqui se servem

José Carlos Carvalho

O Quintal > R. Bernardim Ribeiro, 5B, Venteira, Amadora > T. 21 493 0380 > seg-dom 12h30-15h, 19h30-23h