Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Quarteto fantástico do Douro

Comer e beber

Luís Sottomayor apresentou quatro vinhos ilustrativos do trabalho que a empresa desenvolve na região e do mérito da equipa de enologia que dirige. ​​​​​A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva

Na segunda etapa da “viagem a Portugal através do vinho”, que decorreu no âmbito do Visão Fest, estiveram em destaque quatro vinhos produzidos pela Sogrape no Douro: Papa-Figos Branco, Vinha Grande Branco, Vinha Grande Tinto e Quinta da Leda. São outros tantos casos de sucesso que o enólogo Luís Sottomayor, responsável pelos vinhos da Sogrape naquela região, deu a conhecer e a provar. A Sogrape, recorde-se, é uma empresa familiar que desde a sua fundação, em 1942, por Fernando van Zeller Guedes, não parou de crescer, detendo hoje mais de 830 hectares de área de vinha nas principais regiões vitivinícolas portuguesas, com um portefólio notável em que sobressaem as duas grandes marcas de vinhos portugueses no mundo – Mateus Rosé e Sandeman, os Porto Ferreira e Offley, e marcas representativas das principais denominações de origem, como Barca Velha (Douro), Quinta dos Carvalhais e Grão Vasco (Dão), Herdade do Peso (Alentejo), Quinta de Azevedo e Gazela (vinhos verdes), entre outros.

O Papa-Figos Branco é um dos quatro recentes elementos da Casa Ferreirinha, criado na vindima de 2015, a pensar no consumo diário, mas com nível para ocasiões especiais. O Vinha Grande Branco é o primeiro branco da marca, lançado na colheita de 2005, e caracterizado pela sua intensidade aromática e pela elegância. O Vinha Grande Tinto vem de 1960 e tornou--se um clássico, intenso e com carácter vincado. E o Quinta da Leda nasceu em 1995, como monovarietal de Touriga Nacional, passou a ser de lote e referência da quinta que lhe dá o nome. Chega ao mercado pronto a saborear, mas com capacidade de envelhecimento. Um grande vinho, sempre.

Casa Ferreirinha Papa-Figos Branco 2016
Predomina a casta Rabigato. Cor de limão com reflexos dourados, aroma forte com notas florais e frutadas, e apontamentos minerais, paladar cheio e final persistente. Acompanha mariscos, peixes, carnes brancas, massas e saladas. €6,49


Casa Ferreirinha Vinha Grande Branco 2016
Predominam as castas Viosinho e Arinto. Cor citrina, aroma com notas florais, frutadas e minerais, paladar com volume e frescura, final equilibrado. Pede mariscos, peixes, saladas. €8,99


Casa Ferreirinha Vinha Grande Tinto 2015
Cor rubi profunda, aroma a frutos vermelhos e pretos com notas de especiarias e madeira. Paladar elegante com taninos finos, final longo e harmonioso. Requer peixes gordos e boas carnes. €9,99


Casa Ferreirinha Quinta da Leda 2015
Cor rubi, aroma complexo com notas de frutos pretos, especiarias, balsâmicas e madeira, paladar com volume e harmonia. Ideal para pratos de carne, caça e queijos. €40