Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

O restaurante Carvalho, em Chaves, é transmontano de raiz

Comer e beber

O tempo passa e o restaurante permanece como lugar de culto da cozinha regional. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva

A ementa é equilibrada com propostas sugestivas em todos os capítulos, das entradas aos pratos de peixe e de carne, bem como às sobremesas

A ementa é equilibrada com propostas sugestivas em todos os capítulos, das entradas aos pratos de peixe e de carne, bem como às sobremesas

Lucilia Monteiro

Localizado no centro de Chaves, junto das Caldas, herança dos romanos (Aquae Flaviae, diziam eles, e assim deram nome à futura cidade), o Carvalho conta 25 anos e consolidou--se, há muito, como referência gastronómica daquela região transmontana. Tem duas salas amplas e confortáveis com decoração sóbria,mas cuidada, e cozinha à vista, onde se encontra a anfitriã, Dona Ilda. É um restaurante acolhedor com marcas de tradição e apontamentos de modernidade.

A ementa é equilibrada com propostas sugestivas em todos os capítulos, das entradas aos pratos de peixe e de carne, bem como às sobremesas. Nas entradas, é inevitável pedir a alheira, a linguiça, o chouriço, o salpicão ou o presunto, por serem produtos da casa muito bons (tal como a linguiça de cabaça e a sangueira, que entram no arroz de fumeiro), embora as várias saladas, o pastel de Chaves e outros petiscos tradicionais também se insinuem. Nos pratos de peixe, por um lado, há que ver a montra do dia, onde o robalo do mar, o rodovalho, a pescada e outros peixes frescos costumam espreitar e atentar nos bons arrozes de corvina, de garoupa, de tamboril e de robalo. Por outro lado, o bacalhau na brasa com batatas, pimentos assados e cebola também merece atenção. Nas carnes, três pratos emblemáticos: arroz de fumeiro, malandrinho, com feijão, couve e enchidos; naco de vitela, tenro e suculento, com batatas torradas e migas de feijão-vermelho com couve segada; e cabrito assado no forno (ao sábado e ao domingo; durante a semana, por encomenda), com as batatinhas assadas e o arroz costumeiros. Mas há outros com idêntica qualidade, como a costelinha de porco à transmontana, o arroz de cabidela, o entrecosto e os medalhões de vitela. Doçaria tradicional e regional a não perder, em especial as migas do Carvalho, à base de ovos, chila, amêndoa e vinho do Porto, e as rabanadas, feitas ao momento, com um pão e um molho especiais. Muito boa garrafeira, com o vinho da casa a copo. Serviço eficiente e delicado.

Lucília Monteiro

Carvalho > Alameda do Tabolado, Largo das Caldas, 4, Chaves > T. 276 321 727 > ter-sáb 12h-15h, 19h-22h, dom 12h-15h > €25