Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A Vinha do Contador, no Dão, tem qualidade e carácter

Comer e beber

Do Paço dos Cunhas de Santar chegam vinhos distintos

Nas últimas semanas, temos feito referências sucessivas a vinhos do Dão pela razão singela de ficarmos agradavelmente surpreendidos com a sua qualidade e o seu carácter. É o que sucede com o Vinha do Contador Branco 2014 e o Vinha do Contador Grande Júri Tinto 2011, da Global Wines, que chegam ao mercado com a assinatura de um dos mais discretos e competentes enólogos do País, Osvaldo Amado, e que demonstram as potencialidades extraordinárias das terras de Santar, onde se situa o Paço dos Cunhas, e do Dão para produzirem grandes vinhos.

A novidade maior é o tinto Grande Júri, assim chamado por ter sido submetido à apreciação de um painel de críticos com nomes de referência a nível mundial: seria Grande Júri se obtivesse 94 pontos. Ora, ao atingir 95,3 pontos, o vinho ganhou o novo rótulo com essa designação. É um vinho de qualidade excecional. A Global Wines anunciou a intenção de ter o mesmo procedimento sempre e só quando uma colheita se mostre capaz de dar um vinho extraordinário. Trata-se de uma edição limitada de 5 200 garrafas, das quais só cerca de mil se destinam ao mercado nacional, indo as restantes para clientes internacionais e alguns colecionadores no exterior. Em simultâneo, saiu o Paço dos Cunhas de Santar Vinha do Contador Branco, este um ilustre conhecido, também de alta gama, com apreciadores fidelizados.
O Paço dos Cunhas vem de 1609 e foi uma casa agrícola de grandes dimensões, incluindo vinha, entretanto reestruturada pela Global Wines e cultivada em modo de produção biológico. Centro de excelência dos vinhos do Dão, tem, ainda, uma vertente de enoturismo de luxo que inclui wine bar e restaurante.

Vinha do Contador Dão Branco 2014
Resulta de um lote das castas Encruzado (60%), Malvasia Fina (30%) e Cerceal Branco (10%), estagiado em barricas de carvalho francês com bâtonnage durante 12 meses. Tem cor citrina intensa com laivos esverdeados, aroma complexo com notas delicadas da fruta e um toque suave de baunilha, paladar elegante, frutado, muito fresco, com excelente volume de boca. Gastronómico, versátil, excelente. €32

Vinha do Contador Grande Júri Dão Tinto 2011
Feito de uvas das castas Touriga Nacional (60%), Aragonez (20%) e Alfrocheiro (20%), com estágio de 18 meses em barricas novas de carvalho francês, tem cor granada profunda, aroma concentrado e rico com um manancial de notas frutadas, florais, balsâmicas, de especiarias e outras de enorme delicadeza. Paladar intenso, elegante, com taninos vivos e finos, enorme frescura e final vibrante. Vinho para grandes ocasiões. €90