Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

O Faz Figura mudou, mas continua a ser um clássico da cidade

Comer e beber

A ementa, assente nos produtos nacionais, o horário alargado e a garrafeira moderna fazem parte das novidades deste restaurante aberto em 1974

O atum dos Açores braseado com cuscuz de coentros é um dos pratos principais

O atum dos Açores braseado com cuscuz de coentros é um dos pratos principais

Diana Tinoco

Só os clientes habituais, e mais atentos, se deram conta de que as portas do restaurante Faz Figura estiveram encerradas por quase dois meses. Em meados de fevereiro, voltaram a abrir com muitas novidades para saborear vagarosamente. Mas vamos por partes.

Durante o tempo em que o restaurante esteve fechado, o chefe de cozinha Pedro Dias, ex-jornalista de rádio e de televisão, e um dos proprietários deste clássico lisboeta aberto em 1974, aproveitou para palmilhar Portugal de lés a lés. Esta espécie de “viagem de estudo” serviu para visitar quintas produtoras de vinho de diversas regiões e a fábrica do pão-de-ló de Ovar. O roteiro incluiu ainda a Herdade do Maroteiro, no Redondo, onde parou para conhecer o azeite, o vinho e a cortiça ali produzidos. Já em Odivelas, saboreou a conhecida marmelada, entre tantos outros lugares. De todos eles – que fazem agora parte de uma rede nacional de parceiros do Portugal Wine & Food by Faz Figura (nova designação do restaurante) –, Pedro Dias trouxe os produtos que são vendidos na loja ou que estão incluídos na ementa. “Estamos num país pequeno. A partir de Lisboa, chegamos em 40 minutos à bonita serra da Arrábida e, em pouco mais de duas horas, ao Douro”, afirma.

A sala tem uma das melhores vistas sobre a cidade

A sala tem uma das melhores vistas sobre a cidade

Diana Tinoco

Antes de sentar-se à mesa na sala principal, que revela uma das vistas mais surpreendentes de Lisboa, pare em frente à nova (e moderna) garrafeira. “Não é fácil termos representadas as regiões e as castas de todo o País, mas através das 48 garrafas expostas faz-se uma viagem do Douro ao Algarve, em meia dúzia de passos”, explica o chefe, e de goles, acrescentamos nós. Escolhido o vinho, coloca-se o cartão (carregado com o valor desejado) e enche-se o copo com a medida pretendida. Já à mesa experimente--se, nas entradas, o ninho da codorniz, feito com alheira de Mirandela, maçã caramelizada, compota de cebola-roxa e ovo de codorniz (€8,50), e a bacalhauzada, um sonho de bacalhau com salada e pimento recheado (€9). Seguem-se os pratos principais: bochecha de vitela mirandesa estufada com especiarias (€24) e atum dos Açores braseado com cuscuz de coentros (€24,75). Para sobremesa, a trilogia de ovos-
-moles de Aveiro (€6,90) é uma boa sugestão. E à saída, não deixe de olhar para a cúpula do Panteão Nacional, que à noite se ilumina.

A garrafeira é uma das novidades desta renovação do restaurante e tem representantes de regiões e castas de todo o País

A garrafeira é uma das novidades desta renovação do restaurante e tem representantes de regiões e castas de todo o País

Diana Tinoco

Além das novidades no restaurante, a funcionar em horário alargado para combinar com a carta de petiscos, há agora um bar com uma lista dedicada aos licores e às bebidas portugueses. Da ginjinha ao licor de limão, não esquecendo a aguardente da Lourinhã, ali pode ainda escolher um dos muitos gins nacionais.

Portugal Wine & Food by Faz Figura > R. do Paraíso, 15C, Lisboa > T. 21 886 8981 > seg-sáb 19h30-23h30, ter-dom 12h-23h30