Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Que bem que nos sabe este Chamego

Comer e beber

Aqui estamos nós no Chamego, sala de chá em Lisboa, frente a uma degustação de pãezinhos de queijo acabados de sair do forno, e não sabemos por onde começar: tradicional, brócolos, beterraba, azeitona ou sementes?

Mário João

Depois de termos vindo ao Chamego à paisana, e provado todas as variedades de pão de queijo que aqui se fazem, decidimos regressar de bloco e lápis na mão, para que o leitor, se gostar tanto desta iguaria como nós, possa ter experiência idêntica.

Há Brasil em todo o lado, como se espera. Desde logo, na música que sai das colunas e enche a sala onde os clientes se sentam à espera dos pãezinhos, feitos na hora – pena não sair antes do gira-discos que descobrimos arrumado em cima de uma cómoda, junto a um monte de vinis.

Esta sala de chá, como lhe chama a sua dona, Eva Mota, é essencialmente branca, com algumas cadeiras de tons suaves. Ao fundo, há um balcão, aonde nos dirigimos de imediato. Se quiséssemos beijinhos de coco ou bolo à fatia, estaríamos atendidos num instante. Mas, como se disse, são os pães de queijo que nos trazem pelo beicinho. Avisam-nos: há que esperar 15 minutos bem contados para poder provar as variedades – inventadas em solo luso – tradicional, de brócolos, beterraba, sementes e azeitonas, ainda a fumegar, que a pressa de o fazer não permite deixá-los arrefecer.

A dona, Eva Mota, diz que o Chamego é uma casa de chá – e por isso dispõe de 25 variedades

A dona, Eva Mota, diz que o Chamego é uma casa de chá – e por isso dispõe de 25 variedades

Mário João

Enquanto espera, permita-nos o abuso, sugerimos-lhe que não afunde os olhos no ecrã de um telemóvel. Perca-se antes nos pormenores, como os livros aos quadradinhos do Chico Bento que estão nas prateleiras ou as frases decalcadas nas paredes que se querem provocatórias (a spoonful of sugar helps the medicine go down, qualquer coisa como “uma colher de açúcar ajuda a medicina a ir para baixo”). Por falar em açúcar, deixamos aqui a indicação de que cada trufa (ou beijinho, em brasileiro) custa €1,10 e que os tais bolos à fatia ficam por 2,5 euros.

Eva Mota disse-nos que o Chamego é uma casa de chá, lembram-se? Por isso existem na lista 25 variedades dessa bebida. E também três tipos de brunches (€7,9 a €10,9), em que reina o pão de queijo, pois claro. Mas também incluem bolos, trufas, ovos ou iogurtes, conforme a modalidade. Outra curiosidade do Chamego são os recheios para o pão de queijo, como pasta de azeitona, chouriço, mozarella, nutella ou doce de leite (€2,3 os doces e €2,5 os salgados). Ainda não dissemos duas coisas importantíssimas: Eva é casada com um brasileiro de Minas Gerais, daí a inspiração para esta casa que abriu em agosto. E o preço de cada pãozinho varia entre €1,1 e 1,5 euros – custo justo para o prazer que proporciona.

Mário João

Chamego > R. Heliodoro Salgado, 20, Lisboa > T. 21 814 1518 > ter-sex 9h-18h, sáb-dom 9h-16h