Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A Lisbon Food Week está de regresso, vai durar 11 dias e estes são os 5 momentos a não perder

Comer e beber

Não é bem uma semana, são 11 dias entre restaurantes e tascas, conversas, jantares e vinho. O que também não falta nesta edição da Lisbon Food Week, que começa esta sexta, 3, e só termina no dia 13, são as rotas e, claro, os chefes de cozinha porque sem eles e a gastronomia nada disto tinha sentido. Em cinco pontos, damos-lhe a conhecer o que há para beber, ver, ouvir e comer

Aussie Big Breakie - O pequeno-almoço australiano, preparado por Ana Leão e Tayo Wilson, pode ser provado no sábado, 4, no Café Garrett

Aussie Big Breakie - O pequeno-almoço australiano, preparado por Ana Leão e Tayo Wilson, pode ser provado no sábado, 4, no Café Garrett

D.R.

1. Congresso dos Cozinheiros

Este ano, os três dias que dura o Congresso dos Cozinheiros, entre 11 e 13 de novembro, são dedicados aos Produtos e Produtores. "Escolhemos este tema porque fazia sentido justificar o que nos fez surgir em 2005. Cada chefe vai levar um produtor. Vai ser bonito ver os pequenos produtores do País serem apresentados e as suas histórias conhecidas perante uma plateia de 300 interessados neste tema da gastronomia", explica Paulo Amado, das Edições do Gosto, uma das entidades organizadoras do evento. Ao todo, são 40 os chefes e profissionais da cozinha que se apresentam neste fórum da gastronomia para partilhar com o público e entre pares o seu conhecimento. Entre os presentes estão nomes como o de José Júlio Vintém, que vem falar de porco alentejano, ou Rodrigo Castelo, cujo célebre Bode Capado, dará tema de conversa. “Em geral, parece-me que nunca tivemos um momento em que a globalidade dos chefes estivesse tão focada e orientada na mesma ideia, com diferentes perspetivas, de poder apanhar o que está mais próximo e no seu tempo porque é definitivamente o melhor”, diz Paulo Amado. Mas o Congresso faz-se também com oradores internacionais, como Michel Van der Kroft, do restaurante holandês T Nonnetje (duas Estrelas Michelin). O Congresso dos Cozinheiros é um dos últimos eventos a decorrer durante esta segunda edição da Lisbon Food Week, e está integrado no Encontro com Vinhos, Encontro com Sabores, que vai decorrer no Centro de Congressos de Lisboa.

2. Encontro com vinhos, Encontro com sabores

A 18ª edição do Encontro com Vinhos, Encontro com Sabores faz este ano parte da Lisbon Food Week. É um dos últimos eventos da semana, e decorre entre 10 e 13 de novembro, no Centro de Congresso de Lisboa, onde estão confirmadas mais de 300 marcas nacionais e internacionais (Europa, África, Médio Oriente, Ásia, Oceânia, América do Norte e América do Sul) e mais de 2500 vinhos à prova. Os números surpreendem mas é a oferta variada (em castas, estilos e terroirs), onde se incluem algumas raridades e vinhos únicos, que aguçam realmente o apetite.

Um dos momentos altos do programa são as provas comentadas conduzidas por especialistas, cerca de 20 nesta edição. Entre as mais apetecíveis está a Bordéus: 1er Cru Classés (sábado, 11, às 16h30, €350), conduzida por Alexandre Lalas (crítico de vinhos) e Guilherme Corrêa (crítico de vinhos), onde serão provados alguns dos mais célebres vinhos do mundo: Château Latour 1989, Château Margaux 2004, Château Mouton Rothschild 2011, Château Lafite-Rothschild 2012, Château Haut-Brion 2013 e Château Cheval Blanc 2014. No entanto, noutras provas, haverá oportunidade para provar Portos e Madeiras antigos e vinhos alentejanos de várias décadas.

Depois, há ainda as conversas com sommeliers como António Lopes (Wine Guru do restaurante Emo, Anantara Vilamoura), João Chambel (responsável pela garrafeira do restaurante Estado D´Alma, em Lisboa) ou Rudolfo Tristão. Vão falar de vinhos do Porto, brancos que envelhecem ou tintos para o dia-a-dia. Ainda em destaque, e uma das novidades deste ano do Encontro com Vinhos, Encontro com Sabores, está a mostra Mundo Natural, dedicada aos produtos artesanais portugueses, e o Congresso dos Cozinheiros. Os preços para o evento variam entre os €10 e os 90 euros.

3. Rotas

Nesta edição, sugerem-se duas rotas gastronómicas: uma com nove restaurantes que se dedicam à cozinha contemporânea de autor; outra onde se dá destaque às tascas lisboetas e à comida tradicional. A primeira, a rota dos restaurantes, inclui o Balcão, Peixaria e Tasca da Esquina e Vítor Sobral, o Food Corner do Mercado da Ribeira da chefe Marlene Vieira, o Boi-Cavalo, de Hugo Brito; Feitoria, de João Rodrigues; a Padaria Gleba, de Diogo Amorim; Café Garrett, de Leopoldo Garcia Calhau; e o Rib Beef & Wine, de Rui Martins. Trata-se de uma seleção feita pela equipa das Edições do Gosto, um dos co-organizadores da Lisbon Food Week. Alguns destes restaurantes vão ter disponível o Menu Lisboa, noutros as escolhas são feitas com base na carta em vigor (as reservas são feitas diretamente para os estabelecimentos). Na rota do melhor prato do dia, sugere-se a visita às tascas lisboetas para provar o prato do dia. A seleção foi feita por Tiago Pais, autor do livro As 50 Melhores Tascas de Lisboa, que para a Lisbon Food Week escolheu 22 pratos e 22 tascas. Durante a iniciativa, Tiago propõe dois pratos por dia (carne e peixe) em dois sítios diferentes. Há sugestões como o arroz de moelas com gambas do Pomar de Alvalade, o bacalhau cozido com grão de A Castiça ou os enchidos com grelos da Adega da Bairrada.

4. Jantares

Antes de falar dos nove jantares que integram esta Lisbon Food Week, há que apresentar o Big Aussie Breakie – O Pequeno-Almoço Australiano. Preparado por Ana Leão, chefe portuguesa naturalizada australiana, e Tayo Wilson, também ele australiano, vai ser servido no Café Garrett este sábado 4, às 10 horas. A refeição toda preparada de raiz pela dupla inclui pão, manteiga e pickles feitos pelos próprios e outros tantos produtos vindos diretamente da Austrália, país onde o pequeno-almoço tem mais importância do que o almoço de domingo dos portugueses.

Ana Leão, chefe portuguesa naturalizada australiana, e Tayo Wilson, também ele australiano, vão preparar um pequeno-almoço no Café Garrett este sábado, 4, às 10 horas

Ana Leão, chefe portuguesa naturalizada australiana, e Tayo Wilson, também ele australiano, vão preparar um pequeno-almoço no Café Garrett este sábado, 4, às 10 horas

Mas regressemos aos jantares, que têm início esta sexta, 3, no Espaço Espelho D’Água, Sob o tema Lusofonia: Uma Linguagem Gastronómica Comum, são o resultado da residência gastronómica que juntou os chefes António Alexandre, Viriato Pã, Celestino Grave, Rui Manuel e William Ferro Melo. O jantar é composto por pratos confecionado com produtos autóctones de várias regiões. Em alternativa, e ainda no mesmo dia (repete quarta, 8), o restaurante Cave 23 apresenta A Raposa e o Lobo, uma refeição construída pelo chefe da casa Bernardo Agrela e pela barmaid Constança Cordeiro, que traz na bagagem as suas próprias fermentações e destilados aromatizados por si, com os quais vai preparar os cocktails que casam com a comida. "São cocktails preparados só com produtos frescos do Alentejo, como musgo de carvalho, louro, lúcia lima, sálvia, folha de figo, marmelo e alguns citrinos ainda verdes. Os fermentados estão preparados desde setembro", explica. Constança, cujo nome profissional é Raposa Silvestre, tem visto o seu trabalho ser reconhecido quer em Portugal, para onde regressou em julho desde ano, quer no estrangeiro, depois de ter morado durante três anos e meio em Londres. Em março do ano que vem, abre o seu próprio bar, na zona da Baixa, perto do Largo do Carmo.

No dia seguinte, 4, na Cozinha Popular da Mouraria, o jantar faz-se com a cabidela transmontana de Vítor Adão (braço direito do chefe Ljubomir Stanisic). Na terça, 7, no restaurante Lumni, no Bairro Alto, Uma Cozinha Lisboeta Imaginada, junta os chefes Miguel Castro e Silva, Gonçalo Ribeiro e João Sá. Na quarta-feira, 8, é noite de brilhar o peixe do rio Tejo nas propostas que Gonçalo Costa vai apresentar no Tágide, e no dia 10, n’O Apartamento, o chefe portuense Vasco Coelho Santos, do restaurante Euskalduna Studio (Porto), confeciona um jantar vegetariano. Ainda integrado nesta semana gastronómica está o Jantar do Ano, que decorre mais uma vez no Convento do Beato, e no qual participam os chefes Henrique Sá Pessoa, João Rodrigues, Justa Nobre e Vítor Sobral. O último jantar, no dia 13, junta, sob o mote Esta Carne que eu Amo, o chefe Rui Martins, cozinheiro do ano 2016, e Luís Gaspar, do restaurante Sala de Corte, vencedor do concurso este ano.

O chefe Nuno Mendes vem a Lisboa apresentar o seu livro Lisboeta: Recipes from Portugal’s City of Light

O chefe Nuno Mendes vem a Lisboa apresentar o seu livro Lisboeta: Recipes from Portugal’s City of Light

Jamie Orlando Smith

5. Conversas

Por conta própria, os chefes proprietários é uma das conversas que integra o programa da Lisbon Food Week. O encontro decorre, segunda, 6, no restaurante Boi-Cavalo, do chefe Hugo Brito, que para além de ser anfitrião, participa no encontro ao lado de outros chefes proprietários como Tiago Feio, chefe e dono do Leopold, Manuel Dias, do restaurante Raízes, e António Galapito, do futuro restaurante Prado. Durante uma hora e meia, entre as 16 e as 17 e 30, os chefes vão revelar os desafios de serem proprietários do seu próprio restaurante (reservas T. 21 887 1653), uma tendência na gastronomia, segundo Paulo Amado, das Edições do Gosto e responsável pela programação da Lisbon Food Week.

No mesmo dia, Nuno Mendes, chefe do Chiltern Firehouse e da Taberna do Mercado, em Londres, e um dos grandes embaixadores da cozinha Portuguesa no estrangeiro, apresenta às 18 e 30, o livro Lisboeta: Recipes from Portugal’s City of Light. É correr para apanhar a conversa sobre este livro com 372 páginas, feito de histórias e receitas de comida popular portuguesa, da sardinha assada ao pastel de nata. O lançamento decorre na loja Vintage Department, no Príncipe Real. A última conversa desta edição tem lugar na quinta, 9, e é feita no feminino. Em Mulheres com Tomates, o painel de oradoras constituído por Alexandra Prado Coelho (jornalista de gastronomia do Público), Ana Carrilho (responsável do azeite Esporão), Constança Raposo Cordeiro (barmaid), Graça Adriana Saraiva (consultora em biodiversidade de fundadora da Erva Finas), Maria Canabal (jornalista internacional e presidente da Parabere Forum), Marlene Vieira (chefe de cozinha) e Rita Nabeiro (CEO da Adega Mayor) vêm falar do seu percurso e do papel das mulheres na gastronomia. No caso da barmaid Constança Cordeiro, 26 anos, diz que "não vai deixar de referir que, na sua área, as mulheres têm tido mais protagonismo pelo facto de serem mulheres e não por serem competentes e talentosas".