Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Naked, um restaurante a nu e a cru

Comer e beber

Não há que assustar os menos dados à comida saudável: o novo restaurante de Miguel Júdice, o Naked, em Lisboa, não é só para vegetarianos, vegans ou intolerantes ao glúten. É “flexitariano” – e é preciso ler para saber do que se trata

“Não havia na cidade um sítio como este, assente na ideia de flexitarianismo, com opções para os diferentes gostos, pensadas para todas as horas do dia”, diz Miguel Júdice

“Não havia na cidade um sítio como este, assente na ideia de flexitarianismo, com opções para os diferentes gostos, pensadas para todas as horas do dia”, diz Miguel Júdice

Mário João

Carla Contige, responsável pela banca Nós é Mais Bolos, no Mercado da Ribeira, é vegetariana. Pelo contrário, Miguel Júdice, empresário e um dos sócios do Eleven, não conseguiria viver sem comer carne. Juntos gerem o novo restaurante Naked, especializado em comida saudável, aberto há duas semanas, em frente ao Museu Nacional de História Natural e da Ciência, em Lisboa.

“Não havia na cidade um sítio como este, assente na ideia de flexitarianismo, com opções para os diferentes gostos, pensadas para todas as horas do dia”, diz Miguel Júdice. E justifica: “Não se trata de um restaurante vegetariano, nem um restaurante vegan, apesar de ter essas apostas, mas onde se come peixe de vez em quando. É, acima de tudo, um restaurante que serve comida saudável, gulosa e cheia de sabor.” “Porém, não queremos ser puristas nem fundamentalistas”, conclui. Criada por Carla Contige e Miguel Júdice, a ementa aposta em sugestões cozinhadas a baixa temperatura ou cruas (a carne não entra na lista), sem frituras, algumas sem glúten, e inspiradas nas cozinhas portuguesa, peruana e Médio Oriente.

Ao pequeno-almoço (há um menu por €5), por exemplo, são servidas torradas com compota caseira e manteiga de amendoim (€3,50) e crepes com açúcar de coco, canela e limão (€4). Dependendo do apetite, e servido a qualquer hora do dia, há também um brunch composto por sumo de laranja natural, omeleta de claras com shakshouka, iogurte com granola e fruta. Para quem preferir um almoço com mais substância, pode continuar com um português bacalhau fresco, misturado com pak shoy, batata-doce e puré de grão (€13,50) ou com o arroz integral, feijão encarnado, pimentos, manga, salsa de tomate (€10).

A remeter para o Peru, serve-se ceviche de peixe branco, banana, coco e puré de batata-doce (€12), criado pelo chefe Joachim Koerper, do restaurante Eleven. Já o Shakshouka (€8), com tomate, pimentos, ovo escalfado, tostas e folhas frescas, leva-nos até a Israel e ao Líbano. A lembrar paragens do Médio Oriente, o Mezze mistura húmus, pasta de cogumelos, shakshouka, creme de legumes assados e tostas (€12). O Melhor Pão de Ló do Universo (€4), a tarte Naked e os gelados da Paletaria são três boas formas de se despedir deste banquete.

Antes do final do ano, Miguel Júdice pretende “replicar” o restaurante Naked no centro de Cascais, com uma ementa semelhante à de Lisboa e algumas novidades.

A ementa aposta em sugestões cozinhadas a baixa temperatura ou cruas, sem frituras, algumas sem glúten, e inspiradas nas cozinhas portuguesa, peruana e Médio Oriente

A ementa aposta em sugestões cozinhadas a baixa temperatura ou cruas, sem frituras, algumas sem glúten, e inspiradas nas cozinhas portuguesa, peruana e Médio Oriente

Mário João

Naked > R. da Escola Politécnica, 85-89, Lisboa > T. 91 258 5446 > seg-dom 10h-23h

Mário João