Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Ilda Vinagre conta histórias e paladares no S Restaurante & Petiscos

Comer e beber

A chefe de cozinha Ilda Vinagre está de regresso a Portugal – e põe na mesa do S Restaurante & Petiscos, em LIsboa, pratos cheios de sabor e recordações

“É na cozinha que sou feliz, é ali que gosto de estar”, diz Ilda Vinagre, 63 anos, que regressou a Portugal, após nove anos a trabalhar no Brasil

“É na cozinha que sou feliz, é ali que gosto de estar”, diz Ilda Vinagre, 63 anos, que regressou a Portugal, após nove anos a trabalhar no Brasil

António Bernardo

Ilda Vinagre, chefe do S Restaurante & Petiscos, junto ao Rato, em Lisboa, aprendeu a cozinhar com a mãe quando ainda era pequena. Aos seis anos aventurou-se a fazer uma sopa para o irmão mais velho. Mesmo tendo-se esquecido de pôr sal, recebeu dele um grande elogio: era o melhor caldo-verde que tinha saboreado até à data. Nessa altura, também já tinha o seu próprio canivete para descascar as batatas e um banquinho feito pelo avô para conseguir chegar à mesa.

Aos 63 anos, Ilda Vinagre regressa a Portugal, após nove anos a trabalhar no Brasil – onde esteve à frente dos restaurantes Bela Sintra e Chiado – para chefiar a cozinha deste S, “a letra pelas quais começam as palavras saudade, simplicidade e sabor”, comenta a cozinheira que também já passou pela Herdade do Esporão, no Alentejo. Nesta casa lisboeta, que ocupa desde março, com paredes em pedra e um grande balcão em mármore, começa por falar da época em foi “criada no cantinho da chaminé, perto do lume e dos petiscos da minha mãe”. Haverá ainda tempo de recordar a época do restaurante A Bolota, que abriu no dia em que fez 30 anos, na Terrugem, junto a Elvas, e que lhe valeu duas estrelas Michelin (a primeira, recebeu-a em 1992, a segunda, no ano seguinte).

Os seus cozinhados lembram-nos a nossa própria infância. Há muito para experimentar no S, dependendo do gosto de cada um. Comece-se, por exemplo, com a entrada de pataniscas de camarão (€10,50), crocantes e com uma fritura exemplar. “Estamos habituados a comer pataniscas de bacalhau, mas podemos fazer com o que quisermos, quem manda é a nossa imaginação”, nota Ilda Vinagre, a chefe que já cozinhou para o cantor Frank Sinatra, o futebolista Pelé e o vocalista dos U2, Bono Vox, entre tantas outras personalidades (para a “lisboeta” mais famosa do momento, Madonna, nunca cozinhou, mas já esteve com ela, conta).

Polvo à lagareiro

Polvo à lagareiro

António Bernardo

Nos pratos principais, peçam-se as migas com carne de alguidar (€11), feitas com pimentão, alho e a gordura da carne, que fica a cozinhar quatro a cinco horas ao lume. Na ementa, há ainda polvo à lagareiro (€13), “um prato muito fácil de fazer”, diz Ilda Vinagre. Para terminar peça-se uma das sobremesas tradicionais: leite-creme, pudim de queijo fresco (€2,60), mousse de chocolate (€2,80) ou bolo de chocolate (€2,80). “É na cozinha que sou feliz, é ali que gosto de estar”, conclui. E isso nota-se em cada prato que nos chega à mesa.

Sericaia

Sericaia

António Bernardo

Saudade Tem Gosto é o segundo livro de Ilda Vinagre, lançado em 2015, pela editora brasileira Melhoramentos (€13,90). Está à venda no restaurante S, com histórias sobre a freguesia de Marinhais, no Ribatejo, onde a chefe de cozinha nasceu há 63 anos e com receitas, como a das sardinhas em escabeche ou do cozido à portuguesa.

S Restaurante & Petiscos > R. S. Filipe Neri, 14, Lisboa > T. 21 386 6372 > seg-sáb 12h-16h, 20h-23h30