Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Divinus: Comer, dormir e orar no Convento do Espinheiro, em Évora

Comer e beber

A nova ementa criada pelo chefe Hugo Silva, à prova no Divinus, o restaurante do Convento do Espinheiro, em Évora, quer agradar aos paladares mais clássicos mas também aos mais aventureiros

Lombinho de porco preto com cevada de amêijoa, espargos e hortelã da Ribeira

Lombinho de porco preto com cevada de amêijoa, espargos e hortelã da Ribeira

Mário João

Numa mesa alentejana há presenças obrigatórias. São elas, o porco preto, os doces conventuais e as migas. Depois, há as companhias inesperadas, como as sardinhas braseadas, as sopas com sapateiras ou os foie gras salteados. Na nova carta do restaurante Divinus, criada pelo chefe Hugo Silva – que há cerca de dois meses trocou o Farol Hotel Design, em Cascais, pela cozinha do Convento do Espinheiro Hotel & Spa, em Évora – há lugar para todas estas e muitas outras combinações. Dos pratos mais clássicos aos mais originais, há muito agora para provar nesta sala apalaçada dentro do convento do século XV transformado em hotel de cinco estrelas.

A sardinha braseada em tarte de beringela, rúcula e tomate com granizado de pimento, é uma das opções na nova ementa do Divinus

A sardinha braseada em tarte de beringela, rúcula e tomate com granizado de pimento, é uma das opções na nova ementa do Divinus

Mário João

Comece-se com a frescura de melancia com sapateira e lima, a primeira entrada a chegar à mesa oval perto da Adega. O prato funciona como uma espécie de amuse bouche, lembrando um gaspacho, mas aqui feito com morango, sapateira e lima. Depois, é altura do chefe regressar à cozinha para terminar de empratar a sardinha braseada em tarte de beringela, rúcula e tomate com granizado de pimento, uma das estrelas da refeição. Gaba-se a sardinha, uma e outra vez, e espera-se com expectativa a próxima criação do menu de degustação (custa €60 ou €80 com harmonização vínica, mas também é possível pedir à carta). Segue-se um foie gras salteado com maçã, agrião e pistáchio e, ainda, corvina do Atlântico em caldo de legumes e rosé. “Estamos a cerca de uma hora de distância de Sesimbra, onde há bom peixe, como a corvina que uso neste prato. Gosto de ir buscar influências ao mundo que me rodeia, tenho o Alentejo bem presente, aliás Portugal inteiro, mas também procuro incluir outras cozinhas, como a indiana, a espanhola, a brasileira”, conta Hugo Silva, que ainda nos faz chegar um lombinho de porco preto com cevada de amêijoa, espargos e hortelã da Ribeira. Para terminar, um parfait de cereja e chocolate com uma salada de bagas de verão ou um dos doces conventuais.

Depois do almoço, vale a pena visitar a capela do Convento do Espinheiro, sempre aberta. E, ao fim da tarde, pelas 18 horas, há provas de vinho na Adega, em que os hóspedes e os visitantes podem experimentar brancos, tintos e rosés, com predominância nas referências do Alentejo, uma experiência fruto da parceria com a produtora de vinho da Ervideira. Está-se bem no Alentejo.

Há cerca de dois meses, Hugo Silva trocou o Farol Hotel Design, em Cascais, pela cozinha do Convento do Espinheiro, em Évora

Há cerca de dois meses, Hugo Silva trocou o Farol Hotel Design, em Cascais, pela cozinha do Convento do Espinheiro, em Évora

Mário João

Divinus > Convento do Espinheiro > Junto ao Bairro dos Canaviais, Évora > T. 266 788 200 > seg-dom 12h30-14h30, 19h-22h