Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

No Panca – Cevicheria & Pisco Bar, no Porto, damos um salto à América Latina

Comer e beber

O chefe de cozinha Camilo Jaña chega à Baixa do Porto com o Panca – Cevicheria & Pisco Bar. Um restaurante descontraído e colorido, que tem o Peru, o Chile, o México e, até, a Amazónia lá dentro

Rui Duarte Silva

Desde que vive no Porto há 12 anos que o chefe chileno Camilo Jaña tem sido um embaixador da cozinha latina, cujas influências se notam – embora em diferentes géneros – nos vários restaurantes do grupo Cafeína que dirige. Depois de a experiência do ano passado ter corrido bem – durante uns meses, teve com o chefe brasileiro Ruy Leão, a primeira cevicheria do Porto num quiosque no Parque da Cidade –, Camilo e o empresário Vasco Mourão, dono do Cafeína, decidiram alargar o projeto para a Baixa do Porto. O Panca “versão 2.0”, como o chefe chileno gosta de lhe chamar, abriu no final de julho, com uma decoração de cores vibrantes e música latina, havendo, mesmo, uma sala com plantas no teto e água a correr, “a lembrar a Amazónia”, aponta Jaña. E, ainda, muitos cestos com limas, batata-doce, malaguetas, tudo ingredientes que podem sair dali para a cozinha que o chefe quer que seja “descontraída, cheia de aromas e sabores”.

A arquitetura do Panca esteve a cargo de Ana Godinho de Almeida e a decoração de interiores é da autoria de Alejandra Jaña, irmã de Camilo Jaña

A arquitetura do Panca esteve a cargo de Ana Godinho de Almeida e a decoração de interiores é da autoria de Alejandra Jaña, irmã de Camilo Jaña

Rui Duarte Silva

Nos ceviches (a partir €9) mantiveram-se o peixeirada (peixe branco, batata-doce e chulpi) e o de salmão (quinoa preta, abacate e manga) e entraram o de atum nikkei (com beterraba e cebolinhas) e o mariscal puro “dedicado aos peixes do dia, que tanto podem ser ostras como mexilhões ou algas da nossa costa”, descreve o chefe de cozinha. Convém lembrar que todos levam leches de tigre preparados na casa “com paixão e respeito”. “São a alma do ceviche. Têm um ponto de equilíbrio, acidez, intensidade e delicadeza”, explica Jaña.

A carta tem, ainda, outros pratos que nos levam de viagem à América Latina. As empanadas – chili com carne, bacalhau de cebolada ou queijo de camarão – saem como entrada ou a qualquer hora do dia para acompanhar um Pisco Sour (bebida típica do Peru e Chile), margarita ou mojito. Do grill vêm pratos de carne e de peixe, feitos a carvão (a partir €15), como anticucho de polvo teriyaki ou de novilho, corvina ou cachaço de porco bísaro. Quem queira, pode optar também por uma salada de quinoa, beterraba e queijo de cabra ou um hambúrguer à Panca. Os sabores latinos continuam à sobremesa onde se prova lima e matcha, churros dulche de leite e sorvete de maracujá, ou, entre outros, uma trilogia de chocolate, mousse e paçoca. A lembrar o Brasil, o Peru e o Chile, pois.

Panca – Cevicheria & Pisco Bar > R. Sá de Noronha, 61, Porto > T. 22 203 3144 > seg-dom 12h-1h