Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Lumni: a cozinha de Miguel Castro e Silva é sempre a subir

Comer e beber

No novo restaurante de Miguel Castro e Silva, em Lisboa, viajamos até ao tempo em que comandava a cozinha do portuense Bull & Bear, mas também a outros cantos do seu mundo gastronómico

“Aqui no Lumni volto ao tempo em que estive no restaurante Bull& Bear, no Porto, com sugestões mais elaboradas”, diz Miguel Castro e Silva

“Aqui no Lumni volto ao tempo em que estive no restaurante Bull& Bear, no Porto, com sugestões mais elaboradas”, diz Miguel Castro e Silva

Jorge Simão

Sentado numa das cadeiras do terraço do novo Hotel The Lumiares, no topo de um dos mais antigos palacetes do Bairro Alto, em Lisboa, o chefe Miguel Castro e Silva está com um ar visivelmente feliz, de copo na mão. Este miradouro desvenda uma das melhores vista de Lisboa: o casario antigo, o Castelo de São Jorge, o Tejo, está tudo ali ao nosso dispor. E, só por isto, já valia a pena a subida ao quinto piso deste luxuoso hotel de cinco estrelas. Mas o melhor ainda está por vir e será servido lá dentro, numa das mesas do novo restaurante Lumni, com assinatura de Miguel Castro e Silva. Comecemos pelas três manteigas aromatizadas de tomate seco, manjericão e lima com hortelã, num dos pães à escolha, passemos ao tártaro de camarão e toranja, o prato que dá início ao menu de degustação (€55, sem vinhos), a melhor forma de ficar a conhecer a nova ementa do chefe que comanda os restaurantes DeCastro, em Vila de Gaia, e, o Less by Miguel Castro e Silva, um food corner no Mercado Time Out e a Cafetaria do Museu Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

O porco ibérico com milhos e alcachofras fecha a ronda de pratos principais do menu de degustação

O porco ibérico com milhos e alcachofras fecha a ronda de pratos principais do menu de degustação

Jorge Simão

“Aqui no Lumni volto ao tempo em que estive no restaurante Bull& Bear, no Porto, com sugestões mais elaboradas”, conta Castro e Silva. “Será o sítio onde vou criar novos pratos, mas agora ainda estou numa fase de adaptação”, acrescenta. Após uma pequena pausa, chega a vichyssoise de amêndoa com pato fumado, que ora nos deixa o palato doce, ora salgado. É o chefe de cozinha que prepara a sugestão seguinte, o risoto de rúcula com berbigão. Da mesa vê-se o seu ar concentrado, tanto na preparação como no empratamento, mas nem isso o impede de sorrir para cá.

Durante este verdadeiro festim, houve ainda tempo para saborear o robalo com laranja e funcho, que surpreende pela frescura, “inspirado na laranja azeitada dos Trás-os-Montes”, explica. “Trata-se de um prato antigo e que esteve esquecido, já não fazia há uns oito ou nove anos.” É com o porco ibérico com milhos e alcachofras que nos despedimos dos pratos principais – e muito bem. “Parece uma polenta, mas não é, são milhos portugueses. A receita é meio estranha”, diz enquanto descreve os ingredientes: pão, farinha de milhos e sêmola. O parfait de amêndoa e molho moscatel será uma das sobremesas servidas e perdurará no palato e na memória. Mesmo perfeito, portanto.

No terraço, a partir das 15 horas, são servidos lanches compostos por saladas, empadinhas e tábuas de queijos e presuntos, entre outras sugestões ligeiras. Também se servem ali cocktails e vinho a copo

No terraço, a partir das 15 horas, são servidos lanches compostos por saladas, empadinhas e tábuas de queijos e presuntos, entre outras sugestões ligeiras. Também se servem ali cocktails e vinho a copo

Jorge Simão

Lumni > Hotel The Lumiares > R. Diário de Notícias, 142, Lisboa > T. 21 116 0210 > ter-sáb 12h30-15h, 19h30-23h, dom 12h30-15h (brunch)