Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

No restaurante Boa-Bao, a Ásia está à mesa

Comer e beber

  • 333

Com noodles, bao, caril, dim sum e phô, faz-se uma viagem gastronómica de Taiwan ao Japão, no restaurante Boa-Bao, mesmo no coração do Chiado, em Lisboa

Os bao são pãezinhos com vários recheios e cozidos ao vapor, de origem taiwanesa

Os bao são pãezinhos com vários recheios e cozidos ao vapor, de origem taiwanesa

Mário João

A história do Boa-Bao podia começar como algumas anedotas. Era uma vez um americano, uma holandesa e um belga. Os três, apaixonados pela Ásia, decidiram abrir no coração do Chiado, há cerca de dois meses, um restaurante de comida daquele continente. O casal Gregg Hupert e Nathalie, em parceria com o chefe de cozinha Chris Gielen (que trabalhou na cadeia Lucy Chang), fizeram nascer o Boa-Bao, ao estilo de uma cantina de Saigão dos anos 20. No renovado Largo Rafael Bordalo Pinheiro, serve-se agora cozinha pan-asiática.

A carta é variada, com receitas autênticas originárias de países como a Tailândia, China, Laos, Japão, Malásia, Coreia e Taiwan. Entre as sugestões da casa estão sortidos de dim sum (bolinhos recheados, cozidos a vapor ou fritos, uma especialidade cantonesa), Todd Man Pla, pastéis de peixe tailandeses (€7,50), Japchae, um noodle coreano de batata-doce com carne de vaca ou caril amarelo da Malásia (nas versões frango, tofu ou camarão, €15).

Há ainda uma secção chamada de Sopas Grandes, onde estão, por exemplo, a vietnamita Hanoi Pho (€14,50) e a cantonesa de wontons com noodles de ovo e porco (€14). E, claro, aqueles que dão nome ao restaurante: os bao, pãezinhos com vários recheios (pato à Pequim, barriga de porco, tofu ou frango) e cozidos ao vapor, de origem taiwanesa.

Os lugares da esplanada são os que se veem primeiro assim que se chega ao Boa-Bao, mas vale a pena entrar e ficar lá dentro, ao balcão ou na sala, onde se dá conta de todos os pormenores da decoração: os macacos de cerâmica da Bordallo Pinheiro suspensos no teto, a janela secreta do pátio, a zona mais recatada ao estilo jardim de inverno e até os detalhes do bar, construído especialmente para o restaurante por um carpinteiro. E este é apenas o primeiro Boa-Bao, prometem Gregg, Nathalie e Chris, sem revelar mais pormenores.

Lá dentro, podemos sentar-nos ao balcão ou na sala

Lá dentro, podemos sentar-nos ao balcão ou na sala

Mário João

A carta de bar do Boa-Bao inclui cocktails de autor, como o Sling Dao, um dos mais pedidos, e o Bao Uau, o mais original, segundo David Rodrigues, um dos barmans do restaurante. “Misturam aromas asiáticos, como o gengibre, e outros mais portugueses, como as ginjas”, explica.

Boa-Bao > Lg. Rafael Bordalo Pinheiro, 30, Lisboa > T. 91 902 3030 > dom-qua 12h-24h, qui-sáb até 2h

O pátio é a zona mais recatada, ao estilo jardim de inverno

O pátio é a zona mais recatada, ao estilo jardim de inverno

Mário João