Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Atari Baby, um restaurante que é uma viagem a Tóquio

Comer e beber

Em frente à Praça e à Igreja de S. Paulo, no Cais do Sodré, em Lisboa, o chefe de cozinha grego Akis Konstantinidis abriu um restaurante especializado em cozinha japonesa. E no Atari Baby nem falta karaoke

“Aqui não há entradas ou pratos principais, a ideia é agradar a gregos e a troianos, por isso, temos um bocadinho de tudo. Desde yakitoris, que são espetadinhas grelhadas e temperadas com molho teriyaki, a gyosas de camarão, não esquecendo o veggie burrito, um crepe de arroz com vegetais, manga e sweet chili”, descreve Akis Konstantinidis, o chefe de cozinha grego que abriu, no início de maio, no Cais do Sodré, em Lisboa, o restaurante Atari Baby, especializado na cozinha de Tóquio. “Quis contrariar a ideia de que no Japão só se comem sashimi e sushi”, explica.

Os hábitos nipónicos notam-se também no mobiliário. “Os bancos e as mesas baixinhas servem para que os clientes se sintam um pouco no Japão”, acrescenta Konstantinidis, também responsável pelo Can The Can, no Terreiro do Paço, e pelas cozinhas mexicanas do Mez Cais e Las Ficheras. Neste novo projeto juntou-se a José Carlos Mendes, para criar a identidade e a marca do Atari Baby, e ao designer Vítor Vicente, na decoração.

À mesa, no Atari Baby, aconselha-se, primeiro, o Pokémon, em seguida, o Pac-Man e, no final da refeição, o Dragon Ball. Quem aceitar a sugestão, começará por uma taça de arroz com sashimi do lombo de atum marinado (€11) e prossegue com um dos pãezinhos asiáticos bao que podem ser recheados com sangacho de atum, barriga de porco ou caranguejo (€10 e €12,50). Para terminar, terá uma sobremesa (€5) feita com gelatina de lichia e pétalas de amores perfeitos e citrinos, numa base de tártaro de manga.

“Criar um espaço descontraído e cosmopolita, à semelhança do que é a cidade de Tóquio, e o menos ocidental possível foi o meu objetivo”, acrescenta o chefe de cozinha formado em arquitetura. As lanternas vermelhas penduradas no teto, o baloiço colorido e as luzes dos néons que brilham na montra do Atari Baby ajudam a conseguir o ambiente certo.

Por momentos, Tóquio não fica assim tão longe do Cais do Sodré. “É como se acabássemos de aterrar em Tóquio, uma cidade com um ritmo alucinante, uma quantidade de informação exorbitante e conhecida pela sua luz intensa”, nota Akis Konstantinidis.

Na cave do Atari Baby, existem duas salas de karaoke (uma para oito pessoas, outra para 20), com bolas de espelhos, pufes e almofadões – e onde também se podem degustar as sugestões da ementa.

Os hábitos nipónicos notam-se no mobiliário. “Os bancos e as mesas baixinhas servem para que os clientes se sintam um pouco no Japão”, diz Akis Konstantinidis

Os hábitos nipónicos notam-se no mobiliário. “Os bancos e as mesas baixinhas servem para que os clientes se sintam um pouco no Japão”, diz Akis Konstantinidis

José Caria

Atari Baby > R. de São Paulo, 120, Lisboa > T. 21 581 7380 > seg-qui 18h-2h, sex-sáb 12h-3h, dom 12h-2h