Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Quinta do Noval: O nome e o prestígio

Comer e beber

A história dos vinhos Porto e Douro passa por aqui, onde há registo de colheitas inigualáveis. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva, sobre a Quinta do Noval

Data de 1715 a primeira referência ao nome Quinta do Noval, o que a situa entre as mais antigas do Douro. Também é uma das mais prestigiadas. Em 1894, já devastada pela filoxera, foi adquirida por António José da Silva, exportador de Vila Nova de Gaia, que reestruturou a propriedade e replantou as vinhas, trabalho que Luiz Vasconcelos Porto, seu genro, prosseguiu e aprofundou, ao longo de três décadas.

Marco fundamental na história da quinta e no sucesso dos seus vinhos foi a declaração da colheita de 1931 do Quinta do Noval Porto Vintage e do Quinta do Noval Nacional Porto Vintage. A sensação que causaram não tem paralelo no século passado e a Quinta do Noval colocou- -se entre os grandes nomes do vinho do Porto Vintage nos mercados inglês e norte-americano. O “Nacional” tornou-se um vinho de culto.

Além de outras inovações, a Noval foi a primeira a lançar uma nova categoria de vinho do Porto ao apresentar, em 1958, o Quinta do Noval LBV 1954, que deu anos de discussões na região. E continua a surpreender, por exemplo com o exclusivo Quinta do Noval LBV Unfiltered, feito exclusivamente de uvas da quinta, com pisa a pé em lagar, à semelhança dos Vintage da casa.

A Quinta do Noval integra, desde 1993, o grupo AXA Millésimes, em cujo património vitícola há nomes tão importantes como a Disznókő, em Tokaj, na Hungria; o Château Pichon Baron (Pauillac), o Château Suduiraut (Sauternes), o Château Petit-Village (Pomerol) e o Domaine de l'Arlot (Borgonha), em França.
Mas nem só vinhos do Porto produz a Noval, também vinhos do Douro. Depois de um ensaio, em 2003, surgiu o primeiro vinho do Douro com o nome Quinta do Noval, em 2004. É outra expressão do terroir Noval, outro desafio para a marca, outra bênção para os enófilos.

Quinta do Noval Late Bottled Vintage Unfiltered Single Vineyard 2011
Cor profunda, aroma frutado, paladar excitante com a explosão de frutos vermelhos e a estrutura poderosa de bons taninos, final elegante e longo. Pronto para beber. Convém decantar. €18

Quinta do Noval Colheita 2003
Concentrado na cor vermelha acastanhada; intenso e delicado no aroma a frutos secos e a especiarias; rico, complexo e sedutor no paladar, com taninos firmes, mas macios, textura sedosa e boa presença de fruta e especiarias; final elegante e muito persistente. €45

Quinta do Noval Vintage 2014
Cor belíssima e profunda, entre rubi e púrpura; aroma concentrado e complexo com notas suaves de frutos pretos e especiarias; paladar elegante, misto de frescura e sedução, encorpado, carnudo; final longo e vibrante. Reúne a elegância, o equilíbrio e a harmonia dos vinhos da Quinta do Noval. €95