Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Eatfish, um restaurante só para “peixívoros”

Comer e beber

  • 333

Atum, salmão, corvina e espadarte são as estrelas da ementa do novo restaurante do Cais do Sodré, em Lisboa, especializado em peixe fresco. No Eatfish, a carne não tem lugar à mesa

A ideia do Eatfish é ir renovando a ementa, incluindo novos peixes

A ideia do Eatfish é ir renovando a ementa, incluindo novos peixes

Mário João

As mesas com tampo em mármore, 
os candeeiros com motivos náuticos e o sofá em pele azul-petróleo. Estes são apenas alguns elementos da decoração do novo restaurante Eatfish, aberto em finais de fevereiro no rés do chão de um prédio remodelado recentemente, junto à Igreja de São Paulo, no Cais do Sodré, em Lisboa. Da parceria entre o empresário Vasco Oliveira, antigo administrador da Starfoods, dona das marcas Selfish e Farm, e o grupo Portugália resulta uma ementa dedicada ao peixe.

Só há atum, salmão, corvina e espadarte, preparados no forno, grelhados, crus ou marinados. “Aqui não entra carne, só mesmo por muita insistência, mas para a servir temos que ir a correr ao vizinho Mercado da Ribeira para a comprar”, diz em tom de brincadeira Vasco Oliveira. A lógica do Eatfish insere-se “numa tendência de comida saudável e de especialização”, resume. “Não se compra nada congelado nem se congela nada. É tudo fresco, compramos o atum dos Açores e a corvina de mar é pescada na nossa costa.”

Assim que o cliente se senta à mesa, é brindado com um couvert composto por húmus de grão e de beterraba e umas tostas de cereais. Enganam o apetite enquanto se espreita a ementa do chefe Carlos Costa (antes passou pelo restaurante do hotel Vila Joya, em Albufeira, 
e mais recentemente pelo Tartar.Ia, no Mercado da Ribeira), dividida em 10 áreas: carpaccios, tártaros, lombos grelhados ou assados no forno, ceviches, saladas, tatakis, molhos, acompanhamentos e sobremesas.

Para quem preferir um prato mais leve e fresco, o tártaro de atum (€5,50 meia dose, €11 dose completa), que vem em cima de um molho verde feito com óleo de manjericão, pode ser uma boa sugestão. Para uma refeição com mais substância, sugere-se o lombo de salmão no forno (€13), com dois acompanhamentos à escolha (puré de batata wasabi, arroz de curcuma ou legumes assados, entre outros) e que liga bem com um copo de vinho branco, tinto e rosé (a copo ou à garrafa) ou um sumo fruit punch feito com abacaxi, laranja, hortelã e gengibre (€2,50).

No final, pode aventurar-se por uma das três sobremesas: tártaro de frutas, crème brûlée de baunilha e a maior tentação, o trio de mousses de chocolate (cada uma custa €3).

A ideia do Eatfish é ir renovando a ementa, incluindo outros peixes, como a dourada, 
o robalo, a sardinha. E, se tudo correr bem, replicar este negócio dentro e fora de Lisboa.

O ambiente descontraído e informal deste restaurante especializado em peixe fresco é da autoria dos arquitetos Pedro Ricciardi e dos designers de interiores João Regal e Hilária Neto.

Eatfish > Tv. de S. Paulo, 11, Lisboa > T. 21 099 6317 > seg-dom 12h-24h