Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Noélia leva polvo com batata-doce algarvio ao Porto

Comer e beber

  • 333

A convite da iniciativa Mesas Bohemias, que leva à letra o intercâmbio gastronómico entre o norte e o sul de Portugal, o restaurante BH Foz, no Porto, entrega os tachos a Noélia, a cozinheira e proprietária do restaurante em Cabanas de Tavira, no Algarve. Até domingo, 9, há polvo trapalhão com batata-doce e canja de amêijoas

A canja de ameijôas, inspirada no mar, tem uma base de arroz

A canja de ameijôas, inspirada no mar, tem uma base de arroz

Lucília Monteiro

Meter o pé na estrada rumo ao Algarve para matar o súbito desejo de comer um polvo com batata-doce temperado com ervas frescas, não é aventura para todos os dias. Mas a iniciativa Mesas Bohemias, que faz os restaurantes mudar de cidade e harmoniza pratos com a cerveja Bohemia, antecipa e encurta a viagem. Até domingo, 9, o restaurante Noélia, de Cabanas de Tavira, está instalado no BH Foz, no Porto, com uma ementa a mostrar como é possível ser feliz à mesa. “A minha cozinha é muito feita com aquilo que existe”, dirá a chefe algarvia, numa das curtas deslocações à sala. A cozinha exige toda a sua atenção, para que cada garfada nos leve até ao sul.

Ao Porto, Noélia leva alguns pratos clássicos do seu restaurante, a mostrar o que de mais tradicional se faz com os produtos algarvios

Ao Porto, Noélia leva alguns pratos clássicos do seu restaurante, a mostrar o que de mais tradicional se faz com os produtos algarvios

Lucília Monteiro

O célebre polvo trapalhão com batata-doce

O célebre polvo trapalhão com batata-doce

Lucília Monteiro

E a que sabe o Algarve de Noélia? A uma harmoniosa e fresca combinação de sabores da época, onde desfilam o atum, a galinha, o polvo, a batata-doce, os coentros e a alfarroba. Começamos a refeição com muxama (também chamada de presunto do mar) e uma espécie de gaspacho no copo. “É um lombo de atum salgado entre 12 a 14 horas e depois seco ao sol”, diz o foodie Rodrigo Menezes, responsável por estas Mesas Bohemias, que trouxe ao Porto uma suas cozinheiras preferidas, e vai explicando ingredientes e as características de cada cerveja. A entrada é acompanhada de uma Bohemia Trigo, de sabor fresco, bem como o primeiro prato: uma canja de amêijoas, inspirada no mar e com uma base de arroz.

Enquanto servem no copo a nova Bohemia Bock, mais encorpada, amarga e com maltes torrados, feita a pensar nos estufados, chega à mesa o célebre polvo trapalhão com batata-doce. Um prato simples, de sabores apurados que nos mantém ligados ao mar, ao qual se segue uma deliciosa açorda de galinha serrana, a que os coentros e a hortelã emprestam uma frescura inesperada. “O Algarve também passa pela serra, não é só mar”, nota Noélia. Para este prato, Rodrigo Menezes escolheu uma Bohemia Puro Malte, ideal para aves e caça. E se o almoço já ia longo, a estender-se tarde fora, a verdade é que não houve como resisitir à tarte de alfarroba e ao pudim de laranja do Algarve com amêndoa que rematou o repasto.

Para garantir lugar à mesa do BH Foz até domingo, 9, é necessário comprar bilhete, à venda na Ticketline. Os lugares são limitados a 60 pessoas, tanto ao almoço, a partir das 13h, como ao jantar, a partir das 20 horas, e o menu (inclui entrada, três pratos principais, sobremesa, cerveja, café e água) custa 30 euros.

Lucília Monteiro

Mesas Bohemias - Noélia no Porto > BH Foz > Av. do Brasil, 498, Porto > 8-9 abr, sáb 13h, 20h, dom 13h > €30 > www.mesasbohemias.pt