Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

13 novos restaurantes japoneses (e mais 20 a que nunca resistimos)

Comer e beber

Para saborear as tradicionais sopas miso, combinados de sushi e sashimi, massas e tempuras. Ou, então, para descobrir outros pratos. São estes os 13 novos restaurantes japoneses que, em Lisboa, Porto e arredores, aí estão a comprovar toda a arte da terra do Sol Nascente

Aron Vargas veio de São Paulo e aprendeu com Takashi Yoshitake, no restaurante Aya

Aron Vargas veio de São Paulo e aprendeu com Takashi Yoshitake, no restaurante Aya

Mário João

Aron Sushi, Lisboa

Há 16 anos, quando Aron Vargas chegou a Lisboa, vindo de São Paulo, não imaginava que ia trabalhar com um dos melhores mestres de sushi que Portugal já teve. Com Takashi Yoshitake, no Aya, aprendeu a arte de trabalhar o peixe fresco. São esses ensinamentos que, desde 2013, põe em prática no seu restaurante, perto da Praça de Espanha. Alcançado o reconhecimento, percebeu que recusava mais de 20 clientes todas as noites. Nada melhor do que abrir um segundo restaurante. E foi depois de comer peixe fresquíssimo no mercado Tsukiji, em Tóquio, que percebeu a mais-valia de estar dentro de um mercado. Escolheu o 31 de Janeiro e, em maio do ano passado, abriu uma casa tradicional. Todas as manhãs sobe ao primeiro andar para saber o que tem a peixeira Açucena Veloso. Os nove menus de almoço mantêm-se (com sashimi, chirashi, makimonos ou tempura, por exemplo), bem como os combinados sushi to sashimi (30 peças €35, 15 peças €18) e, no sushi à carta, inclui as três partes nobres do atum: o-toro (gordo €9), chutoro (médio €7) e akami (magro €5). Em breve, dentro de um ou dois meses, será possível deliciarmo-nos com a tenra e saborosa carne kobe, vinda diretamente do Japão. R. Marquês Sá da Bandeira, 14 A-B, Lisboa > T. 21 357 4118 > seg-dom 12h30-15h, 19h30-23h, dom 12h30-15h > Mercado 31 de Janeiro, R. Engenheiro Vieira da Silva, Lisboa > T. 96 312 8456 > ter-sáb 12h30- -15h, 19h30-23h, dom 12h30-15h

 Reduzir ao máximo os produtos importados, substituindo-os por ingredientes nacionais, são alguns dos objetivos de Luís Barradas, no restaurante Tago's

Reduzir ao máximo os produtos importados, substituindo-os por ingredientes nacionais, são alguns dos objetivos de Luís Barradas, no restaurante Tago's

Mário João

Tago's, Almada

O caminho de terra batida termina à entrada da Quinta do Tagus, no Monte de Caparica, uma herdade com quartos para alugar, cavalos, horta e uma vista surpreendente. E, claro, um restaurante, o Tago's, que une à mesa a gastronomia portuguesa e a japonesa, confecionada pelo chefe executivo Luís Barradas – especializou-se nas técnicas de sushi e sashimi no restaurante japonês Suntori, em Londres. “Sempre gostei da culinária japonesa e da filosofia dos samurais”, diz o chefe nascido em Setúbal, onde gosta de fazer as compras, no Mercado do Livramento. A ementa apresenta dois menus de degustação: o De Portugal ao Tago’s e o Do Japão ao Tago’s (€60 por pessoa). Desta vez, a atenção vira-se, em exclusivo, para as iguarias inspiradas na cozinha do Japão do segundo menu. Para abrir o apetite, piquem-se os pickles de tomate cereja, cenoura, alho- -francês, entre outros legumes plantados na horta que pode visitar-se ali perto, e siga-se para a Ostra de quatro anos que chega em cima de algas do Sado. Pode prosseguir para o Robalo Queimado, uma sugestão pensada para quem não é grande apreciador de sushi. Tem um corte mais fino, braseado e regado com molho ponzu. Neste menu há, ainda, sashimi e niguiris da Trafaria a Setúbal e foundant de chá verde. Reduzir ao máximo os produtos importados, substituindo-os por ingredientes nacionais, são alguns dos objetivos de Luís Barradas, que em breve integrará o painel de jurados no concurso televisivo MasterChef Junior. Quinta do Tagus > Costas de Cão, Monte de Caparica, Almada > T. 21 295 0334 > seg-dom 12h30-15h, 19h-23h

No Kitanori Sushi Lounge, o cliente pode sentar-se num dos três lugares do balcão ou ficar numa das mesas e experimentar a gastronomia japonesa

No Kitanori Sushi Lounge, o cliente pode sentar-se num dos três lugares do balcão ou ficar numa das mesas e experimentar a gastronomia japonesa

Mário João

Kitanori Sushi Lounge, Lisboa

Trata-se, provavelmente, do japonês mais recente de Lisboa. “Quando abrimos, no dia 1 de fevereiro, éramos o número 207”, conta Ciro Carlos, gerente do Kitanori Sushi Lounge. O restaurante deve o nome ao tio de Ciro, Senishi Keyko Kitanori, nascido no Japão, também ele sócio e, atualmente, a viver em São Paulo. Ali, o cliente pode sentar-se num dos três lugares do balcão, meter conversa com o sushiman ou ficar numa das mesas e experimentar um pouco da gastronomia japonesa. A oferta é variada e inclui desde as clássicas tempuras de camarão (oito peças €9,90) e vegetarianas (€8,80), sopa miso, a diversas opções de yakisoba, como, por exemplo, um prato feito com massa oriental de ovo, salteada com legumes e molho típico yakisoba (€8,10). Se o apetite persistir, na parte da lista dedicada ao sushi tradicional ou de fusão há nigiris (2 peças) de salmão (€2,50), atum (€2,70) ou peixe branco (€2,40); sashimi (5 peças) de salmão (€4,60) ou de atum (€4,90), e gunkan, o rolinho de alga com arroz e diferentes peixes no seu interior. Nas sobremesas, tempura de gelado de baunilha ou de frutos vermelhos (€4,90). Tudo devidamente degustado ao som da música japonesa. R. Barão de Sabrosa, 135 A, Lisboa > T. 21 249 3248 > dom-qua 12h-15h, 19h-23h30, sex-sáb até às 24h

Sushi, sashimi, temakis e nigiris, feitos com diferentes peixes, são a aposto da ementa do Chiyome Sushi, na Associação Naval de Lisboa

Sushi, sashimi, temakis e nigiris, feitos com diferentes peixes, são a aposto da ementa do Chiyome Sushi, na Associação Naval de Lisboa

Mário João

Chiyome Sushi, Lisboa

Entrando no edifício da Associação Naval de Lisboa, virado para a Doca de Belém, descobre-se logo o balcão ocupado pelo sushiman brasileiro Saulo Cardoso. Estranho? Nada disso, já que a comida japonesa é a grande novidade do restaurante ali existente há mais de seis décadas. “Começámos a servir esta comida no final do ano. Queremos conquistar novos clientes e complementar a oferta da ementa forte em peixe fresco e cozinha portuguesa”, diz Jacinto Alves, gerente do restaurante da Associação Naval de Lisboa e também do novo Chiyome Sushi. Por ora, dê-se atenção à lista japonesa, que aposta em pratos frios de sushi, sashimi (salmão €8, atum €9, peixe branco €8), temakis (de salmão com queijo Philadelphia e cebolinho €7) e nigiris (de salmão €5, atum €6 ou peixe branco €5), feitos com diferentes peixes – no dia da nossa visita, a montra enchia-se com salmão, atum, robalo, pregado, lula, vieiras e camarão. A refeição pode começar com o saké Afrodisíaco, uma entrada composta por um carpaccio de salmão flamejado com molho ponzu e cebolinho (€10) e prosseguir com o combinado especial do chefe (50 peças €57, dá perfeitamente para duas ou três pessoas). Na grande travessa, veem-se fatias de sashimi, niguiris, sushi, hosomakis, ostras, vieiras, hot rolls... Em dias de sol, o melhor lugar para saborear tudo isto é na esplanada com vista para o Tejo. Av. Brasília, Doca de Belém, Pavilhão ANL, Belém, Lisboa > T. 92 500 7108 > ter-dom 12h30-15h30, 19h30-23h30

As criações do sushiman Jailson Silva chegam às mesas do Novo Molhe em taças de cerâmica e bambu

As criações do sushiman Jailson Silva chegam às mesas do Novo Molhe em taças de cerâmica e bambu

Lucília Monteiro

Novo Molhe, Porto

Se o leitor passear pela Foz do Douro, junto ao mar, e se lhe apetecer sushi, saiba que já pode saciar esse desejo. Desde setembro que o Novo Molhe – restaurante do mesmo proprietário do conhecido Molhe, quase ao lado – aposta em sushi, tapas e gelados. O empresário Telmo Lopes, que se habituou a andar por este areal desde que os pais aqui abriram o primeiro bar de praia (tinha ele quatro anos), quis apostar “num restaurante para todos os públicos”. Desde o apreciador de sushi tradicional ao de fusão, sem esquecer quem não se perde de amores pela cozinha japonesa (para esses, há tapas de cozinha portuguesa). Porém, quem brilha no Novo Molhe são, realmente, as criações do sushiman Jailson Silva que chegam à mesa num conjunto de taças de cerâmica e bambu. Os freestyles do chefe (30 peças €36,70, 50 unidades €56,90) podem incluir diferentes combinações de peixes, como salmão, atum, corvina e peixe manteiga, com outros ingredientes, como os ovos de codorniz, cebolinho, laranja ou ovas preparadas de acordo com os princípio da cozinha molecular. “O cliente é que manda”, diz Jailson. Pretende-se, aliás, que a flexibilidade na escolha seja uma das mais-valias da casa, com um menu de almoço a partir dos 12,90 euros. Praia do Molhe, Foz, Porto > T. 22 012 3386 e 91 753 1031 > ter-dom 10h-24h

Os Cones Crocantes, recheados de atum marinado e cebola confitada em vinho do Porto, cobertos de sésamo e ervilha de wasabi, são um dos ex-libris no Nómada

Os Cones Crocantes, recheados de atum marinado e cebola confitada em vinho do Porto, cobertos de sésamo e ervilha de wasabi, são um dos ex-libris no Nómada

Tiago Miranda

Nómada, Lisboa

Quem era fã das criações de Mário Ribeiro, no Sushic, afiou os pauzinhos ao saber da sua entrada a pés juntos com um restaurante em nome próprio, nas Avenidas Novas. Foi em agosto que se juntou a mais dois chefes para abrir o Nómada e a aposta está ganha. Na cozinha, à vista da sala, continua com a companhia de Francisco Bessone, que era o seu subchefe em Almada, e de Bruno Oliveira, aqui encarregado da parte “contemporânea” da carta (um eufemismo para os pratos pensados para quem não come sushi). Quanto a ele, sete meses depois de aterrar em Lisboa, mantém-se fiel aos aplaudidos Cones Crocantes (€3,5/unidade), recheados de atum marinado e cebola confitada em vinho do Porto, cobertos com sésamo e ervilha de wasabi, um dos seus ex-líbris. Assim como à Tempura de Caranguejo com maionese tartare, ao Ceviche de Peixe Branco (€11), com tiger's milk, chips e puré de batata-doce, ou ainda ao Gunkan MR – arroz envolvido em salmão e no topo vieira flambeada em vinho de Carcavelos. Em alternativa, caia- -se de quatro pelo Naco Nómada (€15), coberto de massa folhada, porque ninguém disse que temos todos de gostar de sushi. R.R. Av. Visconde Valmor, 40A, Lisboa > T. 91 777 9737 > seg-sex 12h30-15h, 19h30-23h

Na loja de Algés do Sushi at Home, a cozinha está à vista de todos

Na loja de Algés do Sushi at Home, a cozinha está à vista de todos

Sushi at Home, Lisboa e Loures

Inaugurada há quatro meses, a loja de Algés tem tanta pinta que mais parece um fine dining. Com a cozinha à vista de todos, é difícil esconder a frescura do peixe que depois nos delicia rolinho após rolinho. Antes de Algés, o novo take-away Sushi at Home abriu em Sacavém e, há dois anos, tudo começava nas Laranjeiras. Os irmãos Bruschy, Lourenço e Martim, juntaram-se a João Bon de Sousa, pai e filho, para se aventurarem na restauração. Mesmo sem dominarem o assunto, rapidamente perceberam que os portugueses preferem o salmão, por isso criaram um menu só com o peixe da Noruega (16 peças e bebida, €15; 32 peças, €25). Para os apreciadores de queijo Philadelphia, há o menu fusão e para os outros o menu tradicional – todos com os mesmos preços. Mas também é possível fazer uma refeição só com extras (gunkans, sashimi, tatakis, niguiris, uramakis, hossomakis, temakis e crepes). Se à encomenda juntar uma cerveja japonesa Asahi, um saké Junmai ou Futsu Shu, verá que o prazer será ainda maior. Melhor do que take-away, só ter o chefe em casa, para um mínimo de dez pessoas (€25 por pessoa). R. Eng. Fernando Vicente Mendes, 10, Laranjeiras, Lisboa > R. Sport Grupo Sacavenense, 21, Sacavém > R. Damião de Góis, 3, Algés, Lisboa > T. 21 012 0023

"A cozinha japonesa é muito mais do que sushi", acredita Anna Lins, chefe do restaurante Miss Jappa

"A cozinha japonesa é muito mais do que sushi", acredita Anna Lins, chefe do restaurante Miss Jappa

Miss Jappa, Lisboa

“A cozinha japonesa é muito mais do que sushi. Aliás, estes rolinhos são uma gotinha no imenso oceano que é a gastronomia do Japão”, diz Anna Lins, chefe do restaurante Miss Jappa, aberto há um ano em Lisboa. Por ser um prato caro, no Japão, este tipo de comida come-se poucas vezes. “O mais comum são as opções de massa e os ramens. As mães, em casa, também cozinham muito arroz”, acrescenta a única sushiwoman portuguesa, certificada pela associação All Japan Sushi. No Miss Jappa, há tudo isto e muito mais para saborear, desde pratos que lembram o antigo e o novo Japão. Para quem precisa de orientação na altura do pedido, Anna Lins sugere o bao de salmão teryaki (€6,75, duas unidades), que é um pão ao vapor com salmão teriyaki, rúcula e pickle de daikon (rábano), e a beringela grelhada com molho dengaku, bacon crocante e rebentos de mizuna (€3,95). Para apetites mais vorazes, o melhor é escolher o ramen chasuni, com cachaço de porco, espinafres, kinchi, cebolo e ovo (€11). “É mais intenso e substancial”, nota. Mas há mais uma opção que, dizemos nós, vale a pena escolher: o chirashi (€8,50), o prato mais vistoso (e guloso) da lista. A terminar, mais um conselho: há quem faça má cara aos seis lugares do balcão do sushi bar, mas a verdade é que estes são, segundo a chefe, os melhores da casa. “Ali, o sushiman pode dar outra atenção ao cliente.” Pç. do Príncipe Real, 5A, Lisboa > T. 21 137 9763 > ter-qui 12h30-15h, 19h30-24h, sex 12h30- -15h, 19h30-1h, sáb 12h30-1h, dom 12h30-24h

O Japonês-Ritz veio aumentar a oferta gastronómica do Ritz Four Seasons Hotel

O Japonês-Ritz veio aumentar a oferta gastronómica do Ritz Four Seasons Hotel

JANINE SILVA FERREIRA

O Japonês-Ritz, Lisboa

No bar do hotel Ritz já se serviam peças de sushi, mas agora com a abertura de O Japonês, no mesmo corredor, aumentaram as ofertas de fusão. Para a nova ementa, o sushiman António Moniz inspirou-se na cozinha Nikkei, nascida da combinação entre a culinária peruana e a japonesa, resultado da presença dos imigrantes nipónicos na costa do Peru. Alguns dos novos pratos podema transformar-se em best-sellers. Por exemplo, o sashimi de salmão com mostarda agridoce e miso, o ceviche de dourada, muito fresco com leite de coco, guacamole e molho yuzu ou a salada de lavagante e espinafres com vinagrete de yuzu e trufa, tão aromático que combina na perfeição com a tempura de camarão com molho picante. Outra perdição é o arroz japonês, servido numa tagine, com coentros e camarão, pimento agi amarillo do Peru, molho yellow anticucho, ovos, lima, vinagrete de vinho tinto. Para degustar a media luz num ambiente elegante e com um serviço de mesa como já é raro encontrar. Ritz Four Seasons Hotel > R. Rodrigo da Fonseca, 88, Lisboa > T. 21 381 1400 > ter-sex 12h30-15h, 19h30-22h > €37 menu almoço c/ bebida, €69 menu jantar s/ bebida

O restaurante japonês da Praça Carlos Alberto, no Porto, inspirou-se no universo manga

O restaurante japonês da Praça Carlos Alberto, no Porto, inspirou-se no universo manga

Lucília Monteiro

Mangá Sushi House, Porto

Foi a manga, as histórias aos quadradinhos da cultura japonesa, que serviu de inspiração ao restaurante nascido no último verão junto à Praça Carlos Alberto, no Porto. O facto de não haver sushi na praça fez com que Paula Lessa e Jorge Ribeiro abrissem o Mangá Sushi House onde outrora existia uma loja de roupa. Uma ilustração gigante, com referências ao anime, da autoria de Luís Figueiredo, não deixa ninguém indiferente. A preparação do sushi, essa, está por conta da nepalesa Sonam. É das suas mãos que saem os delicados gunkans, temakis, hosomakis, gyosas, a combinarem com o peixe fresco (carapau, cavala, salmão, robalo, dourada ou lírio). Do sushi tradicional ao de fusão, nada foi esquecido. Existem vários menus: menu executivo, menu de almoço (€15,90 até 20 peças de sushi e sashimi), menu para iniciados, para grávidas (com o peixe cozinhado), veggie (com frutas e legumes) e infantil (fingers de salmão ou frango panado com cereais). Tudo para saborear com a música pop japonesa no ouvido. R. de Cedofeita, 1, Porto > T. 22 201 1425 > dom-qui 12h-15h, 19h-23h, sex-sáb 12h-15h, 19h-24h

Um regresso às origens do sushi, numa ementa que não esquece outros sabores

Um regresso às origens do sushi, numa ementa que não esquece outros sabores

Rui Duarte Silva

Magnum Sushi Bar, Porto e Leça da Palmeira

Em casa, no estado brasileiro do Paraná, onde existe uma grande comunidade de origem japonesa, Jefferson Silva habituou-se a comer feijão e arroz durante a semana e sushi aos domingos. Apaixonado pela comida de diferentes latitudes, fez grande parte do seu percurso à volta da cozinha nipónica. Nas duas casas do Magnum Sushi Bar – a de Leça da Palmeira, aberta em setembro de 2016, e a do Porto, inaugurada em dezembro – regressa às origens do sushi, sem esquecer as fusões. “Quero respeitar a tradição e, ao mesmo tempo, inovar”, diz Jefferson. “Os clientes têm de sentir o sabor de cada proteína” e estas vão do atum ao goraz, conforme o que chega da lota. Basta observá-lo uns minutos para se perceber o brio na escolha dos ingredientes, na confeção e na apresentação. Na lista, há também massas japonesas, sopas miso ou ramen e entradas como gyosa, tataki, carpaccio e ceviches, assim como especialidades italianas. Quanto às sobremesas, o cheesecake de chá verde com cliu de frutos vermelhos é imperdível. Ao almoço, há menus de sushi e sashimi por €10 e 12,90 euros. Já os menus freestyle (16 peças €15, 50 peças €49) ou de degustação (€25) são para quem quer ver o sushiman dar largas à sua arte. J.L. R. Prof. Abel Salazar, 59, Porto > R. Helena Vieira da Silva, 92, Leça da Palmeira > T. 91 041 5777 > seg-qui 12h-15h, 19h30-23h, sex-sáb 12h-15h, 19h30-24h

A cadeia de sushi de fusão Sushisan abriu recentemente o seu primeiro restaurante no Porto

A cadeia de sushi de fusão Sushisan abriu recentemente o seu primeiro restaurante no Porto

Lucília Monteiro

Sushisan, Porto

Pouco antes da hora de almoço, o sushi bar está alinhado com postas de salmão, atum e peixe manteiga, “os três únicos peixes usados na carta”, conta-nos Carlos Guerra, responsável pelo primeiro Sushisan do Porto. Desde setembro do ano passado que a cadeia de sushi de fusão, de Paulo e Tatiana Melo, se instalou na zona da Boavista, respondendo ao pedido de vários clientes, que frequentavam os seis restaurantes de Lisboa. Da capital veio também o sushiman Sérgio Santos, brasileiro, de Minas Gerais, que há mais de 18 anos se entrega à minúcia da cozinha japonesa. A filosofia “All sushi you can eat” é uma das referências do Sushisan que, tanto ao almoço como ao jantar, serve o rodízio gourmet – 40 peças para duas pessoas, incluindo um hot Philadelphia para entrada e uma sopa de miso (almoço €13,90, jantar €17,90). A acompanhar, estão os molhos de maionese, morango e teriyaky caseiro. Se optar pela carta, conte com os gunkans, como o de morango, salmão, alho-francês e queijo creme (quatro unidades €11,70), os makis (o spice tuna combina atum picante com maionese japonesa), ou os sashimi de salmão, atum ou peixe branco (seis unidades a partir de €7,90). Se preferir os pratos quentes, encontra as tempuras (vegetariana e de camarão), os yakisoba ou o teriyaki tori san (frango grelhado com molho teriyaki e arroz). As sobremesas também se distinguem e o tentasan (mousse de chocolate, com creme mascarpone e gelado de sésamo feito na casa) é, mesmo, uma tentação. R. Dr. Emílio Peres, 62, Porto > T. 22 600 0936 > seg-sáb 12h-15h, 20h-23h

Uma versão descomplicada do sushi, para comer no restaurante ou levar para casa

Uma versão descomplicada do sushi, para comer no restaurante ou levar para casa

Lucília Monteiro

Sushi & Go – Your Sushi Store, Porto

Após 12 anos a viver no Luxemburgo, onde trabalhou no grupo líder de gastronomia japonesa, Vítor Sousa quis regressar a Portugal para aplicar os conhecimentos adquiridos na criação de uma nova cadeia de sushi. O primeiro passo foi dado em dezembro, com a abertura do restaurante na Avenida da Boavista, onde apresenta uma versão descomplicada de sushi, com fotografias das peças e a explicação dos ingredientes nas ementas. “No restaurante japonês típico, os clientes escolhem um menu free style e entregam-se nas mãos do sushiman”, explica Vítor. “Aqui sabem exatamente o que estão a comer.” O cliente tem alguns menus já preparados (“não muitos, para não perderem a qualidade”) mas, como as sugestões são fixas, rapidamente são despachados os pedidos, em caixinhas bonitas, para comer ali, no restaurante de decoração moderna sem serviço às mesas, ou para levar. O Sushi & Go assume-se, aliás, como um fast food, “sem conotação negativa, porque serve-se boa comida, feita com matéria-prima de excelência”. Disponibilizam ainda entregas ao domicílio (a partir de €12,90 ao almoço e €15 ao jantar, com a ementa para consulta), só no Porto, sem custos adicionais. J.L. Av. da Boavista, 961, Porto > T. 808 100 044 > seg- -dom 11h30-15h, 18h30-23h > http://sushi-go.pt/

Valores seguros
Mais 20 restaurantes japoneses onde vale sempre a pena regressar

Bica do Sapato – Sushi Bar, Lisboa
Desde o início de fevereiro que há um novo menu de degustação de sushi (€28 por pessoa) para experimentar no primeiro andar do restaurante Bica do Sapato. Confecionado pelo chefe João Duarte, é composto por duas entradas, dois pratos, dois segundos pratos, sobremesa, cerveja japonesa (ou copo de vinho) e café. Av. Infante D. Henrique, Armazém B, Cais da Pedra a Santa Apolónia, Lisboa > T. 21 881 0320 > seg-qua 19h-24h, qui-sáb 19h-1h

Go Juu, Lisboa
Neste restaurante, a ementa muda diariamente. Mas os combinados de sushi e sashimi, as várias tempuras e o fondue japonês (taça com caldo ou molho, dependendo do que o cliente escolher, onde são postos os diferentes ingredientes, legumes ou carnes) estão sempre presentes. R. Marquês Sá da Bandeira, 46A, Lisboa > T. 21 828 0704 > ter-sáb 11h30-14h30, 19h30-22h30, dom 11h30-14h30


Hikidashi, Lisboa
Tasca japonesa, com 22 lugares, em Campo de Ourique: hikidashi, em japonês, significa gaveta, mas também “coisas no fogo”. Na ementa do Hikidashi não há apenas pratos crus e os quentes são igualmente preparados pelo chefe Agnaldo Ferreira. Por exemplo: espetadas de carne, de beringela ou de espargos, tudo feito na chapa. R. Coelho da Rocha, 20A, Lisboa > T. 21 395 5555 > seg-dom 12h30-15h, 20h-24h

Kampai, Lisboa
Neste restaurante japonês “inspirado nos Açores”, como dizem os próprios, a maioria da matéria-prima chega do arquipélago, de que é exemplo o atum, a lula gigante e o chicharro. Tudo preparado segundo técnicas japonesas, claro. Cç. da Estrela, 35-37, Lisboa > T. 21 397 1214 > qua-seg 12h30-14h30, 19h30-22h30

Kanazawa, Lisboa
No restaurante de Tomoaki Kanazawa cabem apenas oito pessoas de cada vez. Não há ementa fixa e, por isso, os pratos mudam consoante a sazonalidade dos produtos. Há quatro menus de degustação, que variam no preço e no número de pratos: o menu tasting custa €150 e inclui cerca de 20 pratos; o Kanazawa, com 15 sugestões, por €90, e os de sushi, Oyama (oito variedades €60) e Miyazaki (13 variedades €100). R. Damião de Gois, 3A, Lisboa > seg-dom 19h30-23h

Sushi Café Avenida, Lisboa e Oeiras
A cadeia do Sushi Café, que aposta em sushi de fusão, está presente dentro dos centros comerciais Amoreiras, Colombo, Armazéns do Chiado, Atrium Saldanha e Campo Pequeno. R. Barata Salgueiro, 28, Lisboa > T. 21 192 8158 > seg-sáb 12h30-15h30, seg-qua 19h30-24h, qui-sáb até à 1h > Centro Comercial Amoreiras, Av. Engº Duarte Pacheco, lj. 1016/1020, Lisboa > T. 21 384 0299 > seg- -dom 12h-23h > Oeiras Parque, L.2001-2003, piso 2, Oeiras > T. 91 419 2171 > seg-dom 12h-23h

Sushic, Lisboa
Sushi clássico e de fusão, que começou a ser servido na ementa de um hotel em Almada. Entretanto, atravessou a ponte 25 de Abril para a margem norte do Tejo, instalando-se em três bairros diferentes: no primeiro andar do Palácio Chiado, no renovado Mercado de Algés e, em Belém, no Hotel Altis, inserido na Cafetaria Mensagem, onde o Sushic ganha o nome de Sushi and Oyster Bar by Sushic. R. do Alecrim, 70, Lisboa > T. 21 244 2270 e 91 179 1196 > dom-qui 12h-24h, sex-sáb 12h-2h > R. Luís de Camões, 14, Algés, Oeiras > T. 21 596 8019 > seg-dom 10h-24h > Altis Belém > Doca do Bom Sucesso, Belém, Lisboa > T. 21 040 0209 > seg-sáb 12h30-15h, 19h30-23h


Tasca Kome, Lisboa
Quando a japonesa Yuko Yamamoto abriu a Tasca Kome, em abril de 2014, ainda não existiam muitos restaurantes japoneses por cá. A curiosidade, aliada à boa comida, fidelizaram, desde logo, muitos comensais que continuam a encher as mesas para provar o escabeche de carapau, a tempura de legumes com lula e camarão (kakiague) ou o prato de peixe variado marinado sobre arroz de sushi com ikura (ovas de salmão), ovos e alga nori (zuke chirashi). R. da Madalena, 57, Lisboa > T. 21 134 0117 > ter-qui 12h-14h30, 19h-22h, sex 12h-15h, 19h-22h, sáb 12h30-15h, 19h-22h

Tomo, Lisboa
À hora de almoço, há 12 menus diferentes à escolha, com preços que variam entre os €16 e os 22 euros – todos incluem sopa miso e taça de arroz branco. Algumas das sugestões à prova: bife de porco ibérico panado, frango do campo grelhado com molho teriyaki, sushi e sashimi. Lg. Comandante Augusto Madureira, 2, Lisboa > T. 21 301 0705 > ter-sáb 12h30- -14h30, 19h30-22h30

Rabo d’Pêxe, Lisboa
A aposta em peixes, mariscos e carnes, sobretudo dos Açores, preparados, tanto ao gosto português como à maneira da cozinha japonesa, pelo chefe Paulo Morais. Nesta área dedicada aos sabores luso-nipónicos destaca-se o ceviche de atum, salmão e um peixe branco do dia, bem como o tataki de um peixe à escolha, que resulta num picadinho, com molho japonês e fruta. Av. Duque de Ávila, 42, Lisboa > T. 21 314 1605 > seg-qui 12h-15h, 19h30-23h30, sex-dom 12h-24h

Sushi Design, Cascais
Há duas opções muito pedidas no Sushi Design, no Farol Design Hotel, preparadas pelo sushi master Nuande Pekel. São elas: roll especial braseado e os hot uramakis com salmão, queijo creme, cebolinho, atum-bonito. Para degustar em frente ao mar. Farol Design Hotel > Av. Rei Humberto II de Itália, Cascais > T. 21 482 34 90 > ter-dom 12h30- -15h30, 19h30-23h

Midori, Sintra
Neste restaurante no primeiro andar do Penha Hotel Resort, o jantar pode começar com um misoshiro com couve crocante, chouriço e pão e prosseguir com usuzukuri de salmão, sunomono de limoncello e awayuki de eucalipto ou por um nigiri de nasu (beringela) dengaku. Tudo isto (e muito mais, na verdade) é feito pela mão talentosa do chefe Pedro Almeida, que dispensa apresentações. Penha Longa Resort > Estr. da Lagoa Azul, Sintra > T. 21 924 9011 > ter-dom 19h-23h


Terra, Porto
O restaurante segue as pisadas do Oriental, que terá sido o primeiro restaurante de sushi do Porto (ano 2000). Chefiado por Camilo Jaña, combina a cozinha mediterrânea com um sushi bar, no piso térreo, que já se tornou indispensável para os fiéis da cozinha nipónica. R. do Padrão, 103, Porto > T. 22 617 7339 > dom-qua 12h30-15h, 19h30-23h, qui 12h30-15h, 19h30-23h30, sex 12h30-15h, 19h30-01h

Ichiban, Porto
A genuína cozinha tradicional japonesa preparada pelo chefe Masaki Onishi (originário da ilha de Chubu, Japão). Av. do Brasil, 454, Porto > T. 22 618 6111 > ter-qui 12h30-15h, 19h30-23h, 12h30-15h, sex-sáb 19h30-01h


Shiko Tasca Japonesa, Porto
O chefe Ruy Leão lidera esta cozinha inspirada nas izakayas, restaurantes onde são servidas pequenas tapas para ir degustando. R. do Sol, 238, Porto > T. 22 323 9671 > ter-dom 12h30-15h, 19h30-23h

3 Hyôshi, Porto
Sushi, cocktails e tapas em três pisos. Além do sushi tradicional, o menu tem otoshi (tapas), e várias especialidades como as gyozas, sakamushi (amêijoas salteadas com saké a vapor), ramen, robata (espetada) ou kakiague (tempura de legumes). Trav. do Carmo, 5, Porto > T. 22 403 0524 > ter-qui 12h30-22h30, sex 12h30-24h, sáb 13h-24h, dom 19h-22h30

Wish, Porto
A cozinha mediterrânea do chefe António Vieira inclui uma carta de sushi para comer no restaurante ou levar para casa. Lg. da Igreja da Foz, 105, Porto > T. 91 237 5313 > dom-qui 12h-24h, sex-sáb 12h-01h


Gull, Porto
Para quem gosta de comer sushi num ambiente descontraído, e com um terraço com vista para o rio Douro. R. Cais das Pedras, 15, Porto > T. 91 430 0038 > ter-qui 12h30-15h, 18h-23h, sex-sáb 12h30-01h, dom 12h30-23h

Góshò, Porto
Cozinha japonesa e de fusão, onde não falta a cerveja de pressão japonesa. Av. da Boavista, 1277, Porto > T. 22 608 6708 > seg-sex 12h30-15h, seg-qui 19h30-23h, sex-sáb 12h30-15h, sex-sáb 19h30-00h30

Kaykou Sushi Bar, Porto
Com janelas viradas para o Jardim do Carregal, tem mesas com pinturas que contam a história do sushi. R. Clemente Menéres, Porto > T. 96 188 8048 > ter-qui 12h30-15h, 19h30-24h, sex-sáb 12h30-15h, 19h30-01h