Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Rio Maravilha: Mudança de curso

Comer e beber

Bruno Dal Bianco é o novo chefe do Rio Maravilha, o gastrobar no quarto andar do edifício principal da Lx Factory, em Alcântara. Onde a comida e os cocktails têm sempre a companhia do Tejo

Bruno Dal Bianco passou pelo Joia, dirigido por Pietro Leeman, o primeiro restaurante vegetariano a ganhar uma Estrela Michelin

Bruno Dal Bianco passou pelo Joia, dirigido por Pietro Leeman, o primeiro restaurante vegetariano a ganhar uma Estrela Michelin

António Bernando

A subida ao quarto andar faz-se por um elevador antigo, mas, para os claustrofóbicos, também existem escadas. Apenas um aviso: é preciso ter pedalada para tanto degrau. Uma vez lá em cima, há que apreciar a vista sobre a cidade de Lisboa, a Ponte 25 de Abril, o Cristo Rei e o Tejo. Em seguida, os holofotes viram-se para as iguarias do novo chefe do Rio Maravilha, o gastrobar que ocupa a antiga sala de convívio dos trabalhadores da Companhia de Fiação Lisbonense. Bruno Dal Bianco, 29 anos, comanda esta cozinha desde dezembro.

Na nova ementa, destaca-se a punheta de bacalhau, feijão-branco, tomate confit e salva frita (€10,50) e o velouté de cenoura amarela, microlegumes e caranguejo de casca mole (€10,50). As novidades prosseguem com o creme de abóbora com cogumelos tostados e carne seca (€6,60), empratado num tachinho vermelho. “Os cogumelos são salteados em manteiga e manjericão. À abóbora, tiro a tampa e as sementes e tempero com sal, pimenta e azeite, e levo ao forno, seguindo diretamente para cima das brasas. Quando retiro a abóbora, está completamente preta por fora”, explica o chefe. “Fazemos toda a cura da carne que servimos. Para este prato, troco sete vezes a cura do sal”, resume Bruno que, após ter estudado na ALMA – Scuola Internazionale di Cucina Italiana, passou pelo Joia, dirigido por Pietro Leeman, o primeiro restaurante vegetariano a ganhar uma Estrela Michelin.

O risotto – feito com arroz carolino, beterraba, grana padano 24 meses e pesto genovês (€16,90) – é, diz o chefe Bruno, uma homenagem ao seu mestre, Gualtiero Marchesi. “Ou se ama ou se odeia, é uma combinação excêntrica”, continua. Na ementa do Rio Maravilha, destaca-se ainda o bacalhau com pó de azeite (€19). Os sabores lembram um bacalhau à lagareiro, mas a apresentação é completamente diferente. Para terminar a refeição, macaron de capuccino com tiramisú, língua de gato e gelatina de marsala (€7,50), a acompanhar com um cocktail da casa.

Neste gastrobar, os cocktails criados por Diogo Petronilho podem (e devem!) acompanhar toda a refeição. Antes de se sentar à mesa, ainda na zona do bar, aprecie-se um gin fizz de manjericão e gengibre (€8) e siga com um rum sour de ananás braseado, mel, alecrim e paprika (€8).

António Bernardo

Rio Maravilha > R. Rodrigues de Faria, 103, entrada 3, piso 4, Lisboa > T. 96 602 8229 > qua-sáb 12h30-02h, ter 20h-23h e dom 13h-15h