Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A Ponte: Simplesmente qualidade

Comer e beber

  • 333

Restaurante familiar onde a ligação entre a qualidade e o preço da comida é perfeita. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva, sobre o restaurante A Ponte, em Cascais

Discretamente instalado no rés-do-chão de uma vivenda em Alvide, povoação da freguesia de Alcabideche, na periferia de Cascais, com acesso direto pela Terceira Circular, A Ponte é um pequeno restaurante de cozinha tradicional e ambiente familiar, dirigido pelo casal Orlindo e Rita Leal, ele na sala, ela na cozinha com a ajuda de uma cunhada. Tão discretamente está que mal se vê um letreio colocado sobre o alpendre, único elemento identificador, com os dizeres: “Restaurante A Ponte – Comida Regional”. De mais não precisa, porque os clientes são dali ou amigos seus, como facilmente se percebe pelo modo como falam com o anfitrião ou mesmo entre si. Tem uma sala acolhedora com decoração singela, vendo-se à entrada um sugestivo expositor de pescado.

A ementa não é muito extensa, mas tem opções suficientemente diversificadas. Para entrada há petiscos tradicionais como gambas “à guilho”, salada de polvo, peixinhos da horta, queijo fresco e queijo gratinado com doce de abóbora. Depois, convém dar atenção aos pratos do dia, um de peixe e outro de carne, entre os quais surgem algumas das melhores iguarias da casa, como o rabo de boi, que é imperdível, o rosbife com salada russa, o cabrito à padeira e a vitela estufada.

No elenco dos pratos diários destacam-se as pataniscas de bacalhau, que são finas, estaladiças e sabem ao que são, com um bom arroz de feijão a acompanhar; o polvo à lagareiro com batatas a murro e grelos; o peixe do dia que, em regra, inclui cherne, garoupa, linguado, pregado, robalo, dourada e, às vezes, espada preto e choco, irrepreensível na frescura e na forma como é preparado, seja na grelha, seja ao gosto do cliente; a moqueca e o caril de camarão, dois pratos que surpreendem com a qualidade do produto e do tempero. Menor oferta carnal com os bifes à café, cordon bleu e com cogumelos, a costeleta de vitela e a picanha entre os mais apreciados. O que não se pode perder é a paelha, que tem de ser encomendada, mas basta fazê-lo ao sair de casa, e a garoupa assada no forno, aos fins-de-semana.

Boa doçaria tradicional: abóbora com requeijão, tarte de maçã, arroz-doce, leite-creme, toucinho do céu e encharcada. Garrafeira adequada com um branco e um tinto a copo. Serviço simpático. Excelente relação entre a qualidade e o preço.

A Ponte > R. de São Bernardo, Vivenda Ramos, Alvide, Cascais > T. 214 834 315 > ter-sáb 12h-16h, 19h-23h, dom 12h-16h > €20 (preço médio)