Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Há petiscos escolhidos a dedo no Jasmim da Mouraria

Comer e beber

  • 333

É ao final do dia que apetece ficar sentado na esplanada do Jasmim da Mouraria, em Lisboa, a comer uma tábua de queijos ou de enchidos, a beber um copo de vinho e a apreciar a vista

Na ementa da cafetaria Jasmim da Mouraria, encontram-se pratos suficientes para se fazer um lanche ajantarado

Na ementa da cafetaria Jasmim da Mouraria, encontram-se pratos suficientes para se fazer um lanche ajantarado

Vale a pena esperar por uma mesa livre na esplanada da cafetaria Jasmim da Mouraria, aberta em meados de junho, em Lisboa. É o melhor sítio para se apreciar a vista que alcança o casario da Mouraria e que também revela pormenores do bairro vizinho da Graça. Aqui já funcionou uma mercearia e, depois, uma churrasqueira. Agora que os irmãos Miguel, 35 anos, e Frederico Alexandre, 36, tomaram conta da casa, podem pedir-se petiscos, acompanhados por um copo de vinho.

Na curta ementa – a falta de exaustor não permite a utilização do fogão – encontram-se pratos suficientes para se fazer um lanche ajantarado. O ceviche lidera a tabela dos mais pedidos. Seguem-se as sandes de barriga de porco assado em forno de lenha, a salada de bacalhau com feijão-frade (€6,50) e as conservas de sardinhas (€5,50), que chegam à mesa na companhia de pão. Para provar há ainda tábuas de enchidos (€8) compostas por paiola, painho e presunto, que são de origem alentejana, na maior parte dos dias: “Não é obrigatório serem desta região, têm é que ser bons”, diz Miguel Alexandre, com formação em cozinha (passou pelas cozinhas do Altis Belém Hotel & Spa e do restaurante Rio’s).

“Vou buscar diretamente ao produtor os vinhos, o azeite e os enchidos”, explica Miguel, sublinhando que a carta de vinhos não é extensa e não tem referências que se vendam nos supermercados. “Só temos vinhos nacionais, servidos a copo ou garrafa, de produtores pequenos. Como o branco e o tinto da Herdade de Monte Cruz, produzidos na região de Portel, e o Golpe, da região do Douro”, exemplifica Frederico, que ali passa dois dias da semana para ajudar o irmão mais novo. “Somos os dois mandões, mas como mandamos em coisas diferentes não há problema”, acrescenta, brincalhão. Muito em breve, adiantam, haverá fado e atuações ao vivo, quase todos os dias da semana, às 17 e 30. Aguardamos.

A cerca de 50 metros, a dupla de irmãos Miguel e Frederico espera abrir, em breve, um novo restaurante. Neste novo cantinho, equipado com cozinha, poderão experimentar-se os verdadeiros cozinhados de Miguel Alexandre. “Estamos há cerca de cinco anos à espera de licenças. Gostávamos que estivesse a funcionar no próximo verão”, dizem.

Na esplanada do Jasmim da Mouraria, a vista alcança o casario da Mouraria e o bairro vizinho da Graça

Na esplanada do Jasmim da Mouraria, a vista alcança o casario da Mouraria e o bairro vizinho da Graça

Jasmim da Mouraria > R. João do Outeiro, 54, Lisboa > seg-dom 15h-24h