Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

No Torreão, as refeições fazem mais sentido

Comer e beber

  • 333

A instituição de solidariedade social Serviços de Assistência Organizações de Maria abriu um restaurante no Porto. O Torreão tem uma belíssima vista para o Douro e uma ementa tentadora

 “Não é um restaurante social, mas um projeto de economia social”, sublinha Luísa Neves, que há anos imaginava que a instituição de solidariedade social pudesse abrir um restaurante aqui

“Não é um restaurante social, mas um projeto de economia social”, sublinha Luísa Neves, que há anos imaginava que a instituição de solidariedade social pudesse abrir um restaurante aqui

Lucília Monteiro

O Torreão – aberto há dois meses nas Virtudes, no Porto, num dos torreões da muralha fernandina do século XIV – não é um restaurante nascido, como tantos, do sonho de um chefe de cozinha. Há anos que Luísa Neves, voluntária dos Serviços de Assistência Organizações de Maria (SAOM), imaginava que a instituição de solidariedade social pudesse abrir um restaurante no torreão que lhe servia de armazém. Ao lado, na casa-mãe, desde 2006 que se oferecia formação de cozinha, pastelaria e serviço de mesa a pessoas sem-abrigo ou em risco de exclusão social, no projeto Dar Sentido à Vida. Há muito também que a SAOM aprendera a arranjar financiamento, nomeadamente através de serviços de catering.

A ideia de um restaurante onde os clientes são servidos por esses formandos e onde as receitas financeiras ajudam quem precisa foi, finalmente, concretizada. “Não é um restaurante social, mas um projeto de economia social”, sublinha Luísa Neves. Cantina social é outra coisa, essa está na casa ao lado e alimenta 200 pessoas por dia. O Torreão, nascido numa antiga casa de pedra, com uma esplanada de vista soberba sobre o Douro, Vila Nova de Gaia e a zona histórica do Porto, não fica atrás de outros restaurantes afamados da cidade. Aqui serve-se “cozinha tradicional portuguesa com um toque mais moderno”, descreve o chefe Carlos Correia, outrora dono do In-Diferente.

A esplanada do Torreão tem uma vista soberba sobre o Douro, Vila Nova de Gaia e a zona histórica do Porto

A esplanada do Torreão tem uma vista soberba sobre o Douro, Vila Nova de Gaia e a zona histórica do Porto

Lucília Monteiro

Nas entradas, encontram-se petiscos como as costelinhas em vinha d’alhos (€5) ou os rojões com castanhas de Trás-os-Montes (€6,50). Nos peixes, têm ganho adeptos a perna de polvo assado com maionese de alho (€16) e o bacalhau em crosta de broa (€13). Já nas carnes, provem-se as costeletas de cordeiro de leite com molho de mel e ervas (€12) ou as bochechas de porco preto confitadas com puré de grão-de-bico (€13,50).

Além dos já célebres ovos-moles das Virtudes, existe um “mix conventual” de pudim abade de Priscos, papos de anjo e toucinho-do-céu (€12,50/duas pessoas). Uma gulodice, sim – mas o que importa, lembra Luísa Neves, é que “a sociedade civil tem a responsabilidade de resolver problemas de todos nós”.

A ementa do Torreão não fica atrás da de outros restaurantes afamados da cidade

A ementa do Torreão não fica atrás da de outros restaurantes afamados da cidade

Torreão > R. das Virtudes, 37, Porto > T. 91 9471037 > seg-qui 12h-15h, 19h-22h, sex-sáb 12h-15h, 19h-23h30