Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Botequim volta à graça

Visão Se7e

Novo polo cultural de Lisboa recupera a memória de Natália Correia

Sentada numa das poucas mesas do restaurante, uma estrangeira alta e bonita, enquanto come uma salada e bebe vinho, escuta primeiro Doors e a seguir Zeca Afonso. Carlos Serra, programador do espaço, mostra-lhe a capa do vinil. Respondendo à questão sobre o que a leva até ao número 79 do Largo da Graça diz "primeira vez em Portugal, primeiro dia em Lisboa, primeiro sítio" que sorte ter o Botequim como anfitrião. É o mesmo Botequim da escritora, poetisa e deputada Natália Correia (falecida em 1993), que há três dias (13 de setembro) teria celebrado o seu 87.º aniversário. Quinze anos depois, uma das referências nos meios intelectuais e políticos de Lisboa dos anos de 1970 e 80, do século XX, reabre as suas portas. A "culpa" é do "sonho acordado" dos amigos Alexandra Vidal, 30 anos, e Hugo Costa, 29. Há um ano, despediram-se dos seus empregos, numa editora literária e numa cadeia de hipermercados, respetivamente, e decidiram abrir "qualquer coisa", a qual passou a ser uma agência literária.

"Ao procurarmos um escritório encontrámos o Botequim", explicam. Não conseguiram fugir à tentação de o restaurar. "Os tetos estavam em muito mau estado, as paredes a cair e não havia cozinha". Agora, por cima da porta continua o letreiro dos anos 70, o balcão é o original e atrás dele um retrato a preto e branco de Natália Correia de boquilha em riste personifica a alma do Botequim. Quatro estantes guardam livros, discos, telefonia, máquinas fotográficas, caixas, garrafas. por sete mesas divide-se uma vintena de lugares, todos com cadeiras diferentes. A pesquisa exaustiva e o testemunho espontâneo dos moradores mais antigos da Graça foi uma ajuda preciosa para Alexandra e Hugo.

Da cozinha saem petiscos deliciosos, com ingredientes comprados no comércio local, como bruschetta de queijo de cabra, queijo picante da Beira Baixa, prego no bolo do caco com manteiga de alho, filetes de biqueirão em escabeche, carpaccio de muxama de atum ou croc madame (tosta mista com ovo estrelado). Para beber, antes que o tempo arrefeça e entre a carta de tisanas e de aguardentes prove um Subitamente no Verão (porto branco, limonada e hortelã).

Às quintas-feiras, as noites cosmopolitas são de concerto, mas no Botequim as manhãs também podem ser especiais. Sem dúvidas afirmam: "a herança é pesada e tem de ser continuada."

BOTEQUIM Lg. da Graça, 79, Lisboa T. 21 888 8511 Seg-Dom 9h-00h30