Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Tertúlia VISÃO: Ideias à volta do Jornalismo

Especial aniversário

  • 333

Há muitas maneiras de comemorar os 20 anos da VISÃO. E uma delas pode muito bem ser conversando. É para isso que servem as tertúlias e é com elas que vamos passar um ano a discutir o Jornalismo e as suas ligações à Literatura

Rodrigo Guedes de Carvalho, Carlos Vaz Marques, Ana Margarida de Carvalho, Marta Moita e Vasco Durão vão dar a partida (dia 11 de Abril, às 18h30) ao ciclo de tertúlias que tem o apoio da revista VISÃO e organização da Faculdade de Letras. Maria Teresa Horta, José Carlos Vasconcelos, Fernando Dacosta, Cesário Borga e Sílvia Souto Cunha são alguns dos que se seguirão. Todos os meses, na FNAC do Centro Comercial Colombo, em Lisboa.

Na primeira tertúlia falar-se-á de histórias. E de como contá-las tem muito que se lhe diga. Escritas, faladas, dançadas, pintadas. Poucas coisas serão mais universais do que as histórias. Podendo variar no formato, fazem parte da vida de todos nós - da meninice à velhice. O Jornalismo dá-nos histórias diariamente. Mas como serão elas entendidas pelos nossos cérebros? Talvez Marta Moita, neurocientista da Fundação Champalimaud, tenha a resposta. Ou Vasco Durão, estratega de comunicação, nos consiga levar até ao lugar da nossa criatividade onde as histórias se aninham antes de termos uma ideia. E será uma narrativa falada tão sentida como uma televisiva? Carlos Vaz Marques entrevista contadores de histórias nos seus programas de rádio na TSF e está prestes a lançar em Portugal a revista literária Granta. Rodrigo Guedes de Carvalho apresenta os noticiários da SIC, mas também escreve livros e guiões de cinema. O que muda de uns formatos para outros? Grande Repórter da revista VISÃO e co-autora do site sobre cinema Final Cut, Ana Margarida de Carvalho conhece bem as diferentes narrativas conseguidas pela palavra e pela imagem.

Desta miscelânea de olhares sairão discussões sobre Jornalismo e Literatura. São coisas diferentes? São. Mas cruzam-se cada vez mais. O jornalismo, que serve a nobre missão de informar, tenderá a ser mais literário para continuar a cumprir o seu papel enquanto bem cívico. A literatura, sagaz a expor as contradições humanas, tem-se aproximado do jornalismo, de encontro aos leitores. 

Porque a realidade é muito mais do que factos, numa época em que a informação está em todo o lado, o jornalismo terá de servir de montra dessas contradições, contextualizando-as e ajudando a compreendê-las. O Jornalismo literário permite um espaço único de comunicação, de aprofundamento e de compreensão da sociedade, ajudando a tornar os temas contemporâneos mais acessíveis ao público em geral. Vale, por isso, a pena olhá-lo com mais atenção.

O mundo é hoje um lugar complexo, onde as soluções só surgirão numa perspectiva holística, que pense no todo sem deixar de se preocupar com o particular. Por isso, não passarão por aqui apenas escritores e jornalistas. Neurocientistas, atores, músicos, investigadores, criativos, poetas, médicos e artistas plásticos estarão a trocar ideias. Ou, como rezam as definições de tertúlia, a reunir gente para discutir e conversar. 

Aqui vai falar-se de jornalismo e literatura. Ou seja: aqui vai falar-se de tudo o que mexe com as nossas vidas. A actualidade, as emoções e as expressões de ambas. O debate destas tertúlias, surgidas no âmbito do núcleo de Jornalismo e Literatura do Clepul, centro de investigação da Faculdade de Letras, e associadas às comemorações dos 20 anos da revista VISÃO, será replicado através do sítio da VISÃO e da Universidade Aberta, com o apoio do Clube de Jornalistas.

Alguns acreditam que o Jornalismo literário vai tornar-se o jornalismo convencional, a norma. Será isso possível? Desejável? Respostas, procuram-se. Numa tertúlia perto de si.

Todas as Tertúlias

1ª) A Arte de Contar. Todos os caminhos vão dar a histórias

11 de abril 2013

Com: Rodrigo Guedes de Carvalho (Jornalista SIC); Carlos Vaz Marques (Jornalista TSF); Vasco Durão (Estratega de Comunicação); Marta Moita (Neurocientista Fundação Champalimaud); Ana Margarida de Carvalho (Jornalista VISÃO)

2ª) Olhar o Contemporâneo. Como a literatura olha o contemporâneo e como o jornalismo influi sobre ele

9 de maio de 2013

Com: Fernando Dacosta (escritor e ex-jornalista VISÃO); Cesário Borga (escritor e ex-jornalista RTP); Pedro Vieira (Cabal Q); Teresa Flores (investigadora)

3ª) Letras e Artes. Exprimir emoções, com e para além da palavra

20 de junho de 2013

Com: Maria Teresa Horta (escritora); José Carlos Vasconcelos (JL); Sílvia Souto Cunha (VISÃO)

LOCAL: FNAC CCColombo