Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugueses em rede

Especial aniversário

  • 333

Hoje, o sentido de comunidade entre emigrantes constrói-se, sobretudo, nas redes sociais - antes ainda de partirem. Conheça alguns sites que o podem ajudar

NA REDE

  • The star tracker - Rede reservada a membros e convidados que promove o talento nacional no mundo, contribuindo para a melhoria da imagem de Portugal. É obrigatório ter nacionalidade portuguesa, trabalhar no estrangeiro ou planear fazê-lo

  • PortugalinUK - Plataforma criada em janeiro deste ano, que reúne informações sobre o Reino Unido. No site, pode encontrar oportunidades de trabalho e ficar a par de eventos culturais ou comprar produtos portugueses

  • Grouuer - Plataforma que tem como objetivo estabelecer ligações pessoais e profissionais, facilitando a criação de pontes entre os portugueses que vivem em Portugal e no resto do mundo. Tem como grito de guerra: "Vamos unir o que é nosso" 

  • Emprego pelo mundo - Além do site, cheio de ofertas de emprego e dicas úteis, o grupo existe no Facebook (Portugueses à Volta do Mundo - Oportunidades), onde já tem 4 mil membros. Nasceu para "ajudar os compatriotas"

  • Como emigrar - "Tudo o que precisa para uma nova vida", promete Ricardo Raimundo, desenhador desempregado, que criou o site em janeiro deste ano com o propósito de se informar a si próprio. Além da presença no Facebook, ganhou, entretanto, uma comunidade e um site de empregos

  • Gap Year Portugal - Tem como finalidade divulgar o conceito de "ano sabático" após o ensino secundário e ajudar a concretizá-lo. Ainda tem poucos portugueses registados no estrangeiro, mas vai conquistando likes no Facebook e fez sucesso na Futurália 

O site Como emigrar http://comoemigrar.net foi criado em janeiro deste ano. Além da presença no Facebook, ganhou, entretanto, uma comunidade e um site de empregos. Ricardo Raimundo, desenhador desempregado, conta como tudo começou e qual tem sido o feedback.

"Estou desempregado, sou desenhador (Técnico CAD), profissão que desempenhei durante dois anos até outubro passado, sempre a recibos verdes e a receber salário mínimo.

De um momento para o outro, a minha entidade patronal (se assim se pode chamar) deixou de contar com os meus serviços, sem me comunicar, já que, estando a recibos verdes, bastou dizer-me uma vez que me chamaria quando precisasse. Aguardo até hoje essa chamada.

Estava no 2.º ano de Engenharia Civil e anulei a matrícula por falta dinheiro para continuar a pagar as propinas. Sem trabalho e sem estudo, tive de me virar para o que podia.

Tenho diversos conhecimentos web, tal como gestão e implementação de sites, sou webmaster autodidata. Como o pensamento emigrar 'veio à baila', decidi juntar tudo e iniciar um novo projeto.

O Como Emigrar nasceu com o propósito de me informar a mim próprio, mas o projeto foi crescendo e tomou proporções às quais tento responder o melhor que posso e sei.

Não sou especializado na matéria, apenas estudo bastante e revejo tudo o que é site de emigração para poder responder convenientemente a quem nos procura. Neste momento dediquei-me com mais afinco à partilha de ofertas de emprego no estrangeiro para portugueses, mas este não é o verdadeiro intuito do Como Emigrar. A sua verdadeira essência é prestar auxílio a quem nos procura - é isso que faço com mais incidência.

Escusado será dizer que me chegam todos os dias mensagens e emails de pessoas a pedirem emprego, mas estes nem são os piores casos. Pior é receber dezenas de mensagens de pessoas totalmente desesperadas.

Não vou revelá-las porque são privadas, mas digo-vos que é confrangedor e revoltante não podermos fazer nada. Muitas pessoas enviam mensagens que encaro como desabafos; já não têm quem as ajude e procuram apenas um porto que as ouça.

Casos práticos existem, mas só prestei auxílio em termos de informações de emigração, não sei o que se passou a seguir. Já tive muitos agradecimentos, mas as pessoas seguem o seu caminho e não voltam a contactar-me. Portanto, não tenho definido X ou Y que foram inteiramente ajudadas por mim, embora saiba que existem casos.

Quanto à aderência das plataformas, é imensa. O meu site no domínio principal arrancou no início de janeiro. Desde aí, já tivemos centenas de milhar de visitas. A nossa página no Facebook chegou sem grande esforço aos 10 mil gostos e continua a subir, portanto a procura é imensa.

Entretanto, durante estes dois últimos meses, criei mais duas plataformas anexas: uma comunidade http://comunidade.comoemigrar.net/ e um site de empregos http://emprego.comoemigrar.net . As visitas não têm parado de aumentar. Poder-se-á dizer que a procura é enorme e com tendência a aumentar cada vez mais; noto isso nas estatísticas diárias."