Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Uma câmara que grava os cheiros em vez de fotografias

Sociedade

Amy Radcliffe, designer, trouxe ao mundo uma nova tecnologia que permite armazenar memórias olfativas  

Intitulado "Madeleine", este projeto trata-se de um equipamento novo que não grava imagens, mas sim cheiros. Para Radcliffe, este é o sentido que mais faz o ser humano reagir de forma instinta. Em contrapartida, explica que é também o sentido mais difícil de armazenar.

A captação de cheiros é possível porque a máquina desenvolvida é constituída por um funil - que se coloca sobre o objeto ou ambiente pretendido -, e por uma bomba que absorve o ar cercado por esse funil. Por sua vez, essa bomba tem a capacidade de neutralizar as partículas que formam os aromas. Sendo assim "possível recriar artificialmente o odor" desejado.

Deste modo, a designer foge à tendência de publicação de imagens, fotografias e vídeos a que assistimos constantemente: "Tiramos fotografias a tudo e colocamos tudo na internet. Chegámos a um ponto em que tudo é infinitamente reproduzível e descartável", conclui Radcliffe.

Esta ideia surgiu de um projeto de mestrado em Artes e Desgin, na Central Saint Martins em Londres, no Reino Unido.