Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Três aldeias ideais para fugir da confusão

Sociedade

  • 333

Em contracorrente, rumámos por estradas quase desertas, trocámos as praias a abarrotar de gente pelo cantar do galo e as buzinas do trânsito pela da carrinha do pão. É mesmo verdade: está-se muito bem no campo. CONHEÇA TRÊS ALDEIAS ideais para umas férias em tranquilidade

.
1 / 37

.

Que inferno é este, que pinta o planalto com o amarelo das ervas secas e o põe como pano de fundo de azinheiras, sobreiros e dos zimbros, tão característicos do Parque Natural do Douro Internacional?
2 / 37

Que inferno é este, que pinta o planalto com o amarelo das ervas secas e o põe como pano de fundo de azinheiras, sobreiros e dos zimbros, tão característicos do Parque Natural do Douro Internacional?

Todos os dias Venâncio Maria Paulo faz caminhadas pela sua aldeia. No bolso leva uma foto dos tempos em que, nos anos 50, os pais descobriram com um arado, um achado da Idade do Ferro
3 / 37

Todos os dias Venâncio Maria Paulo faz caminhadas pela sua aldeia. No bolso leva uma foto dos tempos em que, nos anos 50, os pais descobriram com um arado, um achado da Idade do Ferro

Nas noites quentes, os habitantes da aldeia (bem visto, são quase todos familiares) sentam-se num banco a contar lhonas (histórias em mirandês)
4 / 37

Nas noites quentes, os habitantes da aldeia (bem visto, são quase todos familiares) sentam-se num banco a contar lhonas (histórias em mirandês)

Casimiro Pires foi pauliteiro na juventude, mas não esqueceu os lhaços (cantigas). Emociona-se ao recordá-los na sala de sua casa
5 / 37

Casimiro Pires foi pauliteiro na juventude, mas não esqueceu os lhaços (cantigas). Emociona-se ao recordá-los na sala de sua casa

Ângelo Arribas é gaiteiro desde miúdo. Hoje vê, satisfeito, que há muitos mais gaiteiros do que quando ele começou a tocar, reavivando a tradição.
6 / 37

Ângelo Arribas é gaiteiro desde miúdo. Hoje vê, satisfeito, que há muitos mais gaiteiros do que quando ele começou a tocar, reavivando a tradição.

Fernando Garcia levanta-se cedo para ir pescar para o Douro. Traz bogas, barbos, carpas, lúcios…
7 / 37

Fernando Garcia levanta-se cedo para ir pescar para o Douro. Traz bogas, barbos, carpas, lúcios…

As amigas Angelina e Angélica põe a conversa em dia à sombra de uma casa em ruínas, na parte antiga da aldeia. Aos turistas, que passam a perguntar por um dos miradouros mais conhecidos do Douro Internacional, falam numa mistura de português com mirandês.
8 / 37

As amigas Angelina e Angélica põe a conversa em dia à sombra de uma casa em ruínas, na parte antiga da aldeia. Aos turistas, que passam a perguntar por um dos miradouros mais conhecidos do Douro Internacional, falam numa mistura de português com mirandês.

As irmãs Anabela e Bernardete Galego deixaram os empregos que tinham em Braga para regressar à aldeia natal. É lá que agora estão a montar uma cozinha regional. Para já, cozem pão e doces que desaparecem num abrir e fechar de olhos
9 / 37

As irmãs Anabela e Bernardete Galego deixaram os empregos que tinham em Braga para regressar à aldeia natal. É lá que agora estão a montar uma cozinha regional. Para já, cozem pão e doces que desaparecem num abrir e fechar de olhos

As irmãs Anabela e Bernardete Galego deixaram os empregos que tinham em Braga para regressar à aldeia natal. É lá que agora estão a montar uma cozinha regional. Para já, cozem pão e doces que desaparecem num abrir e fechar de olhos
10 / 37

As irmãs Anabela e Bernardete Galego deixaram os empregos que tinham em Braga para regressar à aldeia natal. É lá que agora estão a montar uma cozinha regional. Para já, cozem pão e doces que desaparecem num abrir e fechar de olhos

Ao fim da tarde, os abutres a planar sobre o Douro são às dezenas
11 / 37

Ao fim da tarde, os abutres a planar sobre o Douro são às dezenas

À volta da aldeia, eram muitos os moinhos de água. Um pode visitar-se graças à Frauga, a Associação criada para perpetuar memórias e desenvolver a aldeia
12 / 37

À volta da aldeia, eram muitos os moinhos de água. Um pode visitar-se graças à Frauga, a Associação criada para perpetuar memórias e desenvolver a aldeia

No Castro de Cigaduenha desafiam-se as vertigens para ver uma paisagem imponente
13 / 37

No Castro de Cigaduenha desafiam-se as vertigens para ver uma paisagem imponente

Do miradouro da Fraga do Puio vê-se o rio Douro formar uma curva apertada entre as imponentes arribas
14 / 37

Do miradouro da Fraga do Puio vê-se o rio Douro formar uma curva apertada entre as imponentes arribas

.
15 / 37

.

A aldeia, com um casario em pedra quartzítica, apesar de integrar a Rota das Aldeias do Xisto, fica na encosta da Serra do Espinhal e preserva ainda alguns costumes comunitários
16 / 37

A aldeia, com um casario em pedra quartzítica, apesar de integrar a Rota das Aldeias do Xisto, fica na encosta da Serra do Espinhal e preserva ainda alguns costumes comunitários

Todas as manhãs, Benilde Vaz ou o vizinho Valdemar Gosinho, abrem a porta dos currais e conduzem as cabras de ambos pelos caminhos que dão acesso à Serra
17 / 37

Todas as manhãs, Benilde Vaz ou o vizinho Valdemar Gosinho, abrem a porta dos currais e conduzem as cabras de ambos pelos caminhos que dão acesso à Serra

Lucília Galha tem em casa a buzina que os pastores antigamente usavam para reunir o gado de toda a aldeia
18 / 37

Lucília Galha tem em casa a buzina que os pastores antigamente usavam para reunir o gado de toda a aldeia

José Vaz é com 83 anos o mais velho habitante da aldeia. Adora falar com os turistas, contar histórias dos tempos em que o rebanho de Ferraria tinha mais de 1000 cabeças de gado. Aqui, está junto aos cerca de 50 currais da aldeia, bem preservados
19 / 37

José Vaz é com 83 anos o mais velho habitante da aldeia. Adora falar com os turistas, contar histórias dos tempos em que o rebanho de Ferraria tinha mais de 1000 cabeças de gado. Aqui, está junto aos cerca de 50 currais da aldeia, bem preservados

Benilde Vaz emigrou para Moçambique, mas não esqueceu como se faz o queijo com o leite da ordenha. Mostra a arte aos turistas, na cozinha de sua casa
20 / 37

Benilde Vaz emigrou para Moçambique, mas não esqueceu como se faz o queijo com o leite da ordenha. Mostra a arte aos turistas, na cozinha de sua casa

A carrinha do pão entra todas as manhãs a apitar pela aldeia. A sua chegada é motivo de reunião
21 / 37

A carrinha do pão entra todas as manhãs a apitar pela aldeia. A sua chegada é motivo de reunião

Lucília Graça é das poucas pessoas que conserva a tradicional «gaivota», um engenho que lhe permite extrair água do poço
22 / 37

Lucília Graça é das poucas pessoas que conserva a tradicional «gaivota», um engenho que lhe permite extrair água do poço

As cabras de António Assunção são «curraleiras». Prefere cortar e levar-lhes erva brava ao curral em vez de ter o trabalho de ir com elas para o monte
23 / 37

As cabras de António Assunção são «curraleiras». Prefere cortar e levar-lhes erva brava ao curral em vez de ter o trabalho de ir com elas para o monte

O Benfica é um dos muitos cães da Ferraria. Habituou-se a andar de bicicleta com o dono
24 / 37

O Benfica é um dos muitos cães da Ferraria. Habituou-se a andar de bicicleta com o dono

Maria Rodrigues e o marido escolheram a aldeia para viver e foram, em conjunto com outros jovens casais, fundadores da Associação de Moradores de Ferraria de São João. O sobreiral da terra tem mais de duas centenas de árvores, algumas ainda à espera de serem adotadas
25 / 37

Maria Rodrigues e o marido escolheram a aldeia para viver e foram, em conjunto com outros jovens casais, fundadores da Associação de Moradores de Ferraria de São João. O sobreiral da terra tem mais de duas centenas de árvores, algumas ainda à espera de serem adotadas

Sofia Sampaio e Pedro Pedrosa são os pais dos mais jovens habitantes da aldeia: dois gémeos de meses que, em breve, brincarão com o burro Chico e a galinha Doida.
26 / 37

Sofia Sampaio e Pedro Pedrosa são os pais dos mais jovens habitantes da aldeia: dois gémeos de meses que, em breve, brincarão com o burro Chico e a galinha Doida.

.
27 / 37

.

A Amieira fica mesmo junto ao Alqueva, a meio caminho entre Reguengos e Portel. Nas tardes de maior calor, o difícil é escolher: fazer uma sesta no fresquinho das velhas casas alentejanas ou dar um mergulho no maior lago artificial da Europa?
28 / 37

A Amieira fica mesmo junto ao Alqueva, a meio caminho entre Reguengos e Portel. Nas tardes de maior calor, o difícil é escolher: fazer uma sesta no fresquinho das velhas casas alentejanas ou dar um mergulho no maior lago artificial da Europa?

A paisagem alentejana mudou radicalmente com a construção da barragem do Alqueva. Hoje, no meio da planície dourada, há água. Muita água. Por vezes parece irreal, mas não é uma miragem
29 / 37

A paisagem alentejana mudou radicalmente com a construção da barragem do Alqueva. Hoje, no meio da planície dourada, há água. Muita água. Por vezes parece irreal, mas não é uma miragem

Vale a pena navegar por umas horas, alugar um barco-casa ou andar de aldeia em aldeia, pelas margens do lago gigante. Estão garantidos passeios inesquecíveis
30 / 37

Vale a pena navegar por umas horas, alugar um barco-casa ou andar de aldeia em aldeia, pelas margens do lago gigante. Estão garantidos passeios inesquecíveis

Há cada vez mais pessoas a passar férias em barcos, nas margens do Alqueva. Uma opção que, não sendo barata, se adequa na perfeição a quem tem espírito de aventura
31 / 37

Há cada vez mais pessoas a passar férias em barcos, nas margens do Alqueva. Uma opção que, não sendo barata, se adequa na perfeição a quem tem espírito de aventura

Na Amieira existem cinco casas da Aldeia do Lago para alugar, a partir de 55 euros por dia. Com diferentes tipologias, estão integradas na aldeia, respeitando a arquitetura e tradições locais
32 / 37

Na Amieira existem cinco casas da Aldeia do Lago para alugar, a partir de 55 euros por dia. Com diferentes tipologias, estão integradas na aldeia, respeitando a arquitetura e tradições locais

A aldeia é uma boa opção para famílias com crianças. As casas permitem uma «respiração» extra, em relação a um quarto de hotel, e o pequeno-almoço chega logo pela manhã, em cestinhos de verga, com pão, croissants, queijo, paio, doces e mel
33 / 37

A aldeia é uma boa opção para famílias com crianças. As casas permitem uma «respiração» extra, em relação a um quarto de hotel, e o pequeno-almoço chega logo pela manhã, em cestinhos de verga, com pão, croissants, queijo, paio, doces e mel

O serão passa-se num dos quatro cafés, mais homens que mulheres, como dantes. E de preferência na rua. No Bico, nome de família do proprietário, joga-se conversa fora com uma jovialidade extraordinária. Aqui todos se conhecem
34 / 37

O serão passa-se num dos quatro cafés, mais homens que mulheres, como dantes. E de preferência na rua. No Bico, nome de família do proprietário, joga-se conversa fora com uma jovialidade extraordinária. Aqui todos se conhecem

Na aldeia existe uma salsicharia que recebe carnes dos matadouros da zona e as transforma em paios, chouriços e farinheiras. Paulo Ramos vive por cima desta pequena fábrica : os enchidos Conde, cujo segredo reside nas receitas da sua sogra
35 / 37

Na aldeia existe uma salsicharia que recebe carnes dos matadouros da zona e as transforma em paios, chouriços e farinheiras. Paulo Ramos vive por cima desta pequena fábrica : os enchidos Conde, cujo segredo reside nas receitas da sua sogra

Na Amieira fazem-se largadas de touros e coze-se pão à moda antiga, para acompanhar os enchidos ou o queijo e o mel da terra. Na melaria da serra do Portel faz-se a extração do néctar e embala-se, em média, 25 toneladas por ano
36 / 37

Na Amieira fazem-se largadas de touros e coze-se pão à moda antiga, para acompanhar os enchidos ou o queijo e o mel da terra. Na melaria da serra do Portel faz-se a extração do néctar e embala-se, em média, 25 toneladas por ano

O castelo medieval da Amieira é um dos ex-líbris da aldeia, a par da sua praça de touros, com os muros altos pintados de branco e vermelho
37 / 37

O castelo medieval da Amieira é um dos ex-líbris da aldeia, a par da sua praça de touros, com os muros altos pintados de branco e vermelho

NORTE 

PICOTE Um 'cachico' de céu

Em Picote, olha-se para baixo e vê-se um Douro que é fronteira: olha-separa cima e observa-se abutres a planar. Entre o céu e a terra, há uma gente hospitaleira, cheia de tradições para contar. Em mirandês ou não estivéssemos nós no Planalto.

CENTRO 

FERRARIA DE SÃO JOÃO O que foi, aos poucos, volta a ser

Em Ferraria de São João ainda se divide a água da mina, há cabras ordenhadas pela vizinha, leite que se transforma em queijo na cozinha de casa. Quem chega, tem com quem conversar. E pode adotar um sobreiro ou perder-se a pé e de BTT por trilhos verdes.

SUL 

AMIEIRA  Relatos da 'minha' aldeia

Na Amieira fazem-se largadas de touros e coze-se pão à moda antiga, para acompanhar os enchidos ou o queijo e o mel da terra. Nas tardes de maior calor, o difícil é escolher: fazer uma sesta no fresquinho das velhas casas alentejanas ou dar um mergulho no maior lago artificial da Europa?

LEIA AS TRÊS REPORTAGENS NA ÍNTEGRA NA VISÃO QUE ESTÁ NAS BANCAS