Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Tremer de frio pode ser tão eficaz para emagrecer como o exercício

Sociedade

Um estudo realizado por investigadores australianos e americanos concluiu que tremer de frio queima as mesmas calorias que praticar exercício físico moderado.

Ser friorento afinal tem vantagens. Segundo um estudo recente, os mais friorentos têm mais probabilidade de emagrecer facilmente, pois o frio leva a que o corpo produza calor para manter a sua temperatura normal, processo que obriga a queimar tantas calorias como, por exemplo, andar de bicicleta.

O estudo foi realizado no Instituto de Pesquisas Médicas Garvan, em Sydney, nos Institutos Nacionais de Saúde Americanos (NIH, sigla inglesa) e contou com dois testes, onde participaram alguns indivíduos.

Primeiro, os participantes permaneceram 15 minutos dentro de uma sala refrigerada, com temperaturas entre os 12º e os 18ºC. No intervalo de temperaturas entre 14º e 16ºC já se encontravam a bater o dente. Num segundo teste, fizeram uma hora de bicicleta a um ritmo moderado e outros exercícios físicos.

"Descobrimos que andar de bicicleta, durante uma hora a um ritmo moderado, produziu a mesma quantidade de irisina que tremer por 10 a 15 minutos", disse Paul Lee, coordenador do estudo. A irisina é uma hormona que o músculo liberta quando treme e é a responsável pela conversão do tecido adiposo branco - a gordura indesejada que armazena energia - em tecido adiposo castanho - onde a energia, em vez de armazenada, é usada para gerar calor.

"Quando sentimos frio, primeiro ativamos a nossa gordura castanha, porque queima energia e emite calor para nos proteger. Mas quando essa energia é insuficiente, [tem que se produzir mais e, para isso,] o músculo contrai-se mecanicamente, ou treme, gerando calor dessa forma", explicou.

Para Lee, a explicação está no facto de o exercício físico e o tremer provocarem os mesmos efeitos nos músculos. "A nossa especulação é que o exercício físico imita o ato de tremer, pois há contração muscular durante ambos os processos", afirmou.