Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sem água, sem luz, sem gás

Sociedade

  • 333

Para sobreviverem, cada vez mais portugueses roubam água nas bombas de gasolina, desempoeiram candeeiros a petróleo e comem apenas o que não precisa de ser cozinhado. A VISÃO foi ver como se vive hoje em oito casas nas quais já só restam as memórias de banhos longos, assados no forno ou aquecedores elétricos - antigos luxos da classe média

.
1 / 33

.

.
2 / 33

.

.
3 / 33

.

.
4 / 33

.

.
5 / 33

.

.
6 / 33

.

.
7 / 33

.

.
8 / 33

.

.
9 / 33

.

.
10 / 33

.

.
11 / 33

.

.
12 / 33

.

.
13 / 33

.

.
14 / 33

.

.
15 / 33

.

.
16 / 33

.

.
17 / 33

.

.
18 / 33

.

.
19 / 33

.

.
20 / 33

.

.
21 / 33

.

.
22 / 33

.

.
23 / 33

.

As igrejas estão a encher-se de gente a pedir ajuda. Sandra Serralha não conhecia o padre Constantino Alves, de Setúbal, mas ele valeu-lhe. A mulher trazia duas súplicas: que lhe pagasse a luz, atrasada há três meses, e uma receita médica do filho. O padre pagou os 55€ devidos à EDP. E tirou do bolso o necessário para uma bomba de asma: 2,12€
24 / 33

As igrejas estão a encher-se de gente a pedir ajuda. Sandra Serralha não conhecia o padre Constantino Alves, de Setúbal, mas ele valeu-lhe. A mulher trazia duas súplicas: que lhe pagasse a luz, atrasada há três meses, e uma receita médica do filho. O padre pagou os 55€ devidos à EDP. E tirou do bolso o necessário para uma bomba de asma: 2,12€

As igrejas estão a encher-se de gente a pedir ajuda. Sandra Serralha não conhecia o padre Constantino Alves, de Setúbal, mas ele valeu-lhe. A mulher trazia duas súplicas: que lhe pagasse a luz, atrasada há três meses, e uma receita médica do filho. O padre pagou os 55€ devidos à EDP. E tirou do bolso o necessário para uma bomba de asma: 2,12€
25 / 33

As igrejas estão a encher-se de gente a pedir ajuda. Sandra Serralha não conhecia o padre Constantino Alves, de Setúbal, mas ele valeu-lhe. A mulher trazia duas súplicas: que lhe pagasse a luz, atrasada há três meses, e uma receita médica do filho. O padre pagou os 55€ devidos à EDP. E tirou do bolso o necessário para uma bomba de asma: 2,12€

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se
26 / 33

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se
27 / 33

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se
28 / 33

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se
29 / 33

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se
30 / 33

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se
31 / 33

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se
32 / 33

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se
33 / 33

Apoio Alimentar – Todas as noites, depois do fecho dos restaurantes, dezenas de pessoas recebem refeições prontas na Casa Amiga de Azeitão: a maioria já não tem gás para cozinhar. À quarta-feira distribuem-se ainda cabazes de mercearia a famílias carenciadas que, com a crise, não param de multiplicar-se