Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sabe que pode viajar de borla nos Açores?

Sociedade

Divulgação

Faz parte das contrapartidas negociadas entre o Governo Regional dos Açores e o Governo Central para a liberalização do espaço aéreo mas, apesar das vantagens para os clientes, as transportadoras fazem pouca publicidade à "borla"

Uma viagem gratuita entre ilhas, dada a quem viaja a partir do Continente ou da Madeira. O serviço de encaminhamento aéreo interilhas, como se chama, não é um conceito novo. No entanto, só foi alargado aos passageiros não residentes nos Açores a 29 de março deste ano, altura em que as ligações para São Miguel e Terceira foram liberalizadas.

Para aumentar a promoção turística da região, a SATA ficou obrigada a transportar, gratuitamente, qualquer passageiro que chegue a Ponta Delgada ou à Terceira, mesmo que ali tenha chegado numa empresa concorrente como a TAP, Easyjet ou Ryanair.

Basta indicar o voo e horários e pedir à SATA a emissão do bilhete para a outra ilha à sua escolha. Tem apenas de utilizar o bilhete gratuito nas 24 horas seguintes à chegada aos Açores.

Mas nem as companhias nem as agências de viagens têm divulgado muito esta oferta. Muitos passageiros continuam a comprar bilhetes e pacotes para mais de uma ilha quando o podiam obter de forma gratuita. No caso das low cost, o benefício tem sido igualmente pouco divulgado. Poupa o Governo e faturam as agências através da comissão dos bilhetes desnecessariamente adquiridos.

Enquanto Passos Coelho garantiu que o modelo de liberalização aprovado não iria agravar os encargos da República com as obrigações de serviço público nestas ligações (que em 2014, atingiram os 19 milhões de euros), o Governo Regional e a SATA preferiram adiar a divulgação destes encargos para outubro, altura em que o contrato de concessão será renovado.

A administração da SATA, que tinha reduzido frequências após a entrada da concorrência da Easyjet e da Ryanair, esclarece apenas que voltou a aumentar o número de voos e que estes estão cheios neste momento de época alta. A Easyjet também se mostra satisfeita com a operação que, para o conjunto das quatro companhias, já cresceu 80% em número de passageiros desde a liberalização. No caso da Ryanair, que está a voar para os Açores a partir de Lisboa, Londres e Porto, a transportadora diz esperar um tráfego anual de 350 mil clientes.