Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Oscar Pistorius libertado sob caução de 85 mil euros

Sociedade

Reuters

Uma série de problemas na investigação policial às circunstâncias da morte da namorada do atleta paralímpico estará na origem da decisão do juiz

Oscar Pistorius terá de pagar 1 milhão de rands (85.470 euros) ao Estado como caução para aguardar em liberdade o julgamento em que é acusado do assassínio da sua namorada, Reeva Steenkamp.

O magistrado Desmond Nair considerou na sua decisão que a Procuradoria não provou que Pistorius terá intenções de fugir do país antes do julgamento nem que ele constitui uma ameaça para o público, em particular para as testemunhas do processo.

O anúncio de Desmond Nair foi recebido com euforia na sala do tribunal onde decorre o julgamento do atleta, acusado do homicídio da namorada, a modelo Reeva Steenkamp.

Na origem da decisão estarão "vários erros"  no testemunho do investigador que começou por estar encarregue do caso, Hilton Botha.

Segundo a CNN, a acusação deu vários "passos em falso" durante os quatro dias de audiência para discutir a libertação sob fiança de Oscar Pistorius, a começar pelo afastamento do investigador principal que, em tribunal, admitiu que a polícia poderá ter contaminado a cena do crime e falhado na catalogação das provas recolhidas.

Botha foi afastado do caso na quinta-feira, quando se tornaram públicas as acusações de homicídio relativas a um episódio em 2011, quando terá aberto fogo sobre um autocarro, alegadamente alcoolizado.

Pistorius é acusado de homicídio premeditado pela morte a tiro de Reeva Steenkamp, 29 anos. A defesa alega que o atleta confundiu a namorada com um intruso.