Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Os tratamentos extravagantes das celebridades para os Oscars

Sociedade

  • 333

Fezes de pássaro e testículos de boi estão na base de alguns dos tratamentos de beleza mais bizarros adotados por algumas celebridades para aparecer em grande nos Oscars 2013. VEJA DO QUE ELAS E ELES SÃO CAPAZES

As celebridades já estão a preparar-se para a entrega dos prémios da Academia que vai decorrer no dia 24 de fevereiro, domingo, no Kodak Theatre, em Los Angeles, na Califórnia. Os preparativos acontecem muito antes do evento e contam com vários tratamentos bizarros e truques de moda.

A atriz Demi Moore já admitiu ter usado sanguessugas na sua pele para desintoxicar o sangue. Gwyneth Paltrow chegou a aparecer numa ante-estreia com nódoas negras por ter aderido à lipoaspiração não invasiva, onde as ferramentas são ventosas que "chupam" a pele e evitam a celulite, melhoram a corrente sanguínea e diminuem o stress. Os próprios filhos de Angelina Jolie recorreram à ictioterapia, um tratamento com peixes que comem a pele morta dos pés. Simon Cowell foi apanhado a usar shots de oxigénio para manter a boa aparência.

Para os Oscars são usados ainda outros tratamentos pelas celebridades. O Vampire FaceLift é a novidade introduzida por Paul Nassif, cirurgião plástico em Beverly Hills. O médico mistura o próprio sangue do cliente com material específico para "encher" a pele e dar uma aparência mais jovem.

Quem não gosta de agulhas pode sempre recorrer às fezes de pássaro importadas do Japão para embelezar a pele, através de enzimas naturais usadas para esfoliar a pele. Nos tratamentos para fortalecer e reparar o cabelo são usados testículos de boi que, após fervidos, libertam proteínas e hormonas. O verniz Azature, criado pelo designer de jóias Azature Pogosian, com 267 quilates de diamantes negros é outra opção das celebridades. O preço de cada frasco ronda os 187 mil euros.

Os acessórios, normalmente emprestados para este evento, são também indispensáveis, assim como os truques de beleza. Uma companhia de sapatos, com sede em Hong Kong, coloca uma plataforma invisível no interior dos sapatos para dar uma altura extra a quem precisar. O designer Shani Grosz fabrica vestidos com um tecido compressor para dar a ilusão de uma maior elegância. A companhia Founderie 47 derrete o metal das armas recolhidas nas guerras civis de África e constrói com esse material brincos, colares e relógios.