Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Os alfaiates africanos em Lisboa

Sociedade

  • 333

Em África, trabalhavam nos alpendres das casas ou em mercados municipais. Por cá, aperfeiçoaram o talento, num curso profissional focado no design de moda sustentável. Retratos de quem sabe com que linhas se coser. VEJA A FOTORREPORTAGEM

Em África, trabalhavam nos alpendres das casas ou em mercados municipais. Por cá, deram continuidade aos estudos com um único sentido - o de alcançar melhores condições de trabalho e de vida. Sofia Vilarinho aperfeiçoou-lhes o talento, num curso profissional, na escola Modatex, no âmbito do seu doutoramento em design de moda sustentável. Retratos de quem sabe com que linhas se coser

Entrada do centro comercial HABIB na avenida Almirante Reis local onde vamos encontrar os alfaiates africanos
1 / 13

Entrada do centro comercial HABIB na avenida Almirante Reis local onde vamos encontrar os alfaiates africanos

O Músico - Subir bainhas, apertar calças, mudar fechos ou virar colarinhos são alguns dos arranjos preferidos do alfaiate de 42 anos. Ao lado do seu ateliê, no Centro Comercial Habib, na Avenida Almirante Reis, em Lisboa, o tempo parece ter congelado à porta do barbeiro
2 / 13

O Músico - Subir bainhas, apertar calças, mudar fechos ou virar colarinhos são alguns dos arranjos preferidos do alfaiate de 42 anos. Ao lado do seu ateliê, no Centro Comercial Habib, na Avenida Almirante Reis, em Lisboa, o tempo parece ter congelado à porta do barbeiro

O Músico - Kumba Yalá, ex-Presidente da República da Guiné-Bissau, foi um dos clientes que Djiby Djibson teve, antes de deixar a sua terra natal, em 2000. Viajado e cosmopolita, aprendeu o ofício da costura no Senegal, há mais de duas décadas. Na Alemanha, na Expo Hannover, cantou e tocou guitarra elétrica, a convite do Governo guineense
3 / 13

O Músico - Kumba Yalá, ex-Presidente da República da Guiné-Bissau, foi um dos clientes que Djiby Djibson teve, antes de deixar a sua terra natal, em 2000. Viajado e cosmopolita, aprendeu o ofício da costura no Senegal, há mais de duas décadas. Na Alemanha, na Expo Hannover, cantou e tocou guitarra elétrica, a convite do Governo guineense

O Aprendiz - Há dois anos em Portugal, é nas lojas de tecidos do bairro lisboeta de Campo de Ourique que Alassana Bari se abastece. Aluno assíduo e exemplar do curso de alfaiate realizado na Modatex, o guineense, de 43 anos, dará continuidade aos estudos, com aulas de português
4 / 13

O Aprendiz - Há dois anos em Portugal, é nas lojas de tecidos do bairro lisboeta de Campo de Ourique que Alassana Bari se abastece. Aluno assíduo e exemplar do curso de alfaiate realizado na Modatex, o guineense, de 43 anos, dará continuidade aos estudos, com aulas de português

O Aprendiz - De uma reunião no Centro Nacional de Apoio ao Imigrante espera sair a saber como montar o seu próprio negócio. Por enquanto, ocupa o primeiro ateliê da cave do shopping Habib. Pronto a trabalhar em arranjos ou fatos por medida
5 / 13

O Aprendiz - De uma reunião no Centro Nacional de Apoio ao Imigrante espera sair a saber como montar o seu próprio negócio. Por enquanto, ocupa o primeiro ateliê da cave do shopping Habib. Pronto a trabalhar em arranjos ou fatos por medida

O Rastafári - O seu estilo «louco e descontraído» conjuga-se com as cores dos vestidos pendurados nas paredes e as capulanas dobradas, em exposição
6 / 13

O Rastafári - O seu estilo «louco e descontraído» conjuga-se com as cores dos vestidos pendurados nas paredes e as capulanas dobradas, em exposição

O Rastafári - Fã de Bob Marley, Jalloh Tisco nasceu há 45 anos, na Serra Leoa. Com uma alfaiataria de portas abertas na zona dos Anjos, em Lisboa, a sua maior aliada tem sido a prática de uma dúzia de anos de atividade. Nem quando lhe faltam encomendas deixa de desenhar e costurar as suas criações
7 / 13

O Rastafári - Fã de Bob Marley, Jalloh Tisco nasceu há 45 anos, na Serra Leoa. Com uma alfaiataria de portas abertas na zona dos Anjos, em Lisboa, a sua maior aliada tem sido a prática de uma dúzia de anos de atividade. Nem quando lhe faltam encomendas deixa de desenhar e costurar as suas criações

O Criativo - As bobinas de linha, na montra, avisam da existência de outro alfaiate. Sem medo, Ansumani Djabaté diz ter coragem para mexer em qualquer tecido. «Queremos trabalho, mas não há clientes», lamenta o mais arrojado do trio de alfaiates do Habib
8 / 13

O Criativo - As bobinas de linha, na montra, avisam da existência de outro alfaiate. Sem medo, Ansumani Djabaté diz ter coragem para mexer em qualquer tecido. «Queremos trabalho, mas não há clientes», lamenta o mais arrojado do trio de alfaiates do Habib

O Criativo - Para o jovem guineense, de 26 anos, a formação em costura é um alicerce para continuar o percurso académico em Relações Internacionais ou Economia. Quase há três anos em Portugal, gosta de contar que tinha 9 anos quando aprendeu com a avó a chulear, a pregar botões e a dar ao pedal, na máquina de costura
9 / 13

O Criativo - Para o jovem guineense, de 26 anos, a formação em costura é um alicerce para continuar o percurso académico em Relações Internacionais ou Economia. Quase há três anos em Portugal, gosta de contar que tinha 9 anos quando aprendeu com a avó a chulear, a pregar botões e a dar ao pedal, na máquina de costura

No ateliê de Jalloh Tisco
10 / 13

No ateliê de Jalloh Tisco

No ateliê de Jalloh Tisco
11 / 13

No ateliê de Jalloh Tisco

A Mentora - Receber o prémio Jovens Criadores 2006 (nas áreas de moda e joalharia) foi importante para acreditar que ia no caminho certo. Interessada em explorar os conteúdos da moda como dinamizadora social, Sofia Vilarinho, 36 anos, apaixonou--se pela capulana, depois de passar um mês e meio na capital moçambicana
12 / 13

A Mentora - Receber o prémio Jovens Criadores 2006 (nas áreas de moda e joalharia) foi importante para acreditar que ia no caminho certo. Interessada em explorar os conteúdos da moda como dinamizadora social, Sofia Vilarinho, 36 anos, apaixonou--se pela capulana, depois de passar um mês e meio na capital moçambicana

O fim da visita aos alfaiates africanos
13 / 13

O fim da visita aos alfaiates africanos