Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Malária diagnosticada em 15 minutos a partir de 2015

Sociedade

  • 333

Um aparelho, muito parecido com um smartphone, foi desenvolvido por um grupo de investigadores financiados pela União Europeia para diagnosticar infeções de malária em apenas 15 minutos, através de uma gota de sangue.

A Comissão Europeia informou esta quarta-feira que o dispositivo permite, para além de diagnosticar a doença, perceber qualquer resistência que o paciente possa fazer aos medicamentos utilizados normalmente.

O projeto chama-se "Nanomal"e terá início em 2015 nalguns países em desenvolvimento. No entanto, o projeto ainda será avaliado durante este ano e só entrará em vigor se passar em todos os testes com os resultados esperados.

O custo do projeto é de cinco milhões de euros, sendo que a União Europeia financia quatro milhões. Liderado pela Universidade St. George de Londres, pela empresa britânica QauntuMDx e por equipas da Universidade alemã de Tübingen e do Instituto Karolinska da Suécia, o dispositivo tem como objectivo conseguir os mesmos resultados de um laboratório mas em menos tempo e com menos custos, tornando-o útil para provas de terreno.

A comissária europeia de Pesquisa, Inovação e Ciência, Máire Geoghegan-Quinn, afirmou que "a metade da população mundial está em risco de sofrer malária e um diagnóstico rápido e certeiro é essencial para lutar contra a doença, da mesma forma que novas vacinas, remédios e métodos para controlar sua propagação".

O projeto foi desenvolvido em resposta ao número de casos com malária, que continua muito elevado nos países em desenvolvimento. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), em 2010 foram registrados 219 milhões de casos de malária no mundo e aproximadamente 660 mil pessoas morreram por causa da doença.

Desde 2002, a UE investiu mais de 209 milhões de euros em 87 projetos de investigação sobre a doença e está a apoiar, com cerca de 50 milhões de euros, 32 ensaios clínicos sobre novos tratamentos.