Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ideias para gozar os feriados... à borla!

Sociedade

  • 333

Na VISÃO desta semana damos-lhe 49 ideias para aproveitar os feriados que aí vêm sem gastar um cêntimo. Confira aqui 12 dessas dicas e vá dar uma volta... à borla!

Dê um passeio de BTT ao luar (toda a informação no texto em baixo)
1 / 12

Dê um passeio de BTT ao luar (toda a informação no texto em baixo)

7. Pedale na ciclovia de Cascais (toda a informação no texto em baixo)
2 / 12

7. Pedale na ciclovia de Cascais (toda a informação no texto em baixo)

‘Estenda’ um piquenique em Palmela (toda a informação no texto em baixo)
3 / 12

‘Estenda’ um piquenique em Palmela (toda a informação no texto em baixo)

12. Passe o domingo com a família em Serralves (toda a informação no texto em baixo)
4 / 12

12. Passe o domingo com a família em Serralves (toda a informação no texto em baixo)

15. Caminhe pelos novos trilhos do Oeste (toda a informação no texto em baixo)
5 / 12

15. Caminhe pelos novos trilhos do Oeste (toda a informação no texto em baixo)

Vá com eles ouvir histórias junto ao Mondego (toda a informação no texto em baixo)
6 / 12

Vá com eles ouvir histórias junto ao Mondego (toda a informação no texto em baixo)

Conheça o jardim barroco do Museu dos Biscainhos (toda a informação no texto em baixo)
7 / 12

Conheça o jardim barroco do Museu dos Biscainhos (toda a informação no texto em baixo)

Dê um mergulho nas Piocas (toda a informação no texto em baixo)
8 / 12

Dê um mergulho nas Piocas (toda a informação no texto em baixo)

Coma as cerejas deliciosas do Fundão (toda a informação no texto em baixo)
9 / 12

Coma as cerejas deliciosas do Fundão (toda a informação no texto em baixo)

Ande de nariz no ar a ver os graffitis de Lisboa (toda a informação no texto em baixo)
10 / 12

Ande de nariz no ar a ver os graffitis de Lisboa (toda a informação no texto em baixo)

Descubra um achado arqueológico em Silves (toda a informação no texto em baixo)
11 / 12

Descubra um achado arqueológico em Silves (toda a informação no texto em baixo)

Uma noitada no Musicbox (toda a informação no texto em baixo)
12 / 12

Uma noitada no Musicbox (toda a informação no texto em baixo)

1 - Dê um passeio de BTT ao luar 

Depois de um dia de praia, as noites amenas do Algarve também devem ser aproveitadas. A pensar nisso, o Clube BTT Terra de Loulé promove passeios noturnos regulares, abertos a quem quiser participar. Basta levar a bicicleta, devidamente apetrechada com uma luz, e capacete. Os percursos, com a duração de uma hora e meia, são adequados a qualquer ciclista que tenha mais de 9 anos e o calendário pode ser consultado no site.  

Clube BTT Terra de Loulé R. S. Paulo, 25, Loulé www.bttloule.com  

2 - Pedale na ciclovia de Cascais

 É com o Atlântico por companhia que se pode percorrer os sete quilómetros entre a Marina de Cascais e a praia do Guincho (ou apenas  1,2 km desde o parque de campismo). A andar, a correr ou a pedalar. Um dos três postos de bicicletas gratuitas fica na Guia, na Avenida Nossa Senhora do Cabo. 

Ciclovia de Cascais Até 30 set - Seg-dom 8h-20h  Out-30 abr Seg-dom 9h-16h

3 - 'Estenda' um piquenique em Palmela

 A brisa da tarde está quente e sufocante. A sombra frondosa do Parque Venâncio Ribeiro da Costa, com os cedros do Líbano e plátanos, junto ao Castelo de Palmela, vem mesmo a calhar. Primeira paragem: anfiteatro com a torre de menagem em pano de fundo. As quatro mesas octogonais de pedra, com sete bancos também de pedra, convidam a estender a típica toalha aos quadradinhos dos piqueniques. Agora é hora de lanchar. Ana Cristina Pires, 47 anos e Neuza Santos, 15 anos, mãe e filha, todas as quartas-feiras, passam 50 minutos na Esplanada ou Mata do Castelo, como é vulgarmente conhecida, antes de a adolescente ir para a natação. Levam sanduíches, sumos e um baralho de cartas. Até no inverno são frequentadoras deste jardim construído no início do século XX, com cerca de 37 mil metros quadrados. A paisagem é deslumbrante, alcançando Vale de Barris e Troia. O parque infantil, sem equipamentos, com areia num redondel apela a uma maior criatividade de adultos e crianças. A requalificação, que começará este verão, prevê um circuito de manutenção, uma área de projeção de cinema, um horto botânico, um novo anfiteatro, uma zona para a realização de feiras e pequenos espelhos de água para a fauna existente. Conclusão: se agora já é bom, ainda vai ficar melhor. 

Parque Venâncio Ribeiro da Costa Junto ao Castelo de Palmela 

4 -  Passe o domingo com a família  em Serralves

 O programa tenta ser o mais diversificado possível... Numa semana a proposta pode ser um percurso de exploração, noutra uma oficina, noutra ainda a visita a uma exposição. Os temas variam entre o universo artístico, o ambiente, a biodiversidade. Todos os domingos - de manhã, à tarde, ou durante todo o dia - o serviço  educativo de Serralves desafia as famílias para um momento de descoberta em conjunto.  

Fundação de Serralves R. D. João de Castro, 210, Porto T. 22 615 6584. Dom 11h (Levantar senha na receção a partir das 10h) www.serralves.pt 

5 - Caminhe pelos novos trilhos do Oeste

Com os olhos fechados as sensações são ainda mais intensas. Flores, alecrim, orégãos... Os aromas misturam-se e despertam os sentidos ainda adormecidos às 8 da manhã. A pausa é interrompida pelo burburinho bem-disposto dos caminheiros que se aproximam. Francisco Antunes, 49 anos, é o cicerone das duas dezenas de pessoas que comparecem ao encontro, na aldeia de Cheleiros, Mafra, a 40 km de Lisboa. O revisor de contas resolveu criar o grupo Novos Trilhos para fazer caminhadas entre amigos mas, com a ajuda do boca a boca e das redes sociais, começaram a aparecer cada vez mais caras novas. Há semanas em que as idades dos participantes vão dos 15 aos 75 anos. Caminhante há quatro anos, Francisco nunca pensou em ganhar dinheiro com os passeios que organiza - se o fizesse, "deixavam de ser puro prazer e começavam a dar preocupações". Com um sorriso largo, deixa o aviso: "As caminhadas começam por ser um hóbi, mas tornam-se um vício." A ponte medieval de Cheleiros, que terá sido edificada para transportar os materiais de construção do Convento de Mafra, faz as delícias dos viajantes, muitos deles amantes da fotografia. Uma subida íngreme deixa os estreantes silenciosos, mas a vista a partir da cratera da chaminé vulcânica do Penedo do Lexim faz esquecer o esforço: campos verdes e dourados a perder de vista, a serra de Sintra entre a neblina e uma nesga de mar ao fundo.

Grupo Novos Trilhos  T. 96 908 9599  Sáb 8h30 https://sites.google.com/site/novostrilhos2000/   

6 - Vá com eles ouvir histórias junto ao Mondego

Há uma manta estendida sobre a relva, almofadas coloridas espalhadas, árvores, o rio Mondego e uma "mediadora de histórias" à espera de ouvintes interessados. Pelas quatro e meia, os que chegam e vão tomando o seu lugar na manta (alguns ao colo dos pais, ainda), sabem ao que vêm. Voltam-se para o banco onde Eugénia Silva está sentada, de livro na mão e, durante meia hora, não desviam o olhar de quem lhes lê histórias carregadas de suspense, sempre engraçadas. Eugénia não se vê como uma contadora de histórias, vem vestida com roupa normal, não tem malas de onde saem objetos, nem adereços, nem cenários. As três ou quatro histórias que conta em cada sessão têm sempre um suporte físico: "Tento estar com o livro, para as crianças perceberem que é dele que saem a fantasia e as histórias de que gostam tanto." Mas pode haver outros meios que ajudam na leitura - um quadro onde se vai fazendo um desenho, um recorte ou um origami construído na hora e que acaba por integrar a história, no momento adequado. É sempre assim, entre abril e setembro, nos últimos domingos do mês. A Biblioteca Municipal de Coimbra, que dinamiza estes Contos no Cubo, está encerrada, mas os livros saem e vão à procura de quem corre, passeia o cão ou pedala, na margem esquerda do Mondego. 

Contos no Cubo Espaço Ler ao Cubo Pq. Verde do Mondego, Coimbra T. 239 702 630 

7 - Conheça o jardim barroco do Museu dos Biscainhos

Pode parecer um exercício difícil, mas mesmo dispensando a indumentária da época, é fácil vestir a pele de um nobre quando se atravessa a porta com vidros os quadradinhos que dá acesso ao Jardim Barroco do Museu dos Biscainhos, em Braga. De repente, vemo-nos escorregar para um livro de história, uma fotografia de época... Atravessamos o terreiro com a fonte elíptica ao centro e as magnólias ao lado, passamos o portão encaixado no muro com alegretes e eis-nos rodeados por um universo fantástico: dois caramanchões de japoneiras (casas de fresco é a definição exata); canteiros de buxo desenhando simétricos labirintos, onde crescem rosas de várias cores, perfumadas; estátuas barrocas e rococó; o maior tulipeiro da Virgínia do País, de interesse nacional... Tudo com a água que cai na fonte central a dar música ao cenário. O jardim é uma referência do património barroco em Portugal. Poucos se mantiveram praticamente inalterados desde o século XVIII, frisa José Costa Reis, o diretor do  museu. Como um "organismo vivo" que é, o jardim foi sofrendo mudanças (as estrelícias, por exemplo, foram introduzidas no século XIX), mas a planta permanece intacta.

Jardim do Museu  dos Biscainhos R. dos Biscainhos, Braga  T. 253 204 650. Ter-Dom 10h-12h15, 14h-17h30 

8 - Dê um mergulho  nas Piocas

O nome dado pelos locais - Piocas - confere ainda mais encanto às piscinas naturais que o rio Olo forma antes de se precipitar na maior cascata da Península Ibérica, em Fisgas de Ermelo, no concelho de Mondim de Basto. Chegar até elas é uma pequena aventura, que a paisagem e os banhos (de água bem fria, é certo) compensam. As minicascatas que se formam entre as piocas proporcionam massagens que um SPA teria dificuldade em igualar.  

Parque Natural do Alvão   T. 255 381 209 Na estrada que liga Fisgas de Ermelo a Varzigueto Mondim de Basto, Vila Real

9 - Coma as  cerejas deliciosas  do Fundão

Depois das castanhas assadas, do chá, do café e do chocolate quente, é tempo de cerejas. E nada melhor do que as do Fundão. A Vodafone anda a distribuir 22 mil quilos. Quando e onde? Nós dizemos-lhe:

Lisboa

6 Jun, qua 8h-10h30 Campo Grande, 12h-14h30 Lg. Camões, 17h-20h Cais do Sodré 7 jun, qui 10h-13h  R. Augusta, 15h-19h junto aos  Armazéns do Chiado 8 jun, sex 8h-10h30 Terreiro do Paço, 12h-14h30 Av. da Igreja, 17h-20h Av. de Roma - Estação

Faro

11 jun, seg 9h-13h Pç. da República, 14h-17h junto ao Fórum Algarve

Setúbal

12 jun, ter 9h-13h Fontainhas, 14h-17h Pç. do Bocage 

 

10 - Ande de nariz no ar a ver os grafftis de Lisboa

É a sugestão ideal para quem dispensa os ares do campo e gosta verdadeiramente de  cidades. Fazer o percurso pelos graffitis que, nos últimos tempos, têm aparecido em Lisboa, significa andar de carro, apanhar vários autocarros, transitar em vias rápidas, atravessar avenidas com muitas faixas de rodagem e, sim, respirar imenso monóxido de carbono. E também significa andar de nariz no ar para, entre os outdoors sem graça e as pichagens "fora a troika", descobrir pedaços de arte. Isto é apenas um trajeto, já que a ideia é "faça- -você-mesmo", sem guias nem paragens recomendadas: Avenida de Ceuta (quase em frente do Banco Alimentar, um projeto da empresa CIN), Rua de Cascais (em Alcântara, entre as estações de Alcântara-Terra e Alcântara-Mar), Avenida Fontes Pereira de Melo (no quarteirão entre a Rua Martens Ferrão e a Rua Andrade Corvo), Campo das Cebolas (nos armazéns do lado direito, de quem está virado para o rio) e Santa Apolónia (antes da estação, na Avenida Infante dom Henrique). Para continuar no imperativo: vadiai.

Av. de Ceuta R. de Cascais Av. Fontes Pereira de Melo Campo das Cebolas Av. Infante D. Henrique

11 - Descubra um achado arqueológico  em Silves

Numa placa de mármore (40cm x 60cm), lê-se o nome Yehiel, seguido de outras letras ainda não decifradas. O que os arqueólogos da Universidade de Friedrich-Schiller, Jena (Alemanha), encontraram, perto de S. Bartolomeu de Messines (Silves), poderá ser uma lápide funerária, tornando--se no mais antigo achado arqueológico judaico da Península Ibérica. Em breve será exposto no Museu Municipal de Arqueologia de Silves.

12 - Uma noitada no Musicbox 

O Musicbox, no Cais do Sodré, em Lisboa, é o palco de alguns dos melhores concertos que acontecem em Lisboa. Pormenor relevante: saiba que todas quartas--feiras são de entrada livre. A partir das 23 e 30 há dose dupla Offbeatz e depois da uma da manhã os pratos são dos djs. 

R. Nova do Carvalho, 24, Lisboa  T. 21 347 3188. Qua 23h30