Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Francesa faz autorretratos nua nas ruas de Nova Iorque

Sociedade

Erica Simone, fotógrafa francesa, de 25 anos, decidiu embarcar no ousado projeto de posar nua em Nova Iorque. VEJA AS FOTOS

Chegue atrasado Por duas razões: Em primeiro lugar para evitar ter de fazer sala com aquela colega aborrecida com quem nunca trocou uma palavra e que é sempre a primeira a chegar; E em segundo, porque, assim, quando chegar, todos terão uma desculpa para interromper as conversas de circunstância: "Olha quem chegou!"
1 / 12

Chegue atrasado Por duas razões: Em primeiro lugar para evitar ter de fazer sala com aquela colega aborrecida com quem nunca trocou uma palavra e que é sempre a primeira a chegar; E em segundo, porque, assim, quando chegar, todos terão uma desculpa para interromper as conversas de circunstância: "Olha quem chegou!"

Nunca se ofereça para planear... e muito menos para limpar Os "homens a sério", garante a GQ, deixam os detalhes sujos para os outros, porque estão ocupados a ter ideias fantásticas
2 / 12

Nunca se ofereça para planear... e muito menos para limpar Os "homens a sério", garante a GQ, deixam os detalhes sujos para os outros, porque estão ocupados a ter ideias fantásticas

Leve sempre um acompanhante É a melhor desculpa para ser anti-social
3 / 12

Leve sempre um acompanhante É a melhor desculpa para ser anti-social

Guarde as substâncias ilícitas para quando o patrão estiver a falar Pode querer sair dalí quando estiver a ouvir falar do ótimo desempenho da empresa que em nada reverte para si
4 / 12

Guarde as substâncias ilícitas para quando o patrão estiver a falar Pode querer sair dalí quando estiver a ouvir falar do ótimo desempenho da empresa que em nada reverte para si

Se não houver um «depois da festa», faça com que haja Só para o caso de precisar desanuviar depois da festa oficial
5 / 12

Se não houver um «depois da festa», faça com que haja Só para o caso de precisar desanuviar depois da festa oficial

Coma antes de ir Com todos os cortes que todas as empresas estão a enfrentar, é melhor não arriscar
6 / 12

Coma antes de ir Com todos os cortes que todas as empresas estão a enfrentar, é melhor não arriscar

Se não for bar aberto não é uma festa Neste caso, o melhor é mesmo desistir
7 / 12

Se não for bar aberto não é uma festa Neste caso, o melhor é mesmo desistir

Não se envolva sexualmente com um colega Há um dia seguinte. De trabalho. É bom não esquecer
8 / 12

Não se envolva sexualmente com um colega Há um dia seguinte. De trabalho. É bom não esquecer

Adele
9 / 12

Adele

Rita Pereira
10 / 12

Rita Pereira

Bernardo Sassetti
11 / 12

Bernardo Sassetti

Thanks Dad. #astonmartin
12 / 12

Thanks Dad. #astonmartin

O trabalho chama-se "Nue York: self-portraits of a bare Urban Citizen", que poderia ser traduzido para "Nua York - Autorretratos de uma cidadã urbana despida", surgiu com a necessidade da fotógrafa se sentir confortável no seu próprio corpo e perder a vergonha.

Do projeto fazem parte 20 fotografias que retratam o dia-a-dia de um cidadão comum numa grande cidade, e foram tiradas através de um comando à distância.

A ideia surgiu há dois anos, durante a Fashion Week de Nova Iorque. Tendo inicialmente a ideia de fotografar pessoas sem roupa a fazerem coisas citadinas vulgares. "Estava a pensar sobre a moda e como seria se não precisássemos dela para mostrar quem somos, quanto dinheiro temos e todas essas coisas", contou Simone ao Mail Online. Contudo, rapidamente alterou a ideia e propôs-se a fazer autorretratos.

De início não sabia se seria capaz, porque não se considera de todo uma pessoa exibicionista. Confessa ter-se sentido um pouco constrangida quando começou, mas que rapidamente se ambientou.

"Nas primeiras vezes foi um pouco assustador. Mas agora já não me importo. As pessoas aceitaram-me bem ao pé delas. A maioria ria-se ou aplaudia."

A fotógrafa explica, ainda, que não andou nua pelas ruas e que apenas se despia quando chegava aos sítios para posar.

"Isto não tem a ver com sexo. Andar nu é uma loucura que é ilegal. Todo o processo de realização do projecto foi muito deliberado e isso fez-me sentir mais livre e confortável na minha própria pele e sem vergonha do meu corpo", declarou a fotógrafa.