Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Família portuguesa acusada de querer vender criança para "retirar órgãos"

Sociedade

A NTV exibiu imagens da criança russa que foi retirada à família Pinheiro a ser esbofeteada pela mãe biológica que acusou o casal português de querer vender Alexandra para "retirar órgãos". VEJA O VÍDEO

visao.pt

Durante a reportagem gravada na casa da família russa, numa aldeia de Iaroslavl, e transmitida pelo programa "Herói Principal", da estação de televisão NTV de Moscovo, Natália Zarubina dá várias bofetadas à filha mais nova por ela querer ir ter com a irmã mais velha, Valéria, sublinhando que o comportamento de Alexandra se deve ao facto de a família adoptiva portuguesa "a ter deixado fazer tudo".

"Sabe-se lá o que eles poderiam fazer com ela? Vendê-la para retirar órgãos ou até mandá-la para uma casa de prostituição", acrescentou Natália Zarubina, a mãe biológica, ao falar da família afectiva portuguesa.

Valéria, a irmã mais velha de Alexandra, também faz acusações à família afectiva. "Fizeram da minha mãe uma toxicodependente, alcoólica, prostituta, que não se lavava. Disseram tanta coisa dela", afirmou Valéria. "Ainda vamos exigir uma compensação pelos danos morais", sublinhou Valéria, virando-se para as câmaras de televisão. "Eles (casal Pinheiro) não serão bem vindos a Iaroslavl", cidade próxima da aldeia onde reside a menina russa, concluiu Valéria.

O casal de Barcelos a quem foi retirada uma menina russa vai ser entrevistado quinta-feira em Moscovo num programa televisivo sobre a história da criança, não pretendendo tomar qualquer medida de carácter judicial nas próximas semanas.

A menina, de seis anos e filha de uma emigrante russa, estava à guarda de uma família de acolhimento de Barcelos há quatro anos, mas uma decisão judicial de 2008 determinou que fosse devolvida à família biológica, apesar dos problemas de alcoolismo que os técnicos referenciaram na mãe. O pai, um imigrante ucraniano, vive actualmente em Espanha.

Na semana passada, a criança, que fala apenas português, passou a viver com a mãe e a avó numa cidade russa a 350 quilómetros de Moscovo.

Em declarações à Lusa, o advogado dos pais de acolhimento, João Araújo, adiantou que o casal português e ele próprio vão partir quarta-feira para a Rússia para participar num programa da televisão do Canal 1, onde estará também a mãe biológica da menina.

"Vamos a convite do canal público russo, que vai fazer um programa, segundo eles, bastante grande. Eu vou por uma questão de explicar a parte jurídica, porque eles querem perceber o que se passou em termos jurídicos", explicou.

Durante a viagem, o casal terá também oportunidade para estar com Alexandra, já que "as autoridades russas se prontificaram a trazê-la para Moscovo" de forma a ver os portugueses.

Questionado sobre a possibilidade de os pais de acolhimento planearem alguma iniciativa de carácter judicial, João Araújo referiu não estar planeada nenhuma medida em concreto: "Estamos a estudar a situação, mas para já, nas semanas mais imediatas, não iremos fazer nada".

No entanto, o advogado da família Pinheiro declarou que o casal e ele próprio só vão participar no programa televisivo russo se forem respeitadas determinadas condições.

"Queremos um tradutor idóneo, e vamos pedir ajuda à Embaixada de Portugal na Rússia com esse objectivo", afirmou, acrescentando que o casal português quer ter a certeza de vai ser ouvido e não transformado em "bobo da corte".