Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Dicas simples (e científicas) para evitar uma ressaca

Sociedade

  • 333

Com os excessos das celebrações da passagem de ano aí à porta, pode ser uma boa altura para começar a pensar no estado em que vai acordar na manhã seguinte. Seguem-se algumas dicas

Comece-se por dizer que a única maneira 100% segura de evitar ressacas é, claro está, não ingerir bebidas alcoólicas ou, pelo menos, não exagerar. No entanto, os efeitos do álcool podem ser atenuados se a entrada para o sangue for lenta. É, por isso, importante alimentar-se bem antes do consumo destas bebidas.

Em resposta ao alto teor de açúcar que o álcool contém, o corpo produz demasiada insulina e isso leva a uma brutal queda de açúcares no sangue. O que contribui para a sensação de latejar na cabeça.

O álcool é um diurético, que ao desencadear a produção de urina, leva à desidratação. A desidratação, por sua vez, leva a sintomas como a dor de cabeça, boca seca, dificuldades de concentração e um temperamento pouco tolerante.

O facto de o álcool também deixar o estômago desconfortável e perturbar o sono, também contribui para o aumento da irritabilidade, náuseas e exaustão no dia seguinte.

Bebidas escuras são mais perigosas

Os especialistas confirmam que há bebidas que contribuem para uma ressaca mais acentuada. As impurezas e os conservantes nas bebidas aumentam esse efeito. Emma Derbyshire, professora de nutrição na Universidade Metropolitana de Manchester e consultora independente para o Conselho de Hidratação Natural,  explica que "Algumas destas bebidas contêm produtos químicos produzidos durante a fermentação que dão as cores e os sabores às bebidas".

Esta teoria é sustentada por um estudo realizado nos Estados Unidos, que descobriu que o uísque causou ressacas significativamente piores do que o vodka, tendo o mesmo nível de álcool no sangue.

É possível que as marcas mais baratas tenham um teor superior daqueles componentes, porque o processo de destilação não os filtrou", supõe a especialista.

O mito da mistura de bebidas

É comum ouvir-se dizer que misturar bebidas provoca uma ressaca bastante maior. "A ideia por trás disso é, provavelmente, o facto de que quanto maior a variedade de bebidas que ingerimos, mais provável é que tenhamos diferentes tipos de impurezas e um maior número dessas substâncias no sangue" diz a Dr. Jarvis.

O entanto, ficar agarrado à mesma bebida durante a noite inteira não irá ajudá-lo a escapar da ressaca no dia seguinte. Tudo depende das impurezas que a bebida que consome tem.

Proteger o estômago funciona?

O senso comum dita que é de evitar beber álcool de estômago vazio e que os alimentos ajudam a diminuir a velocidade com que o álcool entra no sangue - sendo o mais indicado comer fruta, legumes e carnes magras. A ingestão de vitaminas do complexo B pode também ajudar.

Nick Read, gastrenterologista e médico conselheiro de uma associação britânica que apoia os doentes com Síndrome do Cólon Irritável, diz que "não se trata de forrar o estômago, mas que se colocarmos gordura no estômago antes de beber, o álcool entra no duodeno (a primeira parte do intestino delgado) e o esvaziamento gástrico será mais retardado, de modo que a bebida não será escoada tão rapidamente a partir do estômago".

Por este motivo, é costume, em algumas culturas, beber-se azeite antes de se ingerir bebidas alcoólicas. O mesmo vale para o puré de batata com manteiga - sendo a manteiga o principal ingrediente. No entanto, as comidas demasiado gordurosas, embora retardem a chegada do álcool ao sangue, agravam a ressaca.

Já o miolo de pão enquanto se bebe álcool ajuda a diminuir a quantidade de álcool que vai para o sangue. Isto porque o pão absorve alguma quantidade de álcool.

Cerveja em vez de vinho?

É costume ouvir-se dizer que uma cerveja antes do vinho faz milagres, mas que o vinho antes da cerveja estraga tudo. Embora nenhum estudo sustente esta ideia, existem várias teorias que a tentam comprovar.

"A cerveja tem um teor de água mais elevado do que o vinho, então recebe-se mais fluidos no corpo, quando se bebe cerveja, "explica também Emma Derbyshire.

As pessoas tendem a beber mais no início de uma festa para saciar a sua sede, nesses casos a cerveja pode mantê-lo um pouco melhor hidratado. "Mas, em vez de começar pela cerveja, é melhor optar por um pouco de água antes de beber qualquer bebida alcoólica", aconselha a médica.

Analgésicos curam ressacas?

É tentador utilizar analgésicos para cortar os efeitos da ressaca, no entanto, os especialistas dizem que esses comprimidos apenas atrasam o início dos sintomas. Em alguns casos os analgésicos conseguem atenuar os efeitos, mas é necessário ter cautela, adverte Sarah Jarvis, médica conselheira na associação britânica Drinkaware.

A especialista acrescenta, ainda, que os "anti-inflamatórios, como o ibuprofeno, são mais eficazes para a dor de cabeça do que o paracetamol, no entanto, se já tem o estômago inflamado devido ao álcool, estes comprimidos podem provocar uma indigestão".

Um copo de leite antes de ir para cama

Os especialistas concordam - água potável antes de ir para a cama ajuda a evitar uma parte dos efeitos da desidratação, ajudando, portanto, a atenuar os efeitos da ressaca no dia seguinte.

No entanto, o especialista britânico em enxaquecas, Andy Dowson, recomenda que se substitua por um copo de leite. "Beber leite vai combater muitos dos sintomas", diz Dowson. "As ressacas são desencadeadas pelo baixo nível de açúcar no sangue e pela desidratação, sendo que ambos são potenciadores de enxaquecas - portanto, se tem estômago para isso, beba leite antes de dormir - dar-lhe-á volume de líquidos, bem como irá ajudá-lo a repor os níveis de açúcar no sangue", explica.

"O leite é também um antidiurético (os rins param a produção de urina) o que significar menos idas à casa de banho, minimizando, assim, a interrupção do sono e a desidratação. O facto de o leite ser alcalino pode também neutralizar qualquer inflamação do estômago causada pelo excesso de acidez do álcool", acrescenta Dowson.