Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Depois dos insetos, Nações Unidas recomendam comer alforrecas

Sociedade

  • 333

Reuters

"Se não podes vencê-las... come-as". Depois de recomendar o consumo de insetos para combater a fome, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação (FAO), tem outra sugestão para a mesa: alforrecas

VEJA TAMBÉM: Cinco boas razões para comer... insetos

Preocupados com a proliferação das alforrecas, que está a ameaçar os peixes, os especialistas da FAO apresentam uma solução: comê-las. Num relatório publicado esta quinta-feira, recordam que em alguns países, como a China, é já habitual o consumo desta espécie.

A preocupação das Nações Unidas prende-se com o aumento significativo da população de alforrecas provocado pela pesca "excessiva" dos seus predadores. Este aumento, por sua vez, poderá ser uma das causas que explicam a diminuição dos peixes no Mediterrâneo e Mar Negro. "Um oceano de alforrecas", que está prestes a substituir "um oceano de peixes", alertam.

Mas a FAO sugere ainda um outro destino para a espécie gelatinosa, neste caso para as que contêm determinadas substâncias químicas: usá-las no desenvolvimento de novos medicamentos. A Turritopsis nutricula, que é conhecida como a "medusa importal", por exemplo, poderia ser estudada para a elaboração de produtos regenerativas para os seres humanos.