Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Dalai Lama gostaria de ter uma mulher como sucessora

Sociedade

  • 333

Dalai Lama confessou, durante a sua visita a Itália, que ficaria contente se o seu sucessor fosse do sexo feminino. Para o líder, uma mulher poderia desempenhar as funções na perfeição, muito melhor que alguns dos concorrentes masculinos.

O líder espiritual budista deu uma entrevista ao canal inglês Channel 4 News e afirmou que "seria bom porque o sexo feminino tem mais potencial para dar amor ao próximo. Está provado que as mulheres são mais sensíveis que os homens e o sexo feminino deve ter um papel mais ativo em relação à compaixão humana".

A procura de um novo líder budista pode demorar alguns anos e está nas mãos dos monges. Assim que um Dalai Lama se começa a aproximar da morte e dá indicações sobre o seu renascimento, os monges começam a procurar a criança em quem, de acordo com a religião budista, o líder irá reencarnar. A criança pode identificar-se por iniciativa própria e é submetida a uma série de testes que irão confirmar o seu poder.

Buda foi o primeiro fundador religioso a permitir que as mulheres participassem na liderança da religião, ao contrário do que se passa no catolicismo, em que só um homem pode ser Papa.

Segundo o jornal The Telegraph, o líder considera que "as mulheres e os homens são iguais na educação, inteligência e razão" e como resultado estamos "na era da igualdade entre homens e mulheres".