Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Crianças que evitam os medos são mais ansiosas

Sociedade

  • 333

Reuters

Um estudo feito na clínica Mayo, nos Estados Unidos, revela que, as crianças que fogem de situações que lhes causam desconforto ou medo têm maior probabilidade de desenvolver problemas de ansiedade

O estudo, publicado na edição deste mês no Behavior Therapy, analisou 800 crianças dos 7 aos 18 anos de idade.

Para a realização do estudo, foram feitos dois questionários, um que foi respondido pelas crianças e outro pelos pais, ambos com o intuito de revelar se perante uma situação suscetível de lhes causar medo, as crianças a confrontavam ou não. 

Uma das conclusões mais surpreendentes da pesquisa foi a de que avaliar a preocupação das crianças pode ajudar a determinar o risco de elas virem a sofrer de ansiedade.

Passado um ano da realização do estudo, a maioria das crianças que revelou evitar situações que lhes causassem medo, apresentou níveis de ansiedade maiores do que as outras.

No artigo, o psicólogo e pediatra Stephen Whiteside explica que "as crianças que evitam situações que lhes causam desconforto, não tem a oportunidade de encarar os seus medos, aprender a enfrenta-los e saber lidar com eles".

Segundo os autores da pesquisa, a conclusão do estudo é importante para os profissionais identificarem melhor quem são as crianças propicias a desenvolver problemas de ansiedade, e consequentemente direccioná-las mais facilmente para formas de prevenir este problema.