Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Caravana com família síria a bordo conseguiu passar a fronteira

Sociedade

Nuno Félix é o coordenador desta caravana

O grupo de portugueses que foram ao Leste da Europa buscar refugiados estiveram retidos na fronteira com a Áustria mas conseguiram seguir viagem com todos os cinco membros da família síria

Rosa Ruela (texto) e Tiago Miranda (fotos)

ACOMPANHE A CARAVANA

A caravana Famílias Como As Nossas acabou de passar a fronteira da Áustria com a Itália, na zona de Udine, devido à compreensão da polícia austríaca, que aceitou os argumentos de que, afinal, se tratava de deixar passar apenas uma família, no fundo, como a dele.

Foi apenas cobrada uma multa de 200 euros ao condutor do veículo onde segue a família síria.

A caravana dirige-se agora a Portugal, esperando não encontrar mais problemas noutras fronteiras. A ideia é não parar durante a noite. Tentar oferecer à família síria a melhores condições para dormir, revezando-se os condutores ao volante.

Susto

Quase quatro mil quilómetros depois de partir de Lisboa, os portugueses da caravana Famílias Como as Nossas que regressavam a Portugal acabaram por ser parados na fronteira da Áustria com a Itália, com uma família síria a bordo, sem papeis.

A presença desta família, um casal com três filhas, entre os 4 e os 9 anos, despertou a atenção dos fiscais na zona de controlo alfandegário, que chamaram de imediato a polícia.

Nuno Félix, que coordena a caravana solidária portuguesa, assumiu perante as autoridades austríacas que pretendia levar estes sírios até Portugal. Numa primeira fase, as autoridades mostraram-se irredutíveis, admitindo apenas que a família síria podia pedir asilo na Áustria, mas impedindo a sua saída de território austríaco.

Mas a serenidade dos membros portugueses da caravana acabaria por resolver a situação. Uma das integrantes, que fala alemão, conversou com as autoridades locais, fazendo-as entender que aquele era um esforço humanitário, único, que permitiria salvar, pelo menos uma famíla de refúgiados. Argumento que surtiu efeito e que levou a polícia austríaca a deixar passar a caravana para território italiano, como todos os seus membros.