Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Belga morre por eutanásia depois de sofrimento 'insuportável' após mudar de sexo

Sociedade

  • 333

Reprodução Facebook

O transexual de 44 anos conseguiu a aprovação da eutanásia que pedia por sofrer transtornos físicos e psicológicos "insuportáveis", na sequência de uma cirurgia para mudar de sexo

Nathan Verhelst morreu na segunda-feira, num hospital de Bruxelas, depois de uma longa batalha para conseguir a aprovação da eutanásia. Segundo a imprensa belga, Wim Distlemans, médico do hospital que acompanhou o procedimento, a eutanásia foi aprovada por existir "claramente sofrimento físico e psicológico insuportáveis".

Em declarações a um jornal, enquanto decorria o processo de aprovação da eutanásia, Nathan, que nasceu do sexo feminino, contou que tinha sido rejeitado pelos pais, que já tinham três meninos e desejavam outro. A decisão de mudar de sexo terá sido tomada na adolescência. 

Entre 2009 e 2012, submeteu-se a um tratamento hormonal e às cirurgias para remoção dos seios e mudança de sexo, mas nunca se sentiu satisfeito. 

"Eu tinha preparado uma festa para comemorar o meu novo nascimento, mas na primeira vez que me vi no espelho, senti aversão pelo meu novo corpo", confessou Nathan. "Tive momentos felizes, mas, no geral, sofri", lamentou então, considerando que "44 anos é muito tempo na Terra".

A eutanásia é permitida na Bélgica desde 2002 - embora o debate continue - desde que a pessoa apresente um problema grave e incurável que lhe cause sofrimento "psíquico ou físico", como explica Jacqueline Herremans, membro da Comissão Nacional para a Eutanásia.