Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Bebé real deverá nascer hoje

Sociedade

  • 333

Reuters

Os duques de Cambridge, William e Kate, ambos com 31 anos, casaram há 27 meses.
O filho (ou filha) do casal deverá nascer este sábado, em Londres 

O novo bebé será o primeiro membro da família real a nascer depois de um acordo entre o Reino Unido e as 15 nações da Commonwealth, em que é dado às mulheres igual acesso ao trono. Antes, as crianças do sexo masculino tinham, automaticamente, precedência sobre as suas irmãs, independentemente da ordem de nascimento.

De acordo com o jornal britânico The Telegraph o bebé real deve nascer durante o dia de hoje. As últimas informações dão conta que Kate Middleton e o príncipe William já deixaram a casa da família em Bucklebury e encontram-se no hospital de St Mary.

A primeira previsão indicava que o parto estava inicialmente previsto para dia 13 ou 14 de Julho. O jornal britânico indica que a equipa responsável pelo parto do bebé real está proibida de beber qualquer bebida alcoólica desde o mês passado. A suite de luxo onde irá nascer o primeiro filho do casal custa 2.500 euros por dia.

O príncipe William e Kate Middleton preparam-se para ser pais pela primeira vez em breve, mas ainda não terão escolhido o nome para o filho ou filha.



Os duques de Cambridge já terão elaborado uma lista de nomes preferidos, mas irão esperar que o bebé nasça para escolher um. E mesmo depois de o bebé ter nascido ainda poderão esperar alguns dias até ser revelado publicamente. Algo que não será inédito na família real inglesa. O nome do próprio príncipe William só foi anunciado uma semana depois do seu nascimento, tal como é costume também em outras famílias reais europeias.



O cronista real Alastair Bruce sugere que Elizabeth e Victoria sãos dois nomes possíveis devido ao seu uso hstórico na família real inglesa e relembra que - quando ascender ao trono - o filho ou filha de William e Kate poder´trocar de nome, tal como aconteceu com o príncipe Alberto, pai de Isabel II, que se tornou no rei George VI.