Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Autoridades impedem leilão de virgens na Austrália

Sociedade

Justin Sisley, cineasta australiano, foi intimado pelas autoridades quando tentava recrutar virgens para serem leiloados em programa de televisão. O cineasta vai realizar o programa mas em Las Vegas

As autoridades australianas proibiram um cineasta local de realizar um programa de televisão que consistia num leilão de virgens. Ao continuar com o projecto Sisley poderia ser acusado por incitamento à prostituição.

Depois de ter sido intimado pelas autoridades australianas, o cineasta declarou a mudança de cenário para o seu programa. Sisley pretende cumprir o leilão mas nos Estados Unidos da América na conhecida "cidade do pecado" Las Vegas.

Para conseguir recrutar virgens dispostos a aceitar o desafio, Justin espalhou cartazes pelas ruas de cidades de Sydney e Melbourne. Os cartazes mostravam frases como "procuram-se virgens", "fama e dinheiro". Alguns tinham mesmo a imagem da virgem Maria. Após um ano conseguiu encontrar um rapaz e uma raparigas dispostos a aceitar o desafio, mas viu-se impedido de o realizar em solo australiano.

Sisley disse que os dois candidatos receberão 20 mil dólares australianos e 90% do valor arrecadado no leilão da sua virgindade. Os restantes 10%  será entregues ao bordel onde o programa vai ser filmado. As primeiras ofertas vão ser feitas pela internet.  Quem fizer as ofertas mais altas vai ficar cara a cara com os virgens. Só depois disso serão feitas as licitações finais.Steve Fielding, senador e líder do partido Familia Primeiro, referiu o documentário como "absurdo, ridículo e repugnante".

Veronica de 21 anos, uma das candidatas, declarou à imprensa local que a sua participação no programa, não era pelo dinheiro que vai ganhar, mas pelo desafio de tentar mudar a percepção que a sociedade australiana tem do sexo.