Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Asteróide não vai atingir a Terra, mas pode "atingir" o seu telemóvel

Sociedade

  • 333

NASA

O asteróide 2012 DA14, que marca o recorde de aproximação de qualquer outro objeto da mesma natureza, não vai colidir com a Terra, mas os mais de 100 satélites de telecomunicações e meteorologia podem estar em risco

A rocha espacial, que é seguida há um ano desde que foi descoberta, vai atingir a sua aproximação máxima por volta das 19h30 de sexta-feira. Os cientistas garantem que não há qualquer risco de o objeto, de 45 metros de diâmetro), atingir o nosso Planeta, mas não negam a hipótese, ainda que remota, de colisão com um dos mais de 100 satélites na órbita da Terra.

O asteróide, que viaja a oito quilómetros por segundo, irá passar dentro das órbitas dos satélites geoestacionários - ou seja, giram à mesma velocidade que a Terra - responsáveis pelas telecomunicações e informações meteorológicas.

O DA14 pertence a uma família de objetos que estão perigosamente perto da Terra. Por serem de pequena dimensão são difíceis de detetar, mas têm tamanho suficiente para causar um estrago considerável. Até hoje, foram identificados 10 mil destes asteróides.

"Este número não representa sequer 10%  de todos os objetos que estão por aí. É preciso ter capacidade, tanto a nível de sensibilidade - para detetar estes pequenos objectos - como também de tempo", explica Lindley Johnson, que lidera este programa de observação da NASA.