Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Andy Irons - A homenagem do mundo do surf

Sociedade

Dezenas de surfistas, organizadores, amigos, reuniram-se para realizar uma homenagem emotiva e cheia de simbolismo. VEJA O VÍDEO

A tribo do surf chora a morte de Andy Irons.   

A ASP - Associação de Surfistas Profissionais decidiu fazer uma pausa de um dia, na penúltima etapa do Mundial, a decorrer em Porto Rico, e prestar uma última homenagem dentro de água ao tricampeão mundial de surf.  

Andy Irons, de 32 anos, é recordado por todos como um grande campeão. O surfista havaiano foi uma referência e inspiração para milhares de jovens em todo o mundo.  

As notícias sobre a causa da sua morte são contraditórias. Primeiro surgiram notícias de Dengue (supostamente contraído em Portugal), depois, publicaram-se diversos artigos na internet que davam conta que as autoridades estavam a investigar uma overdose de metadona (substância vendida apenas com receita médica e usada no tratamento de toxicodependentes). As edições online da imprensa norte-americana, nomeadamente o site TMZ, referem relatórios policiais que confirmam que existiam no quarto embalagens de Alprazolam (um medicamento com indicações terapêuticas semelhantes ao Xanax), Zolpidem e mesmo metadona escondida. Poucos sabiam que Andy já tinha contraído uma das variantes de Dengue, em 2007, e que o surfista tinha tendência para depressões.    

A hipótese de Irons ter apanhado o vírus de dengue no nosso país foi imediatamente descartada pela Direção Geral de Saúde portuguesa, de qualquer forma, os surfistas do "Dream Tour" visitam todos os anos  países tropicais e entre os atletas presentes em Porto Rico, na penúltima etapa do Mundial de Surf, comenta-se que Andy Irons terá apanhado uma das variantes mais mortais de Dengue, na Indonésia.  

Esta doença é fruto de um vírus transmitido por um mosquito de origem asiática, cujos efeitos afetam cerca de 500 mil pessoas por ano, apresentando uma taxa de mortalidade de até 10% para pacientes hospitalizados e 30% para pacientes não tratados.  

A morte do tricampeão mundial de surf levanta diversas questões relacionadas com o controlo antidoping nos campeonatos de surf.   

Andy viajou de Porto Rico para Miami e ficou internado numa clínica.

Os médicos concordaram que estava pronto para viajar. Não foi longe, o voo tinha escala no Texas, Andy sentiu-se mal, ficou a dormir num hotel em Dallas e faleceu. Aguarda-se que autópsia seja reveladora do que realmente aconteceu.  

A mulher de Andy, Lyndie, grávida de oito meses do primeiro filho do casal, encontrava-se em casa, em Kauai, no Havai, quando soube da notícia.  

Veja o vídeo da cerimónia de homenagem a Andy Irons e as declarações de Kelly Slater, Mick Fanning e Stephanie Gilmore (nova campeão do mundo de Surf) sobre o amigo e companheiro de ondas.