Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Afinal, cenas de sexo em "50 Sombras de Grey" deixam muito a desejar

Sociedade

As primeiras críticas à adaptação do best seller erótico estão aí e arrasam o filme, sobretudo pela falta de nudez e... sexo

A estreia de Cinquenta Sombras de Grey pode estar a ser aguardada como o filme mais sensual dos últimos tempos, mas não foi esta a impressão com que ficaram os críticos que puderam assistir já à adaptação dos romances eróticos de EL James.

A maioria das críticas publicadas terça-feira à noite lamenta, pelo contrário, a falta de sexo, de genitais à vista e de orgasmos, ao contrário das descrições bem explícitas dos livros.

Segue-se um resumo dos comentários dos críticos:

USA Today: "Os que vão à procura de sexo excêntrico vão ficar desiludidos. Menos de 15 dos 125 minutos do filme têm cenas de sexo", escreve Claudia Puig.

Entertainment Weekly:  "Ninguém no filme mostra os genitais. Christian em particular parece fazer muitas coisas sem camisa mas com as calças vestidas, o que não pode ser confortável para um jovem tão ativo". Mas o que Lisa Schwarzbaum considera mais frustante é que "ninguém transpira, ninguém se empenha, ninguém perde o controlo ou mesmo finge perder o controlo fingindo um orgasmo".

New York Daily News: Elizabeth Weitzman deixa um alerta para os que esperam ver práticas sadomasoquistas. "Vemos um chicote aqui, umas algemas ali, mas nada que choque nem mesmo os recém-chegados à saga ['Cinquentas Sombras de Grey']".

The Guardian: o crítico do jornal britânico descreve o desempenho de Jamie Dornan no papel de Christian como "adequado" e considera que as tão aguardadas cenas de sexo servem apenas para fazer avançar a narrativa. "Só o puritano mais empedernido ficará escandalizado".

Fox News: "Medíocre" é a palavra usada por Justin Craig, que descreve o filme como "moderado" no que toca às cenas de sexo explícito. "Vêem-se cenas mais perturbantes em "Saw" ou na "Guerra dos Tronos." "A realizadora Sam Taylor-Johnson trata o filme tão seriamente como se fosse um cadáver", acrescenta.

Associated Press: Lindsey Bahr também usa a comparação com "Guerra dos Tronos" para classificar o filme como "mediano".