Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

8 erros que provavelmente comete quando lava os dentes

Sociedade

É sabido que uma das principais razões para lavar bem os dentes é evitar as cáries (já para não falar no mau hálito). Mas e se a maneira como escova os seus dentes o tornar mais vulnerável a cáries, deterioração dos dentes e a doenças nas gengivas?

Há muitos erros comuns que podem causar danos nos dentes e virar do avesso um sorriso feliz. Descubra aqui o que está a fazer de errado.

Não escovar durante tempo suficiente

A maioria das pessoas não perde o tempo que devia a lavar os dentes. Grande parte dos dentistas recomenda uma escovagem de dois a três minutos, mas poucas são as pessoas que cumprem essa regra. Verifique, com um relógio, quanto tempo a sua rotina demora. Das duas uma: ou está com pressa em sair para o trabalho ou prestes a desabar de cansaço e deserto de cair na cama, pelo que só faz uma rápida escovagem, de um minuto. Leve um temporizador para a casa de banho e configure dois ou três minutos antes de começar a escovagem. Ou utilize uma escova eléctrica, com um temporizador de dois minutos.

Não prestar atenção ao que está a fazer

Olhe para o espelho enquanto escova os dentes e veja para onde a escova está a ir. É fácil que se esqueça da linha das gengivas, que é a parte mais importante. É aí que a placa, o tártaro e as bactérias se amontoam, causando a inflamação e infeção das gengivas . Esteja também atento aos molares. Se a escova toca na bochecha antes de chegar até eles, podem escapar-lhe por completo. 

A técnica

Segure a escova de modo a que as cerdas estejam a um ângulo de 45 graus em relação à superfície dos dentes e escove em pequenos círculos. Concentre-se num conjunto de dentes de cada vez e em seguida passe para outro conjunto, continuando de um lado para o outro, superior e inferior, frente e verso. Depois de completar os seus círculos, escove longe da linha das gengivas para eliminar a placa solta e bactérias.

Escovar com demasiada força

A probabilidade de danificar o esmalte é maior se escova os dentes com força demais. E se for uma pessoa com tendência para cerrar ou ranger muito os dentes, pior. Se, a esses hábitos, juntar uma escovagem demasiado forte, isso pode provocar-lhe danos nas gengivas. Com a pressão contínua, essas lesões aprofundam-se. Além disso, a escovagem agressiva causa irritação, recessão e sensibilidade nas gengivas.

Não utilizar a escova certa

Certifique-se que compra escovas macias para minimizar danos, mas mesmo estas podem causar escoriações quando usadas incorretamente. Se o seu dentista lhe indicar uma escova especial para a limpeza de implantes ou coroas, use-a apenas conforme indicado. Por mais horrível que possa parecer, a sua escova de dentes pode ser um verdadeiro paraíso para os germes. A escova deve ser substituída a cada três meses, ou mais cedo se as cerdas tiverem um aspeto desgastado e dobrado. Para minimizar o crescimento diário de germes, passe a sua escova por água quente após o uso e deixe que seque completamente.

Não usar a pasta de dentes correta

Os dentífricos à base de bicarbonato de sódio são bons para combater as manchas porque são abrasivos - mas isso também significa que são agressivos para o esmalte, e podem não compensar por essa razão. Quanto aos dentífricos  branqueadores, estes não constituem perigo para os dentes.

Não usar o fio dental de modo correto

O fio dentário alcança as zonas entre os dentes, onde a escova não consegue chegar. As cáries formam-se mais frequentemente nas superfícies onde dois dentes se tocam. Se as bactérias aí ficarem presas, vão alimentar-se dos açúcares das partículas dos alimentos, formam uma colónia e produzem químicos que vão corroer o esmalte. Isto conduz eventualmente à formação de cáries. Por outras palavras, o uso do fio dentário não é opcional - e é a melhor forma de manter essas colónias de cáries à distância.

Segure o fio dentário, girando as extremidades em torno do dedo médio em cada mão. Use o polegar e o indicador para trabalhar suavemente o fio entre dois dentes, com cuidado para não magoar a gengiva. Enrole o fio ao redor de um dente e limpe para cima para baixo, para soltar e remover a placa bacteriana. 

Não enxaguar no fim

Enxaguar no fim é um passo fundamental para se certificar de que as bactérias saíram da boca. Um antisético bucal sem álcool ou uma lavagem com fluor fortalecem e reforçam o esmalte dos dentes e previnem as cáries. Na falta de um antisético ou fluor, bochechar com água e deitar fora é melhor do que nada.